18ª edição do Festival Internacional da Novadança

Festival internacional novadanca - Guarda Sonhos - Foto Renata Pires_P
Cena de Guarda Sonhos – Foto: Renata Pires

Em sua 18ª edição, o Festival Internacional da Novadança acontece de 15 de fevereiro a 04 de março de 2016. A programação ocupa diversas estações do Metrô de Brasília, a Usina Centro de Arte e Entretenimento, e o Espaço Pé Direito.

O Festival Internacional da Novadança se divide entre os estilos da Dança Contemporânea, da Novadança e da Dança Burlesca.

Trata-se de um projeto de comunicação e intercâmbio, formação de opinião e de aperfeiçoamento para dançarinos, coreógrafos, diretores e profissionais de dança. Durante os últimos anos este projeto está criando uma rede de comunicação entre profissionais brasileiros e estrangeiros, permitindo a reflexão, o desenvolvimento de pesquisas e o aprimoramento de trabalhos.

O Festival foi criado por Giovane Aguiar no ano de 1996 e desde então é o seu Diretor Geral. São vinte anos de pesquisa continuada. “Ao longo de todos estes anos o Festival tem proporcionado ao público brasiliense apreciar espetáculos de altíssima qualidade e aos profissionais da dança a oportunidade de aperfeiçoamento de seus trabalhos” Conta Giovane Aguiar;

Ao longo destes anos passaram pelos palcos do Festival os artistas David Zambrano, o espanhol Jordi Cortes Molina, o francês Jeróme Bel, a japonesa Hisako Horikawa, a holandesa Angélika Oei os norte-americanos Howard Sonenklar, Mark Tompkins, Katie Duck, Daniel Lepkoff, Lisa Nelson, Alito Alessi, Katie Duck e Karen Nelson, os brasileiros Tica Lemos, Cristina Moura, Cristian Duarte, as companhias Benvida Cia de Dança, a ASQ Cia de Dança, Basirah, Wlap e o Balangandança entre outros. O Festival distribuiu mais de três mil bolsas de estudos a dançarinos, coreógrafos, e interessados que participaram dos cursos e cerca de 60 mil pessoas assistiram às apresentações.

Além disso, o Festival foi pioneiro na difusão e no incentivo da produção da linguagem de filme conhecida mundialmente como Videodança no Brasil. Já em 1997 realizou a primeira mostra de filmes desse gênero e nos anos seguintes promoveu workshops e palestras entre cineastas e coreógrafos. Em 1998 realizou workshop com a holandesa Angelika Oei, que junto com coreógrafos e cineastas brasilienses desenvolveu vários projetos de videodança. Atualmente o Festival realiza a Mostra de Filmes Dançando para a Câmera e em 2006 o Festival realizou e financiou três curtas-metragens premiados na Mostra.

Ainda no ano de 1997 o Festival trouxe a Brasília os norte-americanos Alito Alessi e Emery Blackwell para a realização do projeto Danceability, pioneiro nos Estados Unidos no trabalho de dança com portadores de necessidades especiais, repetindo o feito em 2004.

No ano de 2005 o festival realizou o primeiro seminário “Toda Criança Dança”, de Brasília, com o foco na educação da dança para crianças.

Desde 2001 o Festival vem se afirmando como o Festival de dança do verão de Brasília, mas em comemoração aos dez anos de existência, em 2006 houve uma versão de inverno onde a temática foi dança e tecnologia.

No ano de 2007 o Festival foi o primeiro evento brasiliense a romper as fronteiras do Distrito Federal e realizar sua edição nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Em sua 14ª edição, em 2011, o Festival foi inteiramente dedicado à sexualidade e às questões de gênero. Espetáculos, workshops, mostras de vídeo, debates, performances embalados por temas como moralidade, padrões de beleza, padrões de comportamento, limites entre arte e pornografia e muito mais. Nesta edição, surgiu o Nostalgique Cabaret, com decoração e figurinos inspirados nos cabarés franceses dos anos 40 e 50, abriga apresentações de Dança Burlesca, Dança do Ventre, Dança Aérea, Pole Dance, Belly Dance, Striptease e várias outras formas de dança e arte que utilizam a sensualidade, elegância e respeito como linguagem de expressão do corpo.

Em 2012, durante sua 15ª edição, o Festival foi inteiramente dedicado à discussão dos limites do corpo. Com apresentações de Dança Aérea, Pole Dance, Dança de Rua, Contato Improvisação, Dança Contemporânea e Novadança.

Em 2013, durante sua 16º edição o Festival Internacional da Novadança refletiu sobre os limites entre o teatro e a dança. O Festival foi dividido em quatro estilos de dança: Dança Contemporânea, Nova Dança e Dança Burlesca.

Em sua XVIII edição o Festival estende-se por todo o país através da participação de profissionais de diversos estados brasileiros. A edição de 2016 está organizada da seguinte forma: A) Espetáculo, B) Performance, C) Workshop, D) Sala de vídeo, E) Mostra de Filme Dançando Para Câmera, F) Mostra de Vídeo e Dança No Celular, G) conversando com o artista (debates), H) Encontro Internacional de Criadores e Coreógrafos, I) Publicação de livro e J) 2ª Edição do Brasília Burlesque Festival.

A) Espetáculo
Espetáculos de artistas e companhias de reconhecimento nacional e internacional além de apresentações de companhias de dança.

B) Performance
Espaço reservado para sessões de improvisação e apresentação de Performances por parte dos dançarinos e coreógrafos selecionados para participarem do Festival. Esta mostra acontecerá nas estações do Metro na Ceilândia, Taguatinga, Guará, Águas Claras e Plano Piloto.

C) Workshop
Curso de aperfeiçoamento e reciclagem durante uma semana, para dançarinos e coreógrafos brasileiros previamente selecionados.

D) Sala de vídeo
Nesta sala estudante e público em geral, assistem a espetáculos, documentários de Dança Moderna, Contemporânea e Nova Dança além de Vídeodança.

E) Mostra Internacional de Filmes Dançando Para Câmera
A MOSTRA tem como objetivo principal o incentivo à produção de filmes brasileiros que estejam em acordo com a linguagem do Videodança.

F) Mostra de Vídeo e Dança no Celular
Mostra de Vídeo e Dança no Celular é uma mostra de vídeo de movimento/dança feito por artistas utilizando câmeras de aparelhos celulares no intuito de captar fragmentos de pura arte traduzidos em vídeos de 60 a 120 segundos.

G) Conversando com o artista
Os artistas convidados e os coreógrafos envolvidos no projeto conversam com o público sobre seus trabalhos e o processo de criação.

H) Encontro Internacional de Criadores e Coreógrafos
Encontro de coreógrafos e novos criadores para discutir, experimentar e desenvolver novas formas de criação, aperfeiçoamento e reciclagem para coreógrafos brasileiros e estrangeiros previamente selecionados.

I) Publicação de Livro
Publicação de livro com fotografias que contam 20 anos de edição do Festival Internacional da Novadança.

J) 2ª Edição do Brasília Burlesque Festival
O Brasília Burlesque Festival é o primeiro festival de burlesco do Brasil e foi realizado em 2013 na cidade de Brasília, que contou com a atração internacional de Scarlett James diretora do Montreal Burlesque Festival. O BBF trata-se de uma mostra de arte burlesca com apresentações de burlesco.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

18ª edição do Festival Internacional da Novadança e
2ª edição do Brasília Burlesque Festival

15 de fevereiro (segunda)
10h às 13h – Mostra de Vídeo para Celular – (Estações do Metrô 108 Sul)
14h às 18h – Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop de Afro com Valdemar Piauí – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Noites Sem Fim” de Giovane Aguiar – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

16 de fevereiro (terça)
10h às 13h – Mostra de Vídeo para Celular – (Estações do Metrô Guará)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop de Afro com Valdemar Piauí – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Noites Sem Fim” de Giovane Aguiar (DF) – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

17 de fevereiro (quarta)
10h às 13h – Mostra de Vídeo para Celular – (Estações do Metrô Águas Claras)
12h – Performance com Valdemar Piauí (Estações do Metro Águas Claras)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop de Afro com Valdemar Piauí – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Por um Fio” de Juan Guimarães (RJ) – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

18 de fevereiro (quinta)
10h às 13h – Mostra de Vídeo para Celular – (Estações do Metrô Ceilândia Centro)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop de Afro com Valdemar Piauí – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Cartas” da Cia Circo Navegador (SP) – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

19 de fevereiro (sexta)
10h às 13h – Mostra de Vídeo para Celular – (Estações do Metrô Furnas)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop de Afro com Valdemar Piauí – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Behind the Clothes” da Plataforma Shop Sui (SP) – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

20 de fevereiro (sábado)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Guarda Sonhos” de Tainá Barreto – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

21 de fevereiro (domingo)
14h às 18h Sala de Vídeo – (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
21h – Espetáculo “Por um Triz” com Beatrice Martins da Cia Instrumento de Ver (DF) – (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
22h – Conversando com o Artista (Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

26 de fevereiro (sexta) 2ª Edição Brasília Burlesque Festival
22h Noite Burlesca
Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento
Apresentações
– Cocktail Girl com Belle Winter (DF)
– Sailor Lover com Lily Angel e Monroe La Von Tease (DF)
– Flor do Oriente com Lola Montes (DF)
– Lolita com Mani Ly (DF)
– Tem Francesa no Morro com Aurora D´Vine (SP)
– Crazy Soldier com Vini (DF)
– Hooked on Classic com Sweetie Bird (SP)
– Indigo Blue com Triple Fan Dance (EUA)
– Cinema Italiano com Sete de Ouros (SP)
– Babaloo com Miss G (RG)

27 de fevereiro (sábado)
10h às 12h – Encontro de Criadores – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 18h – Sala de Vídeo (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 15h – Workshop Teatro de Revista (curso de dança sensual das vedetes brasileiras) com Aurora D´Vine – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
15h às 16h – Workshop Sexy Dance (curso de dança sensual criada e utilizada pelo Nostalgique Cabaret) com Mani Ly Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop Sensualidade Burlesca (breve introdução expositiva e exercícios práticos de movimentação) com Sweetie Bird Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
18h às 19h – Workshop Tassle Twirling (diferentes maneiras de girar os pasties) com Sweetie Bird Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
23h Festa Burlesca (By A Simetria e Nostalgique Cabaret)
Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento
Apresentações
– All About the Base com Delirious Fenix (RJ)
– Lady Vader com Black Rainbow (SP)
– Dirty Boys com Sherry Blondie (DF)
– Seven Nation Lady com Driele Vicondi (DF)
– Vortex Sisters com Lily Angel, Mani Ly e Belle Winter (DF)
– Miss Von Braun com Belle Winter (DF)

28 de fevereiro (domingo)
10h às 12h – Encontro de Criadores – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 18h – Sala de Vídeo (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

De 29 de fevereiro a 04 de março
16h às 18h – Workshop de Contato Improvisação com Giovane Aguiar– Espaço Cultural Pé Direito

Sinopses dos Espetáculos:

“NOITES SEM FIM” DE GIOVANE AGUIAR
DIAS 15 E 16 de fevereiro às 21 horas

É um espetáculo de pesquisa de linguagem entre a Nova Dança e Novo Circo com Alexandre Adas, Christian Cantarino, Marjorie Balbuena, Giovane Aguiar, Pedro Martins e Raissa Pamplona, que conta história de um grupo de moradores de rua que através dos arquetípicos mitológico, Sonho, Destino, Morte, Desejo, Delírio, Desespero e Destruição (Inspirado nos Perpétuos de Neil Gailman), que ao longo do espetáculo vão revelando suas personalidades, sentimentos e histórias. São como uma família onde cada um possui uma personalidade relacionada à mitologia grega ou universal como, por exemplo: Sonho que é Morpheus o senhor do sonhar, o mestre dos sonhos, ele carrega em seus bolsos uma fina areia que ao soprar faz as pessoas adormecerem levando-as para o seu reino. Noites Sem Fim é a tentativa de trazer luz e sensibilizar o público para questões sociais como Classe Social, Deficiência, Raça, Religião, Orientação Sexual e Gênero.

Giovane Aguiar

Desde 1996 é o criador e Diretor Geral do FESTIVAL INTERNACIONAL DA NOVADANÇA. Atualmente é o diretor artístico do Nostalgique Cabaret. Nos últimos anos participou de workshops e de performances com o português Rui Horta; com os norte-americanos Carla Perlo, Cathie Caraker, Nancy Stark Smith, Daniel Lepkoff, Lisa Nelson, Steve Paxton, Karen Nelson, Katie Duck, Ray Chung, Mark Tompkins e Howard Sonenklar; com o venezuelano David Zambrano; com os japoneses Lee Oka-Ryuji e Hisako Horikawa; com a holandesa Angélika Oei; com o alemão Dieter Heitkamp e o espanhol Jordi Cortés Molina. Desde 1992 é professor de Contato Improvisação. Possui conhecimento em dança clássica, moderna e contemporânea, medicina chinesa, Body-mind Centering e Body-work. Seus trabalhos já foram vistos em Portugal, Chile, Uruguai, Argentina, Venezuela, Espanha e Alemanha. Como coreógrafo criou os espetáculos: “Bertram”, indicado para o prêmio APAC de 1993; “Mulheres” apresentado em Portugal em 1996; “Zero” vencedor do prêmio Aluízio Batata de 1997, “Retratos (Portrait)” indicado para os prêmios Candango de Cultura e Prêmio Ok de 1998 e selecionado para a Plataforma Brasileira para os Rencontres Choreographiques Internationales de Seine-Saint-Denis (2001), em 2004 recebeu o prêmio da Caravana Funarte Brasil Central, “Cidades” (Sol Num Quarto Vazio) apresentado em diversas cidades do Brasil, “Mezzanino” para a companhia de dança Cos`é, “Vertigem” apresentado no Dança Brasil (2002) e “O Tratado Das Meias Verdades”, em 2005. Recebeu bolsa do Ministério da Cultura para o projeto Tanz in August realizado em 1996, Berlim Alemanha. Em 1998 representou o Brasil no VI Encuentro de Creadores realizado em Caracas – Venezuela.

Em 2001 participou do Encontro Sul-americano de Dança Contemporânea e do Danzateatromultimedia, ministrando aulas e apresentando o espetáculo “Retratos”. Foi o co-diretor do filme “CIDADES” recebeu o Prêmio Especial da Associação Braziliense de Cinema e Vídeo – ABCV “PELO EXPERIMENTALISMO NA UTILIZAÇÃO DA LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA” e menção da crítica pela trilha sonora. “ Organizou os projetos “CI 25 Anos BSB”, “Arte Ocasional”, “Arte é Inútil” e “Você sabe o que é Contato e Improvisação”. Produziu a exposição Pinturas e Desenhos de Ralph Gehre e a exposição “Gentil Reversão” de Ralph Gehre, Chico Amaral, Elder Rocha, Ana Miguel e Gê Ortoff, coordenou a montagem da exposição de Bernar Venet “Bernar Vernet Brasil”, Sebastião Salgado “Êxodos”, Adriana Varejão “Azulejão”, Vik Muniz, Galeno, Bené Fontelles e Valéria Pena Costa e fez a Direção Artística do projeto Very Special Arts e a coordenação técnica do FOTO ARTE 2003. Coordenou a reforma e montagem do Espaço Cultural Contemporâneo – ECCO. Foi presidente do Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente – INDICA nos anos de 2008 a 2012.

“POR UM FIO” DE JUAN GUIMARÃES (RJ)
DIA 17 de fevereiro às 21 horas

O tempo de maturação deste projeto deu-se em parte pela polêmica gerada em torno do tema “aborto”. O autor procurou não levantar bandeiras, já tão debatidas, em relação ao contexto jurídico, social e familiar. O foco do espetáculo é uma abordagem do SER, e de sua existência a partir da sua concepção. Seus sentimentos, sonhos, perspectivas, força interior e a plenitude naquilo que se crê. Criando um mundo vivo, intenso e tão concreto, ao ponto de não perceber que tudo ali construído, não passa apenas de um mero vislumbre, de tudo aquilo que ele poderia ser apesar das diversidades.

JUAN GUIMARÃES

Juan Guimarães é ator, bailarino, coreógrafo e videomaker. Iniciou seus estudos no teatro com Fabio Barreto, Felipe Martins, Licurgo Spinola e Ana Kfouri. Na Dança, teve formação com Eleonora Oliose, Regina Sauer, Mario Nascimento, Ivaldo Mendonça e Heloísa Duque. Em 2003 passou a fazer parte da Cia Vias da Dança, dirigida por Heloísa Duque, onde trabalhou com diferentes Coreógrafos e diversas linguagens. Em 2007 Passou também a fazer parte do Grupo Experimental que tem a direção de Mônica Lira e foi premiado dois anos consecutivos no festival Janeiro de Grandes Espetáculos, na categoria, Melhor Bailarino de PE e indicado 5 vezes. Atuou em campanhas publicitárias Nacionais participações em novelas na TV Globo e em clipes e curtas dirigidos por nomes como Pedro Severien, Zé Eduardo Miglioli, Vinicius Coimbra entre outros. Interpretou o personagem Gusmão na novela Malhação em 2014 e atualmente mora no Rio de Janeiro e tem como foco, desenvolver trabalhos de Videoarte como “(sus)penso”, ” Mas é claro”, “TARSILA”, “I want to hold your hand” e “O que fica”. Estuda uma linguagem própria no segmento Teatro-dança realizando trabalhos de sua autoria como o espetáculo solo “Por um fio” e os espetáculos em parceria, como o “Improvável” com a atriz Thai Cavalcanti, “Capivara na luz trava” e o “LENDAS” com o MASSA grupo de teatro, qual faz parte desde 2012 e o espetáculo “Dorival Obá” da Cia Pernambucana Vias da Dança, que fará turnê internacional em 2016 com financiamento do Funcultura. Todos assinando Direção e coreografia.

“CARTAS” DA CIA CIRCO NAVEGADOR (SP)
DIA 18 de fevereiro às 21 horas

Os artistas vivem numa república, cada um em seu quarto, seu mundo, eles se encontram na sala, na cozinha, no banheiro e nos sonhos… Alguns momentos na vida desses personagens ajudam a contar os conflitos da vida de todos os artistas. As ações das personagens no espaço e no tempo indicam a estrutura narrativa que retrata os prazeres, conflitos, desejos, realizações e angustias dos artistas em seus processos criativos. Trata-se de uma dramaturgia apoiada nas ações físicas e execução de performances acrobáticas que mostram a história dos personagens e suas relações com a fonte de inspirações e criação das cenas: as “Cartas a Theo” e as pinturas de Vincent Van Gogh.

CIA CIRCO NAVEGADOR

O Circo Navegador dedica-se desde 1997 a pesquisa de linguagens, criação e produção de espetáculos circo e teatro. Em 2009 na turnê internacional pela América do Sul foi premiado no Festival Ibero-Americano de Teatro de Mar Del Plata e realizou apresentações no Chile: Santiago, Valparaiso e San Pedro de Atacama e na Argentina: Buenos Aires, Córdoba, El Brete e Mar Del Plata. Foi reconhecido pelos prêmios: Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo (2004), Funarte Carequinha de Estimulo ao Circo (2005 e 2007), ProAC – Montagem de Espetáculo Circense (2007), Funarte de Ocupação do Teatro Eugênio Kusnet (2010), ProAC – Apoio a Projetos de Festivais de Artes (2010, 2012 e 2013), ProAC – Montagem de Espetáculo de Teatro (2012 e 2013), Funarte Artes na Rua (2013) e ProAC – Circulação de Espetáculos de Artes Cênicas para Rua (2014). Além de contar com o patrocínio Petrobras em 2007, 2010 e 2013.
Em dezembro de 2014 inauguramos o Espaço Cultural Circo Navegador, transferirmos nossa sede para um novo endereço, no centro de São Sebastião, que comporta além do depósito, administração e sala de ensaio, um espaço de múltiplo uso que funciona como sala de aula equipada com aparelhos de circo e sala de espetáculo com iluminação cênica e sonorização.
Estimulando o fomento às artes cênicas o grupo criou e produziu 4 festivais de grande relevância: Festival de Teatro de Rua de São Sebastião – SP (2004), Festival de Teatro de Bonecos do Shopping Jardim Sul (2001 a 2014), Mostra de Teatro Infantil do Shopping Ibirapuera (2006 a 2012) e Mostra São Paulo de Teatro de Bonecos (2011 a 2014).
Como resultado de uma profunda investigação cênica foram montados os espetáculos: “Cirquim do Serafim” (2015), “Cartas” (2014), “Notícia Pra Embrulhar Peixe” (2013), “Circo Navegador – 10 Anos” (2007), “Om Co Tô? Quem Co Sô? Prom Co Vô?” (2007), “Quixotes” (2005), “Estudo Para Palhaços” nº 1 e 2 (2004), “No Olho da Rua” (2003), “Lavou, Tá Novo” (2001), “70 Senão 60” (2000), “O Diretor de Cinema” (1999), “Sarau” (1998) e “Hoje Tem Marmelada” (1997).
O Circo Navegador ganhou visibilidade nacional e internacional nos principais festivais brasileiros e sul-americanos.

“BEHIND THE CLOTHES” DA PLATAFORMA SHOP SUI (SP)
DIA 19 de fevereiro às 21 horas

Behind the Clothes representa diferentes traços de uma personalidade consumida por um Sistema de repetição. Todos os dias, ações e reações parecem tão naturais que não pensamos mais nisto. Todas estas pequenas ações, escondem uma secreta linguagem coreográfica.

PLATAFORMA SHOP SUI

A Plataforma Shop Sui é atualmente o espaço dinâmico que concentra as expressões artísticas e de pesquisa de Fernando Martins. O trabalho dedicado à sua pesquisa pessoal, suas criações e seu relacionamento como coreógrafo e intérprete é a base em que se estrutura a PLATAFORMA SHOP SUI. Shop Sui iniciou como um coletivo, um espaço de diálogo entre a dança e a arte contemporânea. No início de 2008, em Goiânia, Fernando Martins juntamente com o também bailarino e coreógrafo Henrique Lima e o artista gráfico Mateus Dutra deram início a um projeto chamado Shop Sui realizando uma pesquisa e construindo personagens que flertavam com a cultura popular e sua urbanidade. O primeiro projeto desse então coletivo foi um vídeo com o nome homônimo ao grupo: Shop Sui. Através da movimentação dos corpos dos bailarinos e dos traços do artista gráfico, as investigações abordavam o embate dos diversos caminhos que a arte contemporânea lhes sugere, seja nos palcos, nas ruas, calçadas ou quaisquer outros suportes que as urbes proporcionem. Como extensão desse primeiro trabalho se seguiu o vídeo arte To Take Way onde iniciou a parceria com o bailarino e coreógrafo mexicano Camilo Chapella. Este trabalho contou com a direção de Christian Mariano e com parceria da produtora Claudinha Fernandes e de sua equipe. Dessa parceria com Camilo surgiu uma residência artística em Mazatlan (México), em 2011, onde Fernando Martins e Camilo Chapella com suporte da Escuela Profesional de Danza Contemporánea de Mazatlán | México (EPDCM) criou o trabalho Lembrança Desfocada, um duo que tinha um carácter mais coreográfico do que os trabalhos anteriores do Shop Sui. Em 2011, na expectativa de concentrar as atividades do Shop Sui em São Paulo, Fernando articulou-se com coreógrafos e diretores na cidade e manteve-se criando e desenvolvendo seus trabalhos autorais, concentrando cada vez mais suas expressões neste núcleo. Nesse período, articulou-se ao Balé da Cidade de São Paulo e ao Balé Jovem onde desenvolveu trabalhos coreográficos, entre eles Os Muffins e Olhar Neutro nos quais já utilizava nos processos de criação uma forma de conduzir o movimento muito próprias, que caracterizam a linguagem da Shop Sui. Em 2012, Fernando Martins fez novas parcerias tendo como resultado uma temporada na Galeria Olido com a apresentação de Behind te Clothes e do solo Black Out. O trabalho Behind the Clothes foi incorporado a Shop Sui neste período.

“GUARDA SONHOS” DE TAINÁ BARRETO (DF)
DIA 20 de fevereiro às 21 horas

O processo de “Guarda Sonhos” parte de tradições coletivas e traz para cena as ferramentas que fazem parte da trajetória pessoal da intérprete-criadora, tais como a dança contemporânea, as danças tradicionais populares, o teatro físico e o butô. O solo transita na fronteira entre a dança e o teatro, tateando possibilidades para a expressão de uma bailarina que procura uma poética autoral. Elementos de frevo e cavalo marinho aparecem diluídos numa criação coreográfica que mescla informações corporais de diferentes contextos, mas que juntas apontam caminhos para uma cena singular e híbrida. (Projeto contemplado pela FUNARTE através do Programa de Bolsas de Estímulo à Criação Artística em Dança-Coreografia).

TAINÁ BARRETO

É dançarina, coreógrafa e professora de dança. Mestre em Arte pela UNB, Especialista em Dança pela Faculdade Angel Vianna, Bacharel e Licenciada em Dança pela Unicamp. Foi professora da Licenciatura em Dança do IFB, em Brasília/DF. Iniciou sua experiência artística aos quatro anos de idade, em montagens teatrais dos diretores Fernando Villar, Hugo Rodas, Hamilton Vaz Pereira, e com os atores-palhaços do Circo Teatro Udi-Grudi, em Brasília/DF. Desde 2003, é atriz-dançarina pesquisadora do Grupo Peleja, com o qual investiga manifestações da cultura tradicional brasileira, em especial frevo, cavalo marinho e maracatu rural, e seus possíveis desdobramentos na cena contemporânea. Atua nos espetáculos Gaiola de Moscas (2007), direção de Ana Cristina Colla (Lume Teatro) e Guarda Sonhos (2009), solo de sua autoria, com direção musical e trilha sonora de Helder Vasconcelos (PE). Foi atriz-convidada de Shi Zen 7 Cuias, espetáculo do Lume Teatro (SP) dirigido por Tadashi Endo. Foi bailarina da Cia. Dominio Público de dança contemporânea, dirigida por Holly Cavrell (SP). Em 2008, foi contemplada pelo Programa BNB de Cultura para realização do projeto “Teatro e Dança: uma brincadeira” e pela FUNARTE no programa nacional de bolsas de estímulo à criação artística, categoria Dança (coreografia) com o projeto “Dança: um olhar contemporâneo sobre a tradição”.

Entre 2008 e 2012 ministrou diversas oficinas de dança e teatro físico em cidades de Pernambuco, além de aulas de dança contemporânea para bailarinos em Recife/PE. Em 2013, foi orientadora dos processos criativos individuais dos dançarinos da Cia de Dança do Sesc Petrolina e coreógrafa convidada da Pós-Graduação em Dança da Faculdade Angel Vianna ministrando a disciplina “Processos Criativos”, em Recife/PE. Com o incentivo do Funcultura, realizou as circulações estadual (2012) e nacional (2013) de seu espetáculo solo Guarda Sonhos. Em 2014, participou do projeto Palco Giratório Circuito Nacional, através do SESC, apresentando o espetáculo Gaiola de Moscas em 42 cidades brasileiras. Atualmente estuda a participação das mulheres em diálogo com uma criação de dança que parte da observação do universo feminino e das relações de gênero em torno do cavalo marinho, tradição masculina da Zona da Mata Norte de Pernambuco.

“POR UM TRIZ” COM BEATRICE MARTINS DO INSTRUMENTO DE VER (DF)
DIA 21 de fevereiro às 21 horas

POR UM TRIZ fala das experiências da artista Beatrice Martins, que foi ginasta da seleção brasileira na sua adolescência, em um tom documental, autobiográfico e espetacular. O espetáculo faz a transição da ginasta para a trapezista, falando de sonhos, sonhos interrompidos, objetivos impossíveis, objetivos concretizados e realidades que caem na nossa cabeça. PORUMTRIZ tem direção e dramaturgia de Raquel Karro e coloca o circo em diálogo com outras linguagens, evocando um elemento que é frequentemente posto em evidência pelo artista circense: o risco da morte. Esse risco pode ser metafórico, mas muitas vezes é real.

Direção e Dramaturgia Raquel Karro

Gaúcha, radicada no Rio de Janeiro, Raquel Karro é atriz, bailarina, coreógrafa, diretora e acrobata aérea, formada pela Escola Nacional de Circo e graduada em dança pela Faculdade Angel Vianna. Como intérprete e criadora já integrou projetos de importantes companhias como Cirque du Soleil, Armazém Cia de Teatro, Intrépida Trupe e Cia dos Atores. Como coreógrafa em aéreos, esteve à frente de montagens como Mistério Bufo – Maiakóvski e Penso Ver o que Escuto, além de números aéreos em diferentes aparelhos. Como diretora esteve à frente do espetáculo Espera-se…, codireção do espetáculo No Dia em Que o Matariam junto a Thierry Trémouroux e a assistência de direção de Deus da Carnificina junto a Emílio de Mello. Atuou no espetáculo “Two Roses for Richard”, uma coprodução com a Royal Shakespeare Company, em Londres, maio de 2012. Com o coletivo Instrumento de Ver, coreografou em 2009 o número de trapézio Beatriz, dirigiu o espetáculo O Que Me Toca é Meu Também, em 2012, e colaborou com o evento Encontro de Bastidor, apresentado no Festival Cena Contemporânea 2013.

Beatrice Martins tem formação corporal com base na ginástica artística, participando de diversos campeonatos nacionais e internacionais, quando integrou a Seleção Brasileira. Em 1997, um acidente na via Dutra interrompeu sua carreira esportiva. Recuperada, iniciou nas atividades circenses em 2001, se especializando em acrobacias aéreas. Em 2008 integrou a companhia norte-americana UniverSoul Circus e participou do projeto BAGUN S.A., de São Paulo. Em Brasília, participou das companhias Engenho Arte Circense e Nós No Bambu. Atualmente, participa do coletivo Instrumento de Ver, se dedicando a uma pesquisa de movimentos que aproxima as características da dança à virtuose acrobática advinda da ginástica e as técnicas circenses contemporâneas.

INSTRUMENTO DE VER

É um coletivo de artistas independentes com formações e atuações diversas, com pesquisa e produção nas relações entre as artes do circo, dança, teatro, música, fotografia e vídeo, atuante no cenário cultural de Brasília. Com foco na criação de uma rede de intercâmbio que ampare suas estratégias de sustentabilidade e autonomia, vem realizando e participando de projetos de troca e parceria desde 2002.

SERVIÇO

18ª edição do Festival Internacional da Novadança
Classificação Indicativa 18 anos para todos os eventos
Data: De 15 de fevereiro a 04 de março de 2016
Locais:
– Teatro Multiuso Yara de Cunto da Usina Centro de Arte e Entretenimento (SOFN Quadra 01 Conjunto B Lote 12 – Entre o Parque Nacional Água Mineral e a Leroy Merlin)
– Estações do Metro
– Espaço Pé Direito (Vila Telebrasília Rua 01 Casa 23) Telefone (61) 9986-2097

Ingressos Espetáculos de 15 a 21 de fevereiro:
R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)
Os ingressos para a 18ª edição do Festival Internacional da Novadança serão vendidos nos dias de cada espetáculo na Bilheteria da Usina Centro de Arte e Entretenimento

Informações Whatsapp (61) 9241-8881
Programação completa www.facebook.com/usinacentrodearte ou www.festivalnovadanca.blogspot.com.br

2ª Edição do Brasília Burlesque Festival
Local: Teatro Multiuso Yara de Cunto da Usina Centro de Arte e Entretenimento (SOFN Quadra 01 Conjunto B Lote 12 – Entre o Parque Nacional Água Mineral e a Leroy Merlin)

26 de fevereiro (sexta) 22h Noite Burlesca
Apresentações:
– Cocktail Girl com Belle Winter (DF)
– Sailor Lover com Lily Angel e Monroe La Von Tease (DF)
– Flor do Oriente com Lola Montes (DF)
– Lolita com Mani Ly (DF)
– Tem Francesa no Morro com Aurora D´Vine (SP)
– Crazy Soldier com Vini (DF)
– Hooked on Classic com Sweetie Bird (SP)
– Indigo Blue com Triple Fan Dance (EUA)
– Cinema Italiano com Sete de Ouros (SP)
– Babaloo com Miss G (RG)
MUSICA AO VIVO com a The Black Cat Jazz Band

Ingressos Individual R$ 20,00 (inteira)
Mesa R$ 30,00 (cada pessoa)
. Acesso ao evento
Mesa VIP R$ 50,00 (cada pessoa)
. Acesso ao evento próximo ao palco
. Serviço de Garçom
Mesa Premium R$ 70,00 (cada pessoa)
. Acesso ao evento de frente ao palco
. Welcome Drink (espumante até 23h30)
. Serviço de Garçom
Vendas de mesas e ingressos pelo www.usina.loja2.com.br

Data: 27 de fevereiro (sábado)
Ingressos no local antes do evento: R$ 20,00 (inteira) até 0h. Após R$ 35,00 (ingresso único)
Informações Whatsapp 9241-8881
10h às 12h – Encontro de Criadores – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 18h – Sala de Vídeo (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 15h – Workshop Teatro de Revista (curso de dança sensual das vedetes brasileiras) com Aurora D´Vine – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
15h às 16h – Workshop Sexy Dance (curso de dança sensual criada e utilizada pelo Nostalgique Cabaret) com Mani Ly Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
17h às 18h – Workshop Sensualidade Burlesca (breve introdução expositiva e exercícios práticos de movimentação) com Sweetie Bird Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
18h às 19h – Workshop Tassle Twirling (diferentes maneiras de girar os pasties) com Sweetie Bird Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
23h Festa Burlesca às 23 horas (By A Simetria e Nostalgique Cabaret)
Apresentações:
– All About the Base com Delirious Fenix (RJ)
– Lady Vader com Black Rainbow (SP)
– Dirty Boys com Sherry Blondie (DF)
– Seven Nation Lady com Driele Vicondi (DF)
– Vortex Sisters com Lily Angel, Mani Ly e Belle Winter (DF)
– Miss Von Braun com Belle Winter (DF)

28 de fevereiro (domingo)
10h às 12h – Encontro de Criadores – Estúdio A (Usina Centro de Arte e Entretenimento)
14h às 18h – Sala de Vídeo (Foyer do Teatro Multiuso Yara de Cunto – Usina Centro de Arte e Entretenimento)

OUTROS EVENTOS:

EVENTOS GRATUITOS OU COM ENTRADA FRANCA

(Inscrições Gratuitas pelo Whatsapp (61) 9105-3286)
– Workshop de Afro com Valdemar Piaui.
– Contato Improvisação com Giovane Aguiar.
– Sala de Vídeo
– Mostra de Vídeo e Dança no Celular
– Mostra Internacional de Filmes Dançando para Câmera
– Encontro de Criadores (só para convidados)
– Performance

EVENTOS PAGOS:

– Workshop Teatro de Revista (curso de dança sensual das vedetes brasileiras) com Aurora D´Vine R$ 70,00 (Inscrições pelo Whatsapp (61) 9105-3286)
– Workshop Sexy Dance (curso de dança sensual criada e utilizada pelo Nostalgique Cabaret) com Mani Ly R$ 50,00 (Inscrições pelo Whatsapp (61) 9105-3286)
– Workshop Sensualidade Burlesca (breve introdução expositiva e exercícios práticos de movimentação) com Sweetie Bird R$ 70,00 (Inscrições pelo Whatsapp (61) 9105-3286)
– Workshop Tassle Twirling R$ 70,00 (diferentes maneiras de girar os pasties) com Sweetie Bird (Inscrições pelo Whatsapp (61) 9105-3286)
– Espetáculos e Conversando com o Artista Ingressos R$ 20,00 (Inteira)

Deixe uma resposta