X Bienal Internacional de Dança do Ceará

Indigo Rose_foto Arthur Wolkovier_dancers Ammanda Rosa & Nielson Souza
Cena de Indigo Rose – Foto: Arthur Wolkovier – Bailarinos: Ammanda Rosa & Nielson Souza

Iniciada há 18 anos, a Bienal festeja a 10ª edição em Fortaleza e oito cidades do interior, com programação de 23 de outubro a 08 de novembro. Em cena, artistas do Brasil, Argentina, Bélgica, Cabo Verde, Coréia, França, Portugal e Suíça. Na abertura, no Cineteatro São Luiz, a São Paulo Companhia de Dança interpreta dois dos maiores nomes da dança contemporânea, Jiri Kylian, com “Sechs Tänze” e “Indigo Rose”, e William Forsythe, com “workwithinwork”.
TODA A PROGRAMAÇÃO É GRATUITA.

Há 18 anos a Bienal Internacional de Dança do Ceará começava uma história longa, de intensa e contínua atividade de difusão e formação na capital e interior, com o mérito, ainda, de ter representado papel fundamental para o surgimento de cursos técnicos e de graduação superior em dança no estado.

Em 2015, a Bienal chega à 10ª edição, com programação de 23 de outubro a 08 de novembro em Fortaleza (23.10 a 02.11), Sobral (23 a 25.10), Juazeiro do Norte (27 a 30.10), Crato (28 e 29.10), São Gonçalo do Amarante – Taíba (30 e 31.10), Paracuru (31.10 e 01.11), Itapipoca (03 e 04.11), Trairí (05 e 06.11) e Uruburetama (07 e 08.11). Com o Patrocínio da Petrobras, Governo Federal e Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura, e o Co-Patrocínio da Caixa, a Bienal tem acesso gratuito a todos os espetáculos e atividades.

São mais de 70 apresentações de artistas locais, nacionais e internacionais na capital e nas oito cidades do interior, além de residências artísticas, oficinas, palestras e intervenções em espaços públicos. Em Fortaleza, a Bienal acontecerá em importantes equipamentos culturais – Theatro José de Alencar, Cineteatro São Luiz, Teatro Dragão do Mar, Sesc Senac Iracema, CUCAs Barra e Mondubim, e na Praça das Artes, na Granja Portugal, em parceria com o Centro Cultural Bom Jardim.

Nesta edição, a Bienal recebe artistas da Argentina, Bélgica, Cabo Verde, Coréia, França, Portugal e Suíça, além de atrações nacionais de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. A cena local se fará presente por meio de criadores de Fortaleza, Paracuru, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Trairí, Itapajé, Tururu e Uruburetama.

Em cena, mais de 200 bailarinos de técnicas e linguagens diversas nos palcos desta Bienal, que segue firme depois de 18 anos com os propósitos de contribuir para dinamizar a difusão da dança cênica, promover o diálogo da cena local com outros contextos, fomentar o intercâmbio de experiências artísticas, a reflexão, a circulação e a produção de conhecimento na área.

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA na ABERTURA

Na noite de abertura, dia 23, no Cineteatro São Luiz, a São Paulo Companhia de Dança volta à Bienal para interpretar coreografias dos dois maiores nomes da dança contemporânea, Jiri Kylian, com “Sechs Tänze” e “Indigo Rose”, e William Forsythe, com “workwithinwork”.

Depois do espetáculo, a Bienal terá festa de abertura na Praça dos Leões, com show de Karine Alexandrino e DJ Guga de Castro. A festa abre as Fringes da Bienal, a já tradicional programação paralela de música, que congrega artistas e público para celebrar a arte e a vida além dos palcos. Até o dia 01 de novembro, as Fringes vão acontecer à noite na Praça dos Leões, no Centro de Fortaleza. A programação poderá ser consultada no site da bienal.

BALÉ TEATRO GUAÍRA apresenta “ROMEU E JULIETA” e “CINDERELA”

O Balé Teatro Guaíra, que em 2012 abriu a Bienal com “A sagração da primavera”, volta com “Romeu e Julieta”, nos dias 30 e 31 de outubro, respectivamente na Taíba e em Paracuru.

Nos dias 01 e 02 de novembro, a Bienal encerra a programação de Fortaleza com uma super produção no Cineteatro São Luiz: “Cinderela”, uma versão contemporânea do coreógrafo espanhol Gustavo Ramirez Sansano, criada em 2014 especialmente para o Balé Teatro Guaíra em comemoração aos 45 anos da companhia. É um espetáculo ambientado nas décadas de 50 e 60 do século XX, que traz um universo repleto de encantamento e ludicidade para o público.

DE VOLTA À BIENAL

Além da São Paulo Companhia de Dança e do Balé Teatro Guaíra, retornam à Bienal este ano grandes nomes da dança contemporânea internacional. A americana radicada na França, Carolyn Carlson traz “Immersion”; “Tordre”, uma criação de Rachid Ouramdane, artista associado ao Théâtre de la Ville de Paris e à Bonlieu Scène nationale – Annecy, será apresentado pelas bailarinas Annie Hanauer e Lora Juodkaite, que há anos acompanham o trabalho do coreógrafo francês; a portuguesa Vera Mantero traz “Os Serrenhos do Caldeirão, exercícios em antropologia ficcional”; a cearense radicada em São Paulo, Clarice Lima, que em 2012 realizou residência artística e levou a performance “Árvores” ao calçadão da Praia de Iracema, apresenta este ano “Interpretes em Crise”; e o mineiro Rui Moreira, retorna à Bienal, dessa vez para apresentar “Co Ês”, proferir palestra sobre “África e Dança” e, dentro dos Percursos de Criação da Bienal, realizar uma co-produção com a Cia. Balé Baião, de Itapipoca.

MAIS INTERNACIONAIS

Dentre as atrações internacionais, a Bienal também recebe este ano convidados do Cabo Verde, Coréia, Bélgica, Suíça e Argentina. O Cabo Verde estará presente à Bienal com a companhia Raiz di Polon, apresentando “Cidade Velha”, e Djam Projects no solo “Je suis um Quackverdiano”; da Coreia vem Hyoseung Ye com os trabalhos “Chaosmos”, “Traces” e “N(own)ow”; da Bélgica vem VOETVOLK, com “It’s Going to get worse and worse and worse my friend” criação de Lisbeth Gruwez; Cie Ioannis Mandafounis, da Suíça, traz à Bienal “ApersonA”; e da Argentina vem KM29 com “Duramadre”.

RIO, MINAS E CEARÁ

Esta edição comemorativa da Bienal terá importantes nomes da dança no Ceará. Silvia Moura apresenta “INSTALAFORMANCE II – Não Pise no Vestido” e um de seus grandes solos “A Cadeirinha e Eu”, que em 2012 abriu a Bienal com Fauller, da Cia Dita, que este ano participa com “Mulata”; comemorando 20 anos de atividade, a Cia Balé Baião, de Itapipoca, traz de seu repertório “Receita de Baião e Outros Pratos”, que tem a direção dramatúrgica de Andréa Bardawil, abrindo a programação no Theatro José de Alencar, e uma co-produção com o coreógrafo Rui Moreira (Minas Gerais) “Bori – alimentando sua cabeça”; Alysson Amancio Cia de Dança, de Juazeiro do Norte, também retorna aos palcos da Bienal, apresentando nesta edição “KARIMAI”; e de Clarissa Costa e João Paulo Lima, será apresentado “KAHLOS”.

E mais, a Bienal este ano também recebe a Cia Híbrida, dirigida pelo bailarino e coreógrafo Renato Cruz, do Rio de Janeiro, com “Moto Sensível”, segunda parte da trilogia iniciada com o espetáculo “Estéreos Tipos”, e a coreógrafa e bailarina mineira Dudude, que em 2012 celebrou 40 anos de carreira, apresenta o solo “A Projetista”, onde disserta, em cena, sobre o seu possível e próximo projeto artístico. Este trabalho nasce de experiências adquiridas ao lidar com os mecanismos vigentes de viabilização da cultura e da arte, cada vez mais amarrados às prestações fiscais, engessados por um controle exato.

PERCURSOS FORMATIVOS: Políticas Públicas em debate

A Bienal, com o seu programa Dança em Palavras, promove, no dia 24 de outubro, uma discussão sobre Políticas Públicas com a colaboração de acadêmicos, gestores e especialistas em direitos culturais. A programação começa às 17h, no Foyer do Theatro José de Alencar, com a palestra “A Arte e o Estado”, proferida pelo professor Humberto Cunha, Mestre e Doutor em Direito, pesquisador com estudos sobre direitos culturais, cultura, patrimônio cultural, políticas culturais e direitos fundamentais.

Para debater “O estado da arte” a Bienal promove uma roda de conversa às 17h30 com Silas de Paula, fotógrafo, doutor pela Universidade de Loughborough (Inglaterra), professor do Instituto de Cultura e Arte – ICA da Universidade Federal do Ceará.

Na sequência, o tema debatido é “O Estado do Ceará e a formação em Dança”, com a participação do Secretário de Cultura do Estado, Guilherme Sampaio, e dos gestores e profissionais da dança, Cláudia Pires, Silvia Moura, Márcio Caetano e Flávio Sampaio. O debate será mediado por Ernesto Gadelha.

Aproveitando o ensejo dessas discussões, a Bienal apresentará, ao longo de sua programação, um recorte da produção coreográfica gestada no âmbito de formações públicas em dança, como a Formação Básica em Dança da Vila das Artes, as graduações em Dança da Universidade Federal do Ceará e o Curso Técnico em Dança do SENAC/Centro Dragão do Mar.

PERCURSOS FORMATIVOS: Trajetos EnCena

A realização de ações compartilhadas de formação, de colaborações entre instituições e de intercâmbios artísticos tem sido uma constante ao longo da história da Bienal. A promoção da inclusão profissional, por sua vez, vem tornando-se um aspecto cada vez mais presente nas propostas pedagógicas das várias instâncias que promovem ações formativas em arte e cultura. Atentas a essa questão, Bienal, Rede CUCA, Centro Cultural Bom Jardim e Vila das Artes realizam o Trajetos EnCena, uma ação a um só tempo artística e formativa que se mobiliza a partir da seguinte questão: como contribuir para o acesso de jovens e adolescentes aos saberes e¬ fazeres da cena teatral, seja no palco ou nas coxias?

O Trajetos EmCena divide-se em duas ações distintas e interligadas que configuram uma forma de acesso aos palcos: De um lado, a produção de duas obras coreográficas, criadas durante os ateliês realizados de 10 de setembro a 23 de outubro, envolvendo jovens bailarinos dos Cucas e do CCBJ, sob a coordenação de dois experientes coreógrafos convidados, Edvan Monteiro e Andreia Pires. O resultado desse trabalho será apresentado em Fortaleza na Bienal. A criação da luz para as duas obras é resultado da outra parte desta ação, o curso de iluminação cênica, cujos participantes também atuarão como estagiários nas equipes técnicas da Bienal 2015.

PERCURSOS FORMATIVOS: Oficinas e Palestras

Oficinas e palestras estão também nos Percursos Formativos da Bienal 2015, com a participação de bailarinos locais, nacionais e internacionais.

Residência Dançar Dói com Clarice Lima e Aline Bonamin (CE/SP) – Um ambiente de troca e prática reflexiva que convida profissionais e estudantes de dança a mergulharem no universo do espetáculo “Intérpretes em Crise”, que será apresentado por elas na Bienal. A residência acontecerá de 26 a 28 de outubro em Fortaleza, no SESC Senac Iracema, das 14h às 19h (Inscrições na Vila das Artes), e no dia 30 em Juazeiro do Norte, na Associação Dança Cariri, das 14h às 17h (Inscrições no local).

Ateliê com Ioannis Mandafounis e Elena Giannotti (Suíça) – Serão compartilhados com os participantes procedimentos utilizados na pesquisa do vocabulário gestual que deu origem à criação “ApersonA”, espetáculo coreográfico inspirado no gênero musical recitativo, que será apresentado na Bienal. A atividade acontecerá de 27 a 29 de outubro, das 10h às 14h, no SESC Senac Iracema (Inscrições na Vila das Artes).

Hyoseung Ye (Coreia) – Através de procedimentos diversos, o artista coreano irá estimular os participantes a partirem de suas autobiografias como mote para a criação de obras coreográficas. Para tanto, irá basear-se nas pesquisas de vocabulário que realizou para a criação de “Traces” e “Chaosmos”, que apresentará na Bienal. A oficina acontecerá no dia 27, das 8h às 12h, no CUCA Barra do Ceará (Inscrições no local).

Dança Afro Caboverdiana – Ministrada por Djam Neguim (Cabo Verde), no dia 04 de novembro, das 9h às 13h, no Galpão da Cena, em Itapipoca.

Danças Urbanas – Djam Neguim (Cabo Verde) ministra a oficina no dia 06 de novembro, das 9h às 13h no CPTA – Centro de Promoção Turístico e Ambiental, em Trairí.

Dança Contemporânea Afro Brasileira – Oficina ministrada por Gerson Moreno, da Cia Balé Baião, no dia 06 de novembro, das 9h às 13h, no CPTA – Centro de Promoção Turístico e Ambiental, em Trairí.

Dança Contemporânea (Thiago Soares) e Dança Afro Brasileira (Gerson Moreno) – As duas oficinas serão realizadas no dia 08 de novembro, das 9h às 13h, no Auditório da Escola Maria Julia Bonfim, em Uruburetama.

Palestras sobre Iluminação para a Dança, Sonotecnia Cênica e Produção Cultural foram proferidas em agosto no CUCA Barra, respectivamente por três conceituados profissionais da área no Ceará, Walter Façanha, Bebeco e Valéria Cordeiro. No dia 26 de outubro, é a vez do mineiro Rui Moreira falar sobre “África e Dança” às 14h no Galpão da Cena, em Itapipoca.

PERCURSOS DE CRIAÇÃO: Co-produções

Ainda na perspectiva das colaborações, a Bienal inicia os Percursos de Criação com a realização de duas co-produções artísticas envolvendo duas atuantes companhias de dança sediadas no interior do estado e coreógrafos convidados, cujas obras em processo serão apresentadas na Bienal. O trabalho do coreógrafo Airton Rodrigues (PR) com a Paracuru Cia de Dança, que comemora 15 anos de atuação, resulta em “Bar baros”, com apresentação no dia 29 no Theatro José de Alencar, e Rui Moreira (MG), que é uma das atrações da Bienal, assina “Bori – alimentando sua cabeça”, com a Cia. Balé Baião, de Itapipoca, que será levada apresentado em frente ao Teatro Dragão do Mar no dia 31 de outubro.

A X Bienal Internacional de Dança do Ceará tem o Patrocínio da Petrobras, Governo Federal e Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura. Co-Patrocínio: Caixa. Agradecimento Especial: Coelce. Apoio institucional: Institut Français, Prefeituras de Itapipoca, Trairí, Paracuru, São Gonçalo do Amarante, Uruburetama, Crato e Sobral.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

FORTALEZA

SEXTA, 23 DE OUTUBRO

21:00 – “workwithinwork / Indigo Rose / Sechs Tänze” – São Paulo Cia de Dança (São Paulo)
LOCAL: Cineteatro São Luiz

SÁBADO, 24 DE OUTUBRO

17:00 – Dança em Palavras: “A Arte e o Estado” – Professor Humberto Cunha – Espaço: Foyer do TJA
LOCAL: Theatro José de Alencar

17:30 – Dança em Palavras: “O estado da arte” – Professor Silas de Paula – Espaço: Foyer do TJA
LOCAL: Theatro José de Alencar

18:00 – Dança em Palavras: “O Estado do Ceará e a formação em Dança” – Participação do Secretário de Cultura do Estado, Guilherme Sampaio, e dos gestores e profissionais da dança, Cláudia Pires, Silvia Moura, Márcio Caetano e Flávio Sampaio. Mediação: Ernesto Gadelha – Espaço: Foyer do TJA
LOCAL: Theatro José de Alencar

19:00 – Comemoração 20 anos da Cia Balé Baião – Espetáculo “Receitas de baião e outros pratos”. Direção dramatúrgica: Andréa Bardawil. Concepção e proposições: Gerson Moreno. Lançamento do livro coletivo: “DANÇA BALÉ BAIÃO, 20 ANOS EM COMPANHIA” e do vídeo-documentário “Na oficina do Seu Zé”, sob direção de Cacheado Braga – Espaço: Palco Principal
LOCAL: Theatro José de Alencar

19:00 – “Duramadre” – KM29 (Argentina)
Local: CUCA Mondubim

21:00 – “ApersonA” – Cie Ioannis Mandafounis (Suíça)
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

DOMINGO, 25 DE OUTUBRO

17:00 – “Mulata” – Cia Dita (Fortaleza). Espaço: Foyer
LOCAL: Theatro José de Alencar

18:00 – “Intérpretes em Crise” – Clarice Lima (Ceará/São Paulo)
Local: Sesc Senac Iracema

18:00 – “A Cadeirinha e Eu” – Silvia Moura (Fortaleza)
“Receita de Baião e Outros Pratos” – Balé Baião (Itapipoca – Ceará)
Bienal Internacional de Dança apresenta:
Trajetos EnCena: “Arrastão” Coreografia: Edvan Monteiro
Local: Praça das Artes (Praça da Juventude – Granja Portugal)

19:00 – “Tordre” – ASSOCIATION L’A – Coreografia de Rachid Ouramdane (Franca)
LOCAL: Cineteatro São Luiz

SEGUNDA, 26 DE OUTUBRO

19:00 – “INSTALAFORMANCE II – Não Pise no Vestido” – Silvia Moura (Fortaleza)
Local: Sesc Senac Iracema

21:00 – “Duramadre” – KM29 (Argentina)
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

TERÇA, 27 DE OUTUBRO

18:00 – Percursos Formativos: “Salve” A Vacalhada – Curso de Dança da UFC. Coreografia: Andréia Pires (Fortaleza)
Local: Sesc Senac Iracema

19:30 – Percursos Formativos: “Um Xis” – Curso de Dança da UFC
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

21:00 – “Cidade Velha” – Raiz di Polon (Cabo Verde)
Local: Sesc Senac Iracema

QUARTA, 28 DE OUTUBRO

18:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Trajetos EnCena: “Até o mundo sumir”. Coreografia: Andréia Pires (Fortaleza) – Espaço: Teatro CDMAC
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

19:00 – “Interpretes em crise” – Clarice Lima (Ceará/São Paulo)
Local: CUCA Barra do Ceará

20:00 – “Chaosmos” e “Traces” – Hyoseung Ye (Coreia)
Local: Sesc Senac Iracema

21:00 – “Immersion” e “Burning” – Carolyn Carlson Company (França/ EUA). Espaço: Palco Principal
LOCAL: Theatro José de Alencar

QUINTA, 29 DE OUTUBRO

18:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Percursos de Criação: “Bar baro” – Paracuru Cia de Dança (Paracuru – Ceará). Coreografia: Airton Rodrigues.
Trajetos EnCena: “Arrastão” – Coreografo: Edvan Monteiro
Espaço: Palco Principal
LOCAL: Theatro José de Alencar

19:00 – “KAHLOS” – Clarissa Costa e João Paulo Lima (Fortaleza)
Local: CUCA Barra do Ceará

20:00 – “Moto Sensível” – Cia Híbrida (Rio de Janeiro)
Local: Sesc Senac Iracema

21:00 – “Os Serrenhos do Caldeirão, exercícios em antropologia ficcional” – Vera Mantero (Portugal)
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

SEXTA, 30 DE OUTUBRO

18:00 – “Sobre os próprios pés”- N ∞ (Fortaleza)
“Livre, Leve, Soul’to!” – Grupo Ritmo Soul’to (Fortaleza)
“Moto Sensível” – Cia Híbrida (Rio de Janeiro)
Local: Praça das Artes (Praça da Juventude – Granja Portugal)

18:00 – Percursos Formativos: “KKKKK”, “Inquietos” e “Perfeitamente Incompleto” – Curso Técnico em Dança; “Outro Tango, revisitado” – Vila das Artes
Espaço: Palco principal
LOCAL: Theatro José de Alencar

20:00 – “A Projetista” – Dudude (Minas Gerais)
Local: Sesc Senac Iracema

21:00 – “N(own)ow” – Hyoseung Ye – Blue Poet D.T.(Coreia)
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

SÁBADO, 31 DE OUTUBRO

18:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Percursos de Criação: “Bori – alimentando sua cabeça” – Cia Balé Baião (Itapipoca – Ceará). Coreografia: Rui Moreira. Espaço: Arena Dragão do Mar
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

20:00 – “Co Ês” – Rui Moreira (Minas Gerais)
Local: Sesc Senac Iracema

21:00 – “IT’S GOING TO GET WORSE AND WORSE AND WORSE, MY FRIEND” -Lisbeth Gruwez – VOETVOLK (Bélgica)
Local: Teatro Dragão do Mar – CDMAC

DOMINGO, 01 DE NOVEMBRO

18:00 – “Cinderela” – Balé Teatro Guaíra (Paraná)
LOCAL: Cineteatro São Luiz

SEGUNDA, 02 DE NOVEMBRO

18:00 – “Cinderela” – Balé Teatro Guaíra (Paraná)
LOCAL: Cineteatro São Luiz

SOBRAL

SEXTA, 23 DE OUTUBRO

20:00 – “Duramadre” – KM29 (Argentina)
Local: Theatro São João

SÁBADO, 24 DE OUTUBRO

20:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Percursos de Criação: “Bar baro” – Paracuru Cia de Dança (Paracuru) Coreografia: Airton Rodrigues.
Local: Theatro São João

DOMINGO, 25 DE OUTUBRO

20:00 – “ApersonA” – Cie Ioannis Mandafounis (Suíça)
Local: Theatro São João

JUAZEIRO DO NORTE

TERÇA, 27 DE OUTUBRO

20:00 – “Moto Sensível” – Cia Híbrida (Rio de Janeiro)
Local: SESC Juazeiro do Norte

QUARTA, 28 DE OUTUBRO

20:00 – “KARIMAI” – Alysson Amancio Cia de Dança (Juazeiro do Norte)
Local: Centro Cultural Banco do Nordeste – CCBNB – Juazeiro

SEXTA, 30 DE OUTUBRO

20:00 – “Intérpretes em Crise” – Clarice Lima (Ceará/São Paulo)
Local: Associação Dança Cariri

CRATO

QUARTA, 28 DE OUTUBRO

20:00 – “Moto Sensível” – Cia Híbrida (Rio de Janeiro)
Local: Praça da RFFSA

QUINTA, 29 DE OUTUBRO

19:00 – “KARIMAI” – Alysson Amancio Cia de Dança (Juazeiro do Norte)
20:00 – “Intérpretes em Crise” – Clarice Lima (Ceará/São Paulo)
Local: Praça da RFFSA

SÃO GONÇALO DO AMARANTE – TAÍBA

SEXTA, 30 DE OUTUBRO

20:00 – “Romeu e Julieta” – Balé Teatro Guaíra (Paraná)
21:00 – Show “Tripulantes da Sabiabarca” (Fortaleza)
Local: Praça da Taíba

SÁBADO, 31 DE OUTUBRO

18:00 – “Ritmos Urbanos” – Geração Break; “O roubo de uma infância” – Ministério Shalem; “Dança de Hip Hop” – The Dreamrs (Taíba)
19:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Percursos de Criação: “Bar baro” – Paracuru Cia de Dança (Paracuru) Coreografia: Airton Rodrigues.
20:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Trajetos EnCena: “Até o mundo sumir” Coreografia: Andréia Pires (Fortaleza)
21:00 – “Platô” – Djam Projects (Cabo Verde)
Local: Praça da Taíba

PARACURU

SÁBADO, 31 DE OUTUBRO

20:00 – “Romeu e Julieta” – Balé Teatro Guaíra (Paraná)
22:00 – Show com Tempero do Rasta (Fortaleza)
23:00 – Festa comemorativa dos 15 anos da Paracuru Cia de Dança. DJ Guga de Castro e banda Tempero do Rasta – Espaço: Anfiteatro do Riacho Doce.
Local: Praça da Matriz

DOMINGO, 01 DE NOVEMBRO

21:00 – Bienal Internacional de Dança apresenta:
Percursos de Criação: “Bar baro” – Paracuru Cia de Dança (Paracuru) Coreografia: Airton Rodrigues.
Local: Praça da Matriz

ITAPIPOCA

TERÇA, 03 DE NOVEMBRO

19:00 – “A dança da Boneca” – Grupo de Dramas Populares (Itapipoca); “Maquinaria” – Dançarinos-operários da DASS (Itapipoca); “Outros tempos” – Cia de Dança de Uruburetama; Solo “Repertórios Morenos” – Gerson Moreno/Cia Balé Baião (Itapipoca). Atrações musicais: Diego Viana e a performance “Café e terra: Pés e mãos, Céu e chão”; João Vitor e convidados (Itapipoca).
Local: Ponto de Cultura Galpão da Cena

QUARTA, 04 DE NOVEMBRO

09:00 – Oficina de Dança Afro Caboverdiana com Djam Neguim
19:00 – solo “Je suis um Quackverdiano” – Djam Projects (Cabo Verde); “Cafuçus” – Núcleo de Pesquisa e Criação em Danças Afro Contemporâneas (Itapipoca); “Rebelião do paço” – Escola livre Balé Baião (Itapipoca). Atração musical: Percussão Balanço do Coqueiro (Sitio Coqueiro – Assentamento Maceió / Itapipoca).
Local: Ponto de Cultura Galpão da Cena

TRAIRI

QUINTA, 05 DE NOVEMBRO

19:00 – Solo “Vida ou morte ao boi” – Thiago Soares/Cia Flex (Trairí); “Outros tempos” – Cia de Dança de Uruburetama; “Quietos” – Cannan Cia de Dança (Trairí); Solo “Repertórios Morenos” – Gerson Moreno/Cia Balé Baião (Itapipoca). Atração musical: Solos de Mestres – Guitarradas.
Local: CPTA – Centro de Promoção Turístico e Ambiental

SEXTA, 06 DE NOVEMBRO

09:00 – Oficinas de Dança Contemporânea Afro Brasileira (Gerson Moreno) e Danças Urbanas (Djam Neguim)
19:00 – “Cinco para uma dança” – Arreios Cia de Dança (Trairí); Solo “Ritual” – Nazaré Rocha (Itapajé); “Solos proibidos em tempos de intolerância” – Cia Rebentos (Itapipoca); solo “Je suis um Quackverdiano” – Djam Projects (Cabo Verde). Atrações musicais: Coco do Alagadiço e Cia Flex (Trairí).
Local: CPTA – Centro de Promoção Turístico e Ambiental

URUBURETAMA

SÁBADO, 07 DE NOVEMBRO

19:00 – “Outros tempos” – Cia de Dança de Uruburetama; Grupo de Dança Afro de Água Preta (Tururu); Grupo de Dramas Populares da Serra do Retiro (Uruburetama); Solo “Vida ou morte ao boi” – Thiago Soares/Cia Flex (Trairi); Dança Maculêlê e roda de samba – Capoeira Zumbi (Uruburetama)
Local: Auditório da Escola Maria Júlia Maia Bonfim

DOMINGO, 08 DE NOVEMBRO

09:00 – Oficina de Dança Contemporânea (Thiago Soares) e Dança Afro Brasileira (Gerson Moreno).
19:00 – “Solos proibidos em tempos de intolerância” – Cia Rebentos (Itapipoca); Solo “Ritual” – Nazaré Rocha (Itapajé); “Parágrafos e reticências” – Arreios Cia de Dança (Trairí). Atração musical: Banda Kactroz (Uruburetama).
Local: Auditório da Escola Maria Júlia Maia Bonfim

ENDEREÇOS

FORTALEZA

CUCA Barra do Ceará
Av. Pres. Castelo Branco, 6417 – Barra do Ceará
(85) 3211.4308 ou 3211.4320

CUCA Mondubim
Santa Marlúcia, s/n – Mondubim
(85) 3499.0019 / 3499.0018 / 3499.0017

Vila das Artes
Rua 24 de Maio, 1221 – Centro
(85) 3252-1444

Theatro JosÉ de Alencar
R. Liberato Barroso, 525 – Centro
(85) 3101-2583

CDMAC
R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema
(85) 3488-8600

Sesc Senac Iracema
R. Bóris – Centro
(85) 3452-7065

Cineteatro São Luiz
Rua Major Facundo, 500 – Centro
(85) 98799-1723

SOBRAL

ECOA
R. Conselheiro Rodrigues Júnior, 5 Centro
(88) 3111-0257

Teatro São João
Av. Dom José, 881 – Centro
(88)3611-2430

TRAIRÍ

CPTA
Av. Miguel Pinto Ferreira, 145
Planalto Norte

ITAPIPOCA

Ponto de Cultura Galpão da Cena
Rua Raimundo Lopes de Sousa 331 – Coqueiro

Centro Cultural Banco do Nordeste – CCBNB
Rua São Pedro, 333 – Centro

PARACURU

Escola de Dança de Paracuru
R. Pedro B Meireles, 175 – Bairro Boca do Poço
(85) 8893-1984

Praça da Matriz
Praça de eventos, s/n – Centro

JUAZEIRO

Associação Dança Cariri
Rua Conceição, 1391 – São Miguel

Centro Cultural Banco do Nordeste – CCBNB
Rua São Pedro, 333 – Centro

SÃO GONÇALO DO AMARANTE

Praça da Taíba
R. Pedro B Meireles, 175 – Bairro Boca do Poço
(85) 8893-1984

CRATO

Praça da REFESA
Rua Ratisbona, s/n – Centro

URUBURETAMA

Auditório da Escola Maria Julia Maia Bonfim
Rua Major Sales, 536,
(85) 3353-1083

SERVIÇO

X Bienal Internacional de Dança do Ceará
De 23 de outubro a 08 de novembro
Ingressos: Toda programação é gratuita
Informações: (85) 3497-5981 / 3268-3034 / 98733-8812 – info@bienaldedanca.com
Site oficial: http://www.bienaldedanca.com
Facebook: https://www.facebook.com/bienaldedanca