Sesc Belenzinho oferece vasta programação de dança durante o mês de setembro

Durante todo o mês de setembro o Sesc Belenzinho oferecerá uma grande programação de dança, com aula aberta, oficina, vivência e espetáculos. Confira abaixo a programação completa.

Aula aberta

Evolução dos Ritmos
Evoludança

[Semana Move 2018 – #SemanaMove2018 acontece no Brasil e países da América Latina e mostra ao público a importância de praticar esportes e atividades físicas]

Aula aberta de dança envolvendo ritmos das décadas dos anos 60,70,80 e 90. A cada aula será abordado um ritmo que remete a uma década, possibilitando a experiência das pistas de dança e sua transformação ao longo do tempo.

Até 30/09
Domingos, das 16h às 17h20
Local: Sala de Expressão Corporal I.
Livre | Grátis

Espetáculo

Jam de Dança para Todos
Com Cia Dança sem Fronteira

[Poéticas oo Acesso – Programação a partir de um eixo curatorial que pensa a acessibilidade como criação poética]

As atividades da Companhia Dança sem Fronteiras são realizadas com abordagem na cultura corporal do movimento acessível a todas e todos, levando em conta a diversidade dos participantes. A metodologia enfatiza o potencial expressivo com foco na criatividade e igualdade. A companhia trabalha com o processo de improvisação na dança e utiliza técnicas de consciência corporal, improvisação, dinâmicas de dança-teatro e DanceAbility.

Dia 16/09
Domingo, às 17h
Local: Galpão.
Livre | Grátis

Égua
Com Josefa Pereira e Patrícia Bergantin

A montagem Égua parte da potência animal, afirmando o gênero feminino: este outro/a estranho, o ‘segundo sexo’. A performance traz a potência de uma égua como a permissão para ser contraproducente ou selvagem como característica inata e persistente, colocando em movimento um campo de forças propulsoras e opressoras. Correr, comer, rosnar, lamber, rir, dormir, rastejar, recusar e intuir são verbos que colocam em cheque códigos de conduta e de subordinações/adaptações. A peça propõe movimentos para farejar resquícios de modos esquecidos de existir. Ficha técnica – Concepção, direção e performance: Josefa Pereira e Patrícia Bergantin. Desenho sonoro: Luisa Puterman. Desenho de luz: Aline Santini. Colaboração visual: Manuela Eichner. Duração: 50 minutos.

De 22 e 23/09
Sábado, às 20h. Domingo, às 17h
Local: Sala de Espetáculos II.
Não recomendado para menores de 18.
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia). R$ 6,00 (credencial plena).

Hidebehind
Solo de Josefa Pereira

Hidebehind é o monstro que habita florestas escuras e nunca pode ser visto ou ter a sua forma descrita. Por possuir a incrível habilidade de estar sempre escondido atrás daquele que ousa caminhar por florestas escuras ou mesmo atrás dos mais finos troncos de árvores, misteriosamente provoca o desaparecimento para sempre daqueles que consegue capturar. Josefa Pereira é performer e coreógrafa. Concluiu a criação Hidebehind no contexto do Programa Avançado de Criação em Artes Performativas (PACAP), promovido pelo Forum Dança (Lisboa-PT), com curadoria de Patrícia Portela. Dedica-se à criação autoral desde a graduação em Comunicação das Artes do Corpo (PUC-SP), em torno de interesses como coletividade, presença e gestualidade, tendo o corpo como campo de tensionamento estético e político. Ficha técnica: Concepção e performance: Josefa Pereira. Desenho de luz: Aline Santini. Duração: 40 minutos.

Dias 29 e 30/09
Sábado, às 20h. Domingo, às 17h
Local: Sala de Espetáculos. Não recomendado para menores de 18.
Ingresso: R$ 20,00 (inteiro) R$ 10,00 (meia). R$ 6,00 (credencial plena).

Eni – Cortejo e Intervenção de Cultura Popular
Com Grupo Cangarussu

[De Lá pra Cá – Projeto que contempla as diversas manifestações populares brasileiras em suas mais variadas linguagens e leituras]

Inspirado nos blocos afros, o grupo propõe uma performance com música e dança, que convida o espectador a viajar pela cultura afro-americana. O cortejo afro é composto por 15 integrantes entre cantores, dançarinos e músicos (orquestra percussiva e de sopros). Entre os ritmos tocados estão: samba reggae, funk, salsa, surdo virado, guaguancó, yankadi, makru, sabar, maracatu, afoxé e ijexá. Também compõem esse cortejo canções próprias e de compositores parceiros, que trazem nas letras temas da cultura afro-brasileira.

Grupo Cangarussu – Fundado há oito anos pelo músico baiano Giba Santana e reúne músicos, cantores e bailarinos que pesquisam – e poetizam – juntos à diversidade cultural da América Latina e da África, unindo e transformando musicalidades enicas e de raiz. O Cangarussu já realizou diversas apresentações no Brasil e exterior, entre elas: 5º Gorée Diáspora Festival (Ilha de Gorée, Senegal), Virada Cultural 2012/Sesc Interlagos; Dia da Consciência Negra (Museu Afro Brasil, Casa das Rosas e Minhocão), Festival Encanta Vale (MG), 6ª FOPP (Paranapiacaba), Do Dendê ao Baque Virado (Casa das Caldeiras), Fuzuê, Sesc (Interlagos, Campinas, Campo Limpo e outros). Em 2018 o grupo faz 10 anos de carreira.

Dia 30/09
Domingo, das 18h às 19h
Local: Praça.
Livre | Grátis

Oficina

Encontro de Apreciadores
Com Josefa Pereira e Patrícia Bergantin

Tendo como matéria as peças de dança Égua e Hidebehind, as artistas convidam o público a mobilizar práticas e discussões em torno do que é ser espectador. Além da contemplação estética, a proposta é investigar a apreciação enquanto aguçamento da reflexão. Durante 4 encontros, o grupo trabalhará questões como: os parâmetros de observação em torno de um objeto, como inventar outros modos de estar espectador, a possibilidade de partilhar ferramentas que permitam despadronizar nosso olhar. Com Joseja Pereira e Patrícia Bergantin.

Público: Apreciadores e interessados em dança.

Grátis. Inscrições: mediante envio de carta de interesse, até dia 14/09. para oficinadedanca@belenzinho.sescsp.org.br. Não recomendado para menores de 18.

De 19 a 27/09
Quartas e quintas, das 15h às 19h

Vivência

Mistura Brasil
Com Grupo Cangarussu

A vivência propõe a troca de experiências espirituais, corporais e culturais em um jogo simbólico e rítmico entre os participantes. São apresentados ritmos e passos do maracatu, ijexá, samba de roda, côco, baião, congada, moçambique, samba reggae, samba afro, funk, salsa, surdo virado, guaguancó, yankadi, makru, sabar, entre outros. Grupo Cangarussu – Fundado há oito anos pelo músico baiano Giba Santana e reúne músicos, cantores e bailarinos que pesquisam – e poetizam – juntos à diversidade cultural da América Latina e da África, unindo e transformando musicalidades enicas e de raiz. O Cangarussu já realizou diversas apresentações no Brasil e exterior, entre elas: 5º Gorée Diáspora Festival (Ilha de Gorée, Senegal), Virada Cultural 2012/Sesc Interlagos; Dia da Consciência Negra (Museu Afro Brasil, Casa das Rosas e Minhocão), Festival Encanta Vale (MG), 6ª FOPP (Paranapiacaba), Do Dendê ao Baque Virado (Casa das Caldeiras), Fuzuê, Sesc Interlagos/Campinas/Campo Limpo e outros. Em 2018 o grupo faz 10 anos de carreira.

Dia 30/09
Domingo, das 14h às 16h
Local: Sala de Expressão Corporal 2.
Livre | Grátis
Vagas Limitadas – Senhas com 30 min. de antecedência no local

Crédito da foto: João Abreu | Cena de Hindbehind, solo de Josefa Pereira

Serviço

Sesc Belenzinho
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho, São Paulo – SP
Belenzinho – São Paulo (SP). Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br/belenzinho
Estacionamento: Para espetáculos com venda de ingressos após as 17h: R$ 15,00 (não matriculado); R$ 7,50 (credencial plena no SESC – trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo/ usuário).

Deixe uma resposta