Paço das Artes abriga ocupação Perversos Polimorfos

perversos polimorfos paço das artes

Entre 20 de janeiro e 8 de fevereiro, a Cia. Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali, realiza uma ocupação intensiva no Paço das Artes, museu sediado na Cidade Universitária (USP), contando com 18 apresentações, de terça a domingo, de três espetáculos – “Movimento para um homem só” (2014); “Imagem-nua e outros contos” (2013); e “Ânsia” (2011) – e com o workshop “O neutro e a potencialização do movimento”, no dia 5 de fevereiro, para compartilhamento da pesquisa corporal e dramatúrgica desenvolvida pela cia. A ocupação oferece um panorama expressivo da produção da companhia, que aposta no poder da imagem, no jogo coreográfico e na cumplicidade do espectador para suscitar uma liberação criativa de fantasias. As atividades são gratuitas.

O primeiro trabalho a ser apresentado, “Movimento para um homem só”, terá duas sessões semanais, sempre às terças e quartas – dias 20 e 21; 27 e 28 de janeiro, e 03 e 04 de fevereiro. Sob direção de Ricardo Gali e interpretado pelos bailarinos Jerônimo Bittencourt e Lucas Delfino, o dueto foi inspirado nas intervenções criadas pelo artista plástico inglês Banksy em parceria com os grafiteiros brasileiros Os Gêmeos para a ocupação “Better out than in”, com quadros expostos embaixo de uma ponte de Nova Iorque, em outubro de 2013, como forma de satirizar as galerias de arte e apoiar o movimento Occupy, que levou jovens às ruas para protestar contra a desigualdade econômica e social e a corrupção. O trabalho dá continuidade e aprofunda a pesquisa iniciada pela Cia. no espetáculo “Banksy Bang”, de 2010, contemplado pelo Prêmio Klauss Viana, e teve sua produção realizada em parceria com o 18º Cultura Inglesa Festival.

“Imagem-nua e outros contos” faz temporada corrida de 22 a 25 de janeiro (quinta a domingo). O trabalho estabelece relação entre os questionamentos do filósofo português José Gil – um dos pensadores da atualidade a se debruçar sobre a especificidade do corpo em movimento como constituição de linguagem – e o universo dos dramas fundamentais presentes nas narrativas sintéticas dos contos-de-fada. Este é o ponto de ignição para os intérpretes-criadores buscarem, em suas próprias memórias, o material imaginário para a construção dos movimentos. Por meio de estados de não-representação e da linguagem coreográfica, o trabalho pretende acessar as chamadas paisagens do inconsciente, que, no desenvolvimento do espetáculo, estabelece com o público um estado de cumplicidade e o convida a criar suas próprias conexões dramatúrgicas.

Finalmente, “Ânsia” faz duas temporadas de quinta a domingo – dias 29, 30, 31/1 e 01/2; e de 05 a 08/2. A peça explora em movimento a sensação de solidão e a individualidade abordadas na obra da escritora inglesa Sarah Kane. O desenho de luz criado por Aline Santini reafirma a aridez causada pela ausência de cenário. A trilha sonora experimental de Dan Nakagawa costura músicas de sua autoria a composições do minimalista Arvo Part e de Shostakovich. Ânsia teve sua estreia em 2011, no projeto Fora do Palco-Site Specific do Sesc Pinheiros, e foi indicado ao Prêmio Bravo! como melhor espetáculo de dança.

A Ocupação Perversos Polimorfos integra o projeto contemplado pelo 16º Edital do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

PROGRAMAÇÃO

“Movimento para um homem só”
20, 21, 27 e 28 de janeiro e 03 e 04 de fevereiro

“Movimento para um homem só” é um dueto da Companhia Perversos Polimorfos, dirigido por Ricardo Gali e interpretado pelos bailarinos Jerônimo Bittencourt e Lucas Delfino. O motivo inicial no qual o trabalho se inspirou foi as intervenções criadas pelo artista plástico inglês Banksy em parceria com os grafiteiros Os Gêmeos, pertencentes à ocupação “Better out than in”, ocorrida em Nova York em outubro de 2013. O trabalho dá continuidade e aprofunda a pesquisa iniciada pela Cia. no espetáculo “Banksy Bang” em 2010 contemplada pelo Prêmio Klauss Viana e teve sua produção realizada em parceria ao 18º Cultura Inglesa Festival.
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: livre

“Imagem-nua e outros contos”
22, 23, 24 e 25 de janeiro

O espetáculo “Imagem-nua e outros contos” aproxima o universo dos dramas fundamentais, presentes nas narrativas sintéticas dos contos-de-fadas, às abordagens metafenomenológicas do filósofo português José Gil – um dos poucos pensadores da atualidade a se debruçar sobre a especificidade do corpo em movimento como constituição de linguagem.
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos

“Ânsia”
29, 30, 31 de janeiro e 01 de fevereiro; 05, 06, 07, 08 de fevereiro

Ânsia tem como ponto de partida o texto “Crave” da dramaturga britânica Sarah Kane e teve sua estreia em 2011, no projeto Fora do Palco-Site Specific do Sesc Pinheiros sendo indicado ao Prêmio Bravo! na categoria melhor espetáculo de dança.
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: livre

“O Neutro e a potencialização do movimento”
05 de fevereiro – das 14h às 19h.

Workshop para exploração e compartilhamento das ferramentas de pesquisa corporal e dramatúrgicas desenvolvidas durante o processo de criação do espetáculo “A imagem-nua e outros contos”, baseado no conceito “Imagem-Nua”, do filósofo português José Gil e imagens e literatura de contos de fada (contemplado pela 13º e 16º Edição do Programa de Fomento à dança para a cidade de São Paulo).

Público alvo: bailarinos, atores, performers e interessados no trabalho corporal e dramatúrgico desenvolvido pela cia.

FICHA TÉCNICA

Direção e Concepção: Ricardo GalI
Assistência de direção: Débora Sperl
Intérpretes-criadores: Patrícia Bergantin, Jerônimo Bittencourt,Natália Mendonça, Juliana Maia, Lucas Delfino, Maurício Flórez Raigoza e Josefa Pereira
Iluminação: Aline Santini
Figurino: Áurea Barros Teixeira/Ricardo Gali
Trilha Sonora: Dan Nakagawa/Lourenço Rebetez
Produção executiva: Gabriel Tolgyesi
Produção administrativa: Fernanda Moura.

Para saber mais, acesse: www.perversospolimorfos.com.br

SERVIÇO

Ocupação Perversos Polimorfos
Dias: de 20 de janeiro a 8 de fevereiro
Primeira semana: dias 20 e 21/1, “Movimento para um homem só”; de 22 a 25/1, “Imagem-nua e outros contos”.
Segunda semana: 27 e 28/1, “Movimento para um homem só”; de 29/1 a 01/2, “Ânsia”.
Terceira semana: 03 e 04/2, “Movimento para um homem só”; de 05 a 08/2, “Ansia”. Horários: de terça a sábado, 21h; domingo, 20h. Workshop “O Neutro e a potencialização do movimento”: dia 05/2, quinta-feira, das 14 às 19h.
Paço das Artes
Av. da Universidade 1 – Cidade Universitária – São Paulo/SP
Informações: (11) 3814.4832
Ingressos: Grátis.