Núcleo Dédalos apresenta Dédalos-Labirintos Intermitentes

Dédalos – Labirintos Intermitentes é o nome do mais novo espetáculo da piracicabana Luiza Banov, à frente do Núcleo Dédalos – um grupo de trabalho e pesquisa que se dedica a explorar o movimento e suas intersecções – que estreia em São Paulo no Teatro de Contêiner Mungunzá, Santa Ifigênia, no dia 9 de novembro, às 20h. A entrada é gratuita.

“O espetáculo nasceu do desejo de dançar com o outro, da possibilidade de cultivar a dança como profissão, e acima de tudo de dialogar com outros artistas. A profissão do bailarino enquanto intérprete-criador é quase inexistente no interior do nosso Estado, compreendo que somos responsáveis por criar, cuidar e cultivar essa arte como profissão”, fala Luiza, que também integra o elenco da obra. “Esse projeto está sendo pensado desde 2013, quando comecei a refletir sobre essa realidade e não pude deixar de encontrar inúmeros labirintos. Eles estão refletidos nessa coreografia”, completa.

Com trilha sonora dos brasileiros Ernani Aguiar (1950) e Heitor Villa-Lobos (1887-1959), além de Oumou Sangare, Toby Twining, gravações e colagens, Dédalos – Labirintos Intermitentes tem o intuito de trazer à tona a questão do indivíduo no mundo e das relações estabelecidas a partir do espaço e do tempo em que vivemos, levando em consideração a memória e os desejos de cada sujeito em um imenso labirinto que pode vir a ser a própria vida, o mundo e seu entorno. “O trabalho reflete sobre os múltiplos caminhos e escolhas que temos que fazer todos os dias… o que eles significam? O que é realmente importante nisso tudo?”, revela Luiza. Na mitologia, Dédalo foi um notável arquiteto e inventor grego que criou o famoso labirinto do rei Minos, onde ficou aprisionado o Minotauro, tornando-se assim também um sinônimo do mesmo.

“Um grande desejo nesse trabalho era de me manter fiel às raízes coreográficas da dança. Então o processo de criação teve o movimento como grande condutor. A trilha sonora e a dramaturgia foram chegando praticamente juntas e aos poucos se agregaram ao trabalho”, conta. Um dos objetivos de Luiza nesta nova proposta era realizar uma criação de grupo, já que suas obras anteriores eram solos – Casulo de Seda (2006), Aos que aqui estiveram… (2011) e Sopro (2013 e 2015), esse uma cocriação com a atriz Marina Henrique.

Construção Coreográfica

A coreografia, executada por três intérpretes – Ana Paula Neves, Rodrigo Oliver, Luiza Banov – tem interfaces com o vídeo. “As reflexões desse trabalho tiveram inicio em 2013, e agora, quatro anos depois, já era o momento de ele estrear. Nesse sentido, imagens e momentos de todo esse período estão presentes na cena. Algumas imagens que realizei durante viagens e também caminhos desenvolvidos para a construção coreográfica terão sua voz através de uma projeção em vídeo ao longo da coreografia”, revela a diretora, que também se utiliza de elementos cênicos com o giz e tecido para conduzir a obra. Vale ressaltar que o processo de criação foi acompanhado pela professora da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, Sayonara Pereira.

Sobre a Artista

Luiza Banov é bailarina, coreógrafa e pesquisadora. É bacharel (2006) e licenciada em Dança pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), Mestre em Artes (2011) pela mesma Universidade e Doutoranda em Artes Cênicas na Escola de Comunicação e Artes ECA/USP. Tem trabalhado como bailarina independente e docente integrando projetos cênicos em diversificados núcleos de pesquisa. Integrou a Porto Alegre Cia de Dança, em Porto Alegre, em 2008, mesmo ano em que iniciou, em parceria com a coreógrafa Sayonara Pereira, o projeto cênico Transi(s)tórias, que busca integrar as diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, música e dança em criação coletiva. Em 2010 foi estagiária da remontagem de Frauenballett (1981) a convite da coreógrafa Susanne Linke, junto ao Folkwang Tanz Studio, em Essen, na Alemanha. Ainda neste mesmo ano realizou uma residência artística de dois meses na cidade de Bogotá, na Colômbia com o grupo Estantres Danza. Também já se apresentou na Venezuela e em Portugal.

Ficha Técnica

Direção Geral e Coreografia: Luiza Banov
Provocadora e Assistência Artística: Sayonara Pereira
Intérpretes: Ana Paula Neves, Luiza Banov, Bruno de Castro Silva.
Iluminação: Daniel Esteves
Cenário e Figurino: Luiza Banov
Trilha Sonora – Concepção e Pesquisa: Luiza Banov|Edição Marcio Sartorio
Concepção de Vídeo: Luiza Banov |
Montagem Danilo Trimer|Design José Augusto Neves
Produção Executiva: Emporio Produções Culturais
Produção: Ester Ferreira Leite
Design Gráfico: Virgílio Teixeira Machado e Daniel Casarim
Fotografia: Nanah D’Luize
Imprensa: Marcela Benvegnu, Flávia Fontes Oliveira
Preparação Corporal: Luiza Banov – GYROKINESIS®
Professora Convidada: Sayonara Pereira – German Modern Dance

Crédito da foto: Nanah D’Luize

Serviço

Dédalos – Labirintos Intermitentes
Núcleo Dédalos
Dia 9 de novembro de 2017
Quinta, às 20h
Local: Teatro de Contêiner Mungunzá
Rua dos Gusmões, 43 – Santa Ifigênia – São Paulo/SP
Ingresso: Grátis (retirada de ingresso com duas horas de antecedência ao espetáculo)
Informações: (11) 97632-7852
Duração: 55 minutos
Classificação: 12 anos

Deixe uma resposta