Marcus Moreno e Andrea Arobba investigam a dimensão ‘Instante-já’, de Clarice Lispector

Crédito da foto: Silvia Machado

Convidada pelo bailarino e ator Marcus Moreno, a artista uruguaia Andrea Arobba está em São Paulo para uma residência artística, no Centro de Referência da Dança, que tem como desejo levantar material criativo baseado em conceitos presentes no universo das ciências cognitivas – ideias de percepção, memória e produção de imagens –, para compor um novo trabalho coreográfico.

Como captar o instante presente de um acontecimento? Quais imagens se constroem neste instante? É possível dançar uma imagem antes mesmo de conseguir nomeá-la? Estes são alguns disparadores, aqui integrados à noção de tempo em sua dimensão ‘Instante-já’ – nome da residência artística e do novo trabalho que dela reverberará -, existente na obra “Água Viva”, da escritora Clarice Lispector, motor e guia para a pesquisa.

“Sabe-se que tudo acontece no cérebro a partir de células neurônios e que, de um neurônio para outro, há pequenos vãos preenchidos por substâncias químicas; esses mediadores químicos indicam as inúmeras trilhas do cérebro para ação e percepção e influenciam na produção de imagens que estruturam nossos pensamentos. É este instante fugidio e fugaz que tentamos acessar”, comenta Marcus Moreno.

Ao encerrar a imersão, no dia 5 de julho (sexta-feira), às 19h, será apresentado o estudo decorrente dessa residência, seguido de uma conversa com os artistas, aberta a todos os interessados.

Para Instante-já, além da parceria e orientação artística de Andrea Arobba, Marcus Moreno conta com Hernandes Oliveira, na criação da luz e do espaço cênico.

A ação faz parte do projeto Novas Efemeridades, idealizado por Marcus Moreno, e tem apoio da 25ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

Sobre os artistas

Andrea Arobba Coreógrafa, bailarina e diretora da Cia GEN Dança, é docente da Escola Nacional de Dança do Uruguay. Como faixa preta em Aikidô, participou de vários seminários de aperfeiçoamento no Japão. Criadora e diretora do GEN – Centro de Arte e Ciência (gen.org.uy) e do Ciclo Solos al Medíodia, desenvolve pesquisas de criação que apontam para estudos com as ciências cognitivas e a história evolutiva do comportamento humano.

Marcus Moreno formado em Comunicação das Artes do Corpo com especialização em Técnica Klauss Vianna (PUC-SP), com o apoio do Edital de Primeiras Obras do Proac, criou, em 2013, o solo “A Imagem como Ausência”, orientado pela artista Key Sawao. Em 2016, estreou “A Flor da Lua”, concebido no ‘Programa de Obras em Construção’ da Casa das Caldeiras. Em 2017, com o apoio do Edital Proac para Criação, criou “Estudo para o Encontro”, em parceria com o violinista Moisés Mendoza Baião. Tem interesse em práticas orientais, improvisação cênica e estudos somáticos.

Ficha Técnica

Instante-já – Residência Artística e Nova Criação Cênica
Concepção e Dança: Marcus Moreno
Orientação Artística: Andrea Arobba (Artista Residente Convidada)
Criação de Luz e Espaço Cênico: Hernandes Oliveira
Fotos: Silvia Machado
Registro em Vídeo: NOME Filmes
Assistente de produção e mídias sociais: Juliana Vinagre
Produção Executiva: Cristiane Klein
Coordenação e administração do projeto: Dionísio Produção

Serviço

Instante-já – Residência Artística
Com Marcus Moreno e Andrea Arobba
Dia 05 de julho de 2019
Sexta, às 19h
Local: Centro de Referência da Dança
Baixos do Viaduto do Chá, s/n – Centro, São Paulo – SP
(ao lado do Teatro Municipal – próx. Estação Anhangabau do Metrô
Ingresso: Grátis
Informações: (11) 3214-3249
Lotação: 70 lugares
Classificação indicativa: livre
Duração: 60 minutos

Deixe uma resposta