Grupo Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira dança ‘Estado imediato’

angelo-madureira-e-ana-catarina-estado-imediato_por_Marco_Flavio_M
Foto: Marco Flavio

A trilha sonora é cheia de vida, um caldeirão de referências populares. Da canção dos Bee Gees “Stayin’ Alive”, que marcou o filme “Embalos de sábado à noite”, com John Travolta, até o “quebra-prato” do candomblé, passando por Dominguinhos e Gilberto Gil. A energia dessa mistura contrasta com os figurinos de cores sóbrias e com a simplicidade da luz e dos cenários de “Estado imediato”, a mais recente coreografia do grupo Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira. Após passar pelo teatro Arthur Azevedo, o espetáculo será realizado de 19 a 21, no Teatro João Caetano; e de 26 a 28, no Paulo Eiró.

Por conta dessa atmosfera criada, Madureira destaca, na coreografia, um “erotismo dark”. E não se trata do gesto de abertura do espetáculo, quando todos os bailarinos, enfileirados, tiram a roupa e mostram as nádegas para a plateia. O erotismo vem, na visão do coreógrafo, da movimentação dos corpos no palco. “Percebe-se que existe uma sensualidade, mas não na perspectiva do senso comum, não é vontade de sedução”, explica. E o resultado é bastante sombrio, pois “Estado imediato” discute a condição do profissional da dança a partir de uma perspectiva do luto. “Existe sempre uma sensação de recomeço”, afirma. “O movimento do artista surge e, logo em seguida, morre, dando lugar a outro.”

O frescor de cada momento é o “estado imediato de dançar” a que se refere o título do espetáculo. “A gente se pergunta o que acontece com uma pessoa que dedicou a vida inteira à dança”, explica Madureira. Ele afirma que, na dança contemporânea, os profissionais geralmente estão muito focados nos conceitos e nas ideias de cada espetáculo e se esquecem do corpo, não buscando o prazer. “Uma coisa é gostar, outra é viver de dança”. No fundo, a coreografia fala sobre as estratégias de sobrevivência do artista e as dificuldades de dar continuidade aos seus trabalhos. “É o estado imediato de dançar que nos move e dá força para continuarmos trabalhando”, conclui.

SERVIÇO

Estado imediato
Grupo Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira
Ingressos: Grátis (retirar ingresso a partir de uma hora antes)
Classificação: 14 anos

De 19 a 21 de fevereiro de 2016
Sexta e sábado, às 21h, domingo, às 19h
Local: Teatro João Caetano
R. Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino – São Paulo/SP – Zona Sul.

De 26 a 28 de fevereiro 2016
Sexta e sábado, às 21h, domingo, às 19h
Teatro Municipal de Santo Amaro Paulo Eiró
Av. Adolfo Pinheiro, 765 – Santo Amaro – São Paulo/SP

 

Deixe uma resposta