Espetáculo de dança #poéticasderesistência se apresenta na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Depois de circular pela cidade de São Paulo a Cia Corpocena encerra temporada do trabalho. O projeto foi contemplado pela 23ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

Contemplado pela 23ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo o espetáculo #poéticasderesistência se apresenta nos dias 22, 23 e 24 de novembro, de quinta a sábado, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Com concepção, criação e performance de Cristiane Santos e Valquiria Vieira, trabalho discute a necessidade de se criar estratégias poético políticas de resistência.

Espetáculo evidencia as relações violentas que despotencializam o corpo, a manipulação de imagens e discursos que empobrecem os universos simbólicos e busca estratégias de resistência pelo movimento. “A questão da opressão é uma resistência cotidiana para as mulheres, mas se desdobra na sociedade como um todo, principalmente por meio do consumo e das imagens criadas por uma política midiática perversa”, afirma Cristiane Santos.

“#poéticasderesistência é um desdobramento do projeto Sobre Mulheres e Pássaros (2015-2016), que discute questões acerca do corpo feminino; da violência contra a mulher, desde sempre naturalizada, e da necessidade de se preservar o universo simbólico, como estratégia poética-política de resistência”, declara Valquiria Vieira, que também assina a direção e dramaturgia.

“O presente trabalho da Cia Corpocena é um manifesto/denuncia do Brasil atual e se propõe a discutir várias formas de violências e opressões do corpo, desde aquelas em que um indivíduo exerce uma violência física combativa sobre o corpo do outro até as mais sutis e perversas, que são as violações simbólicas, as que operam na captura dos desejos e na manipulação da subjetividade”, finaliza Valquiria.

Depois de circular pela cidade de São Paulo com o trabalho, a Cia Corpocena encerra temporada do espetáculo. Foram realizadas 20 apresentações divididas entre as 4 regiões da cidade de São Paulo, (Norte, Sul, Leste e Oeste) em 17 espaços diferentes, gerando acessibilidade à dança experimental em locais distantes do centro, além de criar uma rede de discussão acerca da violência e da opressão sofrida pelos corpos.

Espetáculo tem Música de Claudio Borici Júnior; Figurinos de Patrícia Santos; Desenho de Luz de Décio Filho e Produção Executiva de Renato Modesto. No dia 24 de novembro, sábado, às 14h, a Cia Corpocena realiza também uma mesa redonda com o tema Poéticas de resistência e dramaturgia em dança, com a participação das artistas Ana Clara Amaral e Camila Soares, que ministraram oficinas ao longo do projeto, e mediação da filósofa Viviane Mosé.

Sobre a Cia Corpocena

A Cia Corpocena foi criada em 2007 pelas artistas Cristiane Santos e Valquiria Vieira para investigar as possíveis relações entre poesia e movimento. Aos poucos, a busca por um corpo poético transformou-se na busca por um corpo poÉTICO, sendo portanto, um corpo político. Atualmente a Corpocena cria dança, explorando seus limites com o teatro e a performance. A dramaturgia move a criação de forma interdisciplinar, colocando em diálogo textos de naturezas diversas na composição coreográfica.

Ficha Técnica

Concepção, criação e performance: Cristiane Santos e Valquiria Vieira.
Direção e dramaturgia: Valquiria Vieira.
Elenco: Cristiane Santos e Valquiria Vieira

Crédito da foto: Letícia Pinto

Serviço

#poéticasderesistência
Cia Corpocena
De 22 a 24 de novembro de 2018
Quinta e sexta, 20h, Sábado, 18h30
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Sala 7
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP
Ingresso: Grátis
Duração: 50 minutos.
Classificação: 14 anos

Debate
Dia 24/11, sábado, às 14h
Tema: Poéticas de resistência e criação dramatúrgica em dança
Participação das artistas: Ana Clara Amaral e Camila Soares
Mediação: Filósofa Viviane Mosé.

Deixe uma resposta