Dorotéia, a velhinha que gostava de dançar estreia em São Paulo

Crédito da foto: Ian Maenfeld

O Sesc Santana recebe a estreia do espetáculo Dorotéia, a velhinha que gostava de dançar. A apresentação baseada na linguagem visual lúdica traz ao palco a junção do teatro gestual, da dança contemporânea e de salão e do parkour – a técnica de saltos e transposição de obstáculos. Uma peça poética sobre o amor criada especialmente para as crianças, dedicada aos idosos, mas que o público de todas as idades poderá se encantar e se emocionar. A temporada tem quatro apresentações no teatro da unidade, aos domingos, de 7 a 28 de julho.

O espetáculo faz uma livre adaptação do livro infantil homônimo de Margareth Brandini Park, com concepção, dramaturgia e direção de Miló Martins (de A Menina e o Sabiá). Uma história sobre a descoberta de um novo amor na terceira idade, que aborda superação e principalmente a quebra de estereótipos sociais. Dorotéia é uma senhora, mas sua rotina é repleta de criatividade, cheia de movimento e novas possibilidades.

A simpática e alegre velhinha vive com seu gato Casimiro. A chegada de um novo vizinho, Augustus, modifica totalmente seu cotidiano ao trazer um inesperado rumo para sua vida. Neste encontro, Dorotéia ganha muito mais do que um parceiro de dança.

“O livro retrata com muita delicadeza o tema. Quando li percebi que ainda é pouco comum nos dias de hoje estes encontros tardios e, no geral, vislumbramos os idosos de outra maneira. Creio que no espetáculo, as crianças poderão ver os mais velhos e o envelhecimento de outra forma, encontrando em suas histórias infantis não só jovens princesas e seus pares, mas também avôs e avós”, relata Miló.

A apresentação é o segundo espetáculo infantil realizado pela Emme Cultural, o primeiro foi “A Menina e o Sabiá”, que encantou plateias de todas as idades mesclando dança, circo e acrobacias aéreas.

Desta vez, as técnicas de saltos Parkour entram em cena nas travessuras e nos trejeitos dos gatos, como bichos de estimação. No elenco da peça, Dora Bueno interpreta Dorotéia, Ari Willians é Augustus, enquanto Mariana Taques dá vida a gata Catarina e Danilo Alves ao gato Casimiro.

A trilha sonora original é de Fernando Narcizo e Bruno Buarque, além das músicas Carinhoso, do Pixinguinha e The Tender Trap, de Frank Sinatra.

Dorotéia conta de maneira leve, delicada e divertida que o amor pode chegar em qualquer momento de nossas vidas, mesmo quando não é esperado.

Ficha Técnica

Concepção, Dramaturgia e Direção: Miló Martins (Adaptação do livro de Margareth Park)
Elenco: Ari Willians (Augustus), Danilo Alves (gato Casimiro), Dora Bueno (Dorotéia) e Mariana Taques (gata Catarina)
Assistência de direção e coreografia: Angela Etell
Direção de movimento e coreografia: Henrique Lima
Preparação corporal e co-coreografia: Diego Oliveira
Trilha sonora original: Fernando Narciso e Bruno Buarque
Desenho de luz: Marisa Bentivegna
Cenografia e figurinos: Márcio Vinícius
Assistência de cenografia e figurinos: André Aires
Maquiagem: Márcio Merighi
Costura: Judith e Silene Alves
Cenotécnica: Mais Cenografia e Gaúcho produções
Contrarregragem: Edi Santos e Murilo
Operação de som: Dani Jack
Operação de luz: Rodrigo Damas
Direção de produção: Cau Fonseca | Mítica!
Vídeos: Veridiana Ravizza
Pesquisa geral: Margareth Park, Marinella Corradini e Miló Martins
Assessoria de Imprensa: Tatiana Pugliesi | Cais Cultura
Fotos: Ian Maenfeld
Ilustrações: Gabriela Corradini
Realização: Emme Cultural

Serviço

Dorotéia, a velhinha que gostava de dançar
De 07 a 28 de julho de 2019
Domingos, às 14h
Local: Sesc Santana (Teatro)
Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana, São Paulo – SP
Ingressos: R$ 17,00 (inteira), R$ 8,50 (meia), R$ 5,00 (credencial Plena).
*Gratuito para crianças menores de 12 anos.
Informações: (11) 2971-8700
Duração: 50 minutos
Classificação: livre
Capacidade: 330 lugares
Acesso para pessoas com deficiência

Deixe uma resposta