Curitiba recebe o Coletivo Dona Coisa com o espetáculo ‘Díptico – dois trabalhos para dois corpos’

O Coletivo Dona Coisa leva para Curitiba o espetáculo ‘Díptico – dois trabalhos para dois corpos’, que trás à cena uma obra composta por dois trabalhos de coreógrafos distintos, sendo um deles sempre de autoria do Dona Coisa e outro de um convidado. A primeira parte é do carioca Diego Cruz, chamada “Para que não se esqueça”, que trás um ambiente de reflexão, drama, propondo ao público questões, dores e marcas que o mundo vem deixando na humanidade. E a segunda parte, “E se elas falassem…”, com concepção de Agnes Rodrigues e contribuição de Diana Rosa, ambas do coletivo, vem trazer a cena conceitos e questões, paradigmas e realidades, poesia e movimento, ao som das musicas do poeta Cartola. E se elas falassem, o que elas falariam?

O Dona Coisa é um coletivo de artistas que tenta trazer à cena possibilidades artísticas, com integrações maiores com o publico, ou levar a cena onde ela não costuma estar. O coletivo trabalha em vários formatos, se adaptando ao meio e as necessidades, fazendo espetáculos, performances na rua, instalações, promovendo questionamentos e movimentos. Existente há 3 anos, ele ja passou por varias cidades como Jaraguá do Sul (SC), Itajaí (SC), Navegantes (SC), Chapecó (SC), Pinhalzinho (SC), Santo Angelo (RS), Campo Grande (MS), e também já esteve em Curitiba, no Festival de Teatro, no ano passado, no Fringe de Rua. E agora retornamos à cidade com este trabalho, que vem conquistando público por onde passa, por ter comunicação direta, e por chegar ao público causando emoção.

Durante os dias 16 e 17 de julho, a companhia ministrará aulas de dança contemporânea e ballet clássico na escola Diverso Arte.

Crédito da foto: Leonardo Martins

SERVIÇO

Díptico – dois trabalhos para dois corpos
Coletivo Dona Coisa
Dia 17 de junho de 2017
Sábado, às 20h
Local: Espaço Fantástico das Artes
Alameda Princesa Izabel, 465 – São Francisco – Curitiba/PR
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia entrada)