Com ‘Um Corpo Só’, Cia Fragmento de Dança segue mostra de trabalhos no Kasulo

cia-fragmento-de-dancaum-corpo-so_foto5-leo-lin_m
Foto: Leo Lin/Divulgação

Em continuidade à mostra de trabalhos de repertório, inspirados na investigação de artistas, obras e conteúdos confessionais, a Cia Fragmento de Dança apresenta na semana de 17 a 20 de novembro, “Um corpo Só”, solo-depoimento em que Vanessa Macedo, diretora da companhia, retoma experiências significativas inscritas em seu corpo, fundindo passado e presente, num elo de negação, afeto e dor. Para o ingresso pede-se a contribuição de alimentos não perecíveis para doação.

De um novo jeito, experimenta a relação com os rigores da ginástica rítmica, a paixão pelo teatro, as aulas de piano, parte da infância vivida na França, isso tudo amalgamado à dança que lhe interessa hoje e habita suas criações: a fricção entre forma e sentido, a sedução por artistas e obras confessionais e a discussão do feminino.

Do espaço de memórias desta sua “ficção autobiográfica” ou “dança depoimento”, como tenta definir Vanessa Macedo, surge a descoberta de um corpo que contém todas as imposições sociais que aprisionam nossa natureza essencial. Personagem de si própria, é criança, filha, mãe em sonhos que atravessam e são atravessados de vida real e ficção.

Para “Um corpo só”, Vanessa Macedo contou com a bailarina e coreógrafa Angela Nolf, a atriz Janaina Leite e Maitê Molnar, integrante da Cia Fragmento de Dança, como colaboradoras no processo de criação. A trilha sonora e a guitarra de Carlos André e o piano de Vanessa Macedo receberam assessoria musical de Murilo Emerenciano. Daíse Neves assinou o figurino e André Prado o projeto de luz.

Próximas temporadas

Mais dois trabalhos compõem a proposta que segue nessa linha de abordagem de processos artísticos autobiográficos. Nas semanas de 24/11 a 4/12, é a vez de “Beije minha alma” (2008), criação coreográfica premiada no 12º Cultura Inglesa Festival (2008), que investiga a obra da artista plástica britânica Tracey Emin, conhecida por criar a partir de experiências pessoais de fracasso, humilhação, frustração e culpa, para suscitar questões ligadas às relações humanas, preconceitos e moralismos da sociedade.

O último trabalho a ser revisitado (de 8 a 11/12), “Corpos Frágeis” (2010), discute o feminino, considerando fragilidade e força como paradoxos próprios da existência, a partir do livro “Corpos Frágeis, Mulheres Poderosas”, de Maria Martoccia e Javiera Gutierrez, que reúne a vida de nove mulheres – entre elas Frida Kahlo e Virginia Woolf – figuras expoentes de seu tempo, que desbravaram questões de gênero e enfrentaram condições específicas de seus corpos relacionadas a doenças, acidentes e vícios.

A ação faz parte do projeto “Atravessamentos”, contemplado pela 20ª edição do Programa de Fomento à Dança.

SERVIÇO

Um Corpo Só
Cia Fragmento de Dança
De 17 a 20 de novembro de 2016
Quintas, sextas e sábados, 21h; domingos, 19h
Local: Kasulo – Espaço de Cultura e Arte
Rua Sousa Lima, 300, Barra Funda, São Paulo 36667238)
Ingresso: alimentos não perecíveis para doação
Duração: 50 minutos
Classificação: maiores de 16 anos

Próximas apresentações:

De 24/11 a 04/12
Beije Minha Alma

De 08 a 11/12
Corpos Frágeis