Cia de Dança Sesiminas apresenta “Cidade dos sonhos, recanto das virtudes” durante 44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

Depois de emocionar a plateia com a estreia de “Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes”, em outubro de 2017, a Cia de Dança SESIMINAS convida, agora, o público da 44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança para pensar a vida fora dos limites do possível. Unindo teatro e dança, o espetáculo infantil será apresentado nos dias 3 e 4 de março, no Teatro Sesiminas, às 16h. Com roteiro de Eduardo Moreira, direção teatral de Inês Peixoto, coreografia de Ane Adade e trilha de Kiko Klaus, a montagem revela momentos de uma cidade ideal, em que as virtudes são vivenciadas e praticadas nas situações cotidianas. Focada no universo lúdico, a montagem resgata lembranças da infância, com humor e poesia. Ingressos a R$ 11 (preço único), a venda nos Postos Sinparc (Edifício Maleta, Pátio Savassi, Shopping Cidade e Shopping Estação BH), pelo site ou app Vá ao Teatro.

“Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes” foi criado para a Cia de Dança SESIMINAS a partir de doze virtudes estudadas pelos alunos da Rede SESI de Ensino, aliadas à pesquisa bibliográfica que contou com obras como o Livro das Virtudes para Crianças, de William Bennett, O Pequeno Tratado das Grandes Virtudes, de André Comte-Sponville e A Descoberta do Mundo, de Clarisse Lispector. Durante os 50 minutos em cena, compaixão, tolerância, paciência, perseverança, honestidade, generosidade, solidariedade, respeito, justiça, lealdade, gratidão e gentileza são abordados de maneira sensível, dando espaço à imaginação.

“Apesar de já termos estreado, foram apenas duas apresentações em BH. Então, estamos muito felizes de levar a Cia de Dança SESIMINAS mais uma vez para a Campanha de Popularização e de dar ao público mais uma oportunidade de assistir esse espetáculo, que foi produzido para encantar toda a família”, reforça Karla Bittar, gerente do Centro Cultural SESIMINAS. “Seguimos firmes com a nossa proposta de unir arte e educação, acreditando que juntas elas contribuem de maneira significativa para o desenvolvimento e a formação integral do ser humano”, completa.

A coreógrafa Ane Adade explica que ela e os bailarinos da Cia de Dança buscaram entender cada uma dessas virtudes, da raiz de cada palavra à forma como se aplicam às coisas mais sutis, de modo a transformá-las em qualidade de movimento para os corpos. “A criação de movimento partiu de imagens, frases e sensações. É como se dançássemos cada palavra, ao mesmo tempo em que usamos o movimento para traduzir aquilo que as palavras não dão conta de dizer”. A coreógrafa destaca que “os bailarinos participaram ativamente do processo de criação, o que confere identidade ao espetáculo e desenha novas possibilidades para a Companhia”.

O espetáculo apresenta, também, uma nova experimentação de linguagem corporal. Até então, a Companhia só havia apresentado peças clássicas. Na nova montagem, tais técnicas clássicas são usadas como ferramenta, e não como fim. A dança contemporânea e o uso da voz na cena vêm compor a coreografia, criada em função do que a Cia. quer dizer em “Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes”.

A trilha é do músico e compositor Kiko Klaus. Ele explica que, no processo de composição da trilha sonora original, assim como no desenho sonoro do espetáculo e na montagem da seleção de repertório, o elemento principal a ser buscado foi o diálogo com o imaginário infantil. “Foram utilizados sons da cidade e da natureza, elementos mitológicos e simbólicos do inconsciente coletivo da criança, traduzindo sua poesia, profundidade e alegria. Buzinas e motores dialogam com música clássica, assobios e sons do corpo harmonizam com passarinhos. Tudo se transforma em música”, diz o músico.

O espetáculo ainda conta com um roteiro que funde teatro e dança. As coreografias são executadas pelos bailarinos, que interpretam seus personagens do começo ao fim da história. Parar criá-lo, Eduardo Moreira inspirou-se no texto “Nossa Cidade”, de Thornton Wilder (1897-1975), dramaturgo americano que representa as questões de uma cidade com duas famílias e uma rua principal. Na “Cidade dos Sonhos”, é assim, também: duas famílias vizinhas se relacionam e um forasteiro é integrado a tal comunidade. Ao mesclar personagens líricos em situações cômicas e surpreendentes, o balé descortina as relações entre os habitantes da cidade, que, movidos pelo desejo de vivenciar o bem, relacionam-se uns com os outros de maneira humana e fraterna.

Cada um dos papeis foi construído a partir de recordações da infância dos bailarinos. A atriz Inês Peixoto conta que alguns foram sugeridos, mas a grande maioria surgiu a partir de jogos cênicos e de ativação da memória dos artistas. “Muitas lembranças da infância se referem à vizinhança deles, aos seus amigos da mesma rua. Afinal de contas, as virtudes não se manifestam isoladamente, mas acontecem entre as pessoas”, ressalta a diretora teatral.

Segundo ela, o grande desafio foi fazer com que os bailarinos se apropriassem desses personagens. “É muito importante o artista se colocar dentro de uma obra. Todo o espetáculo foi criado com a ajuda dos bailarinos. O trabalho que eu e Eduardo realizamos foi fazer com que eles tivessem consciência da individualidade de cada personagem dentro do conjunto coreográfico, da potência que é possível criar com sentimentos da situação interpretada dentro de um movimento que, às vezes, é coletivo; às vezes, é pas de deux; às vezes, um solo”, completa.

Apesar de voltado ao público infantil, “Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes” é um espetáculo que atinge e encanta públicos de todas as idades. A intenção é sensibilizar o olhar em relação à cidade e ao outro, seja por meio dos olhos das crianças, seja com o resgate da memória acerca de uma fase que todos já passaram um dia: a infância.

Rede de Virtudes

O Projeto Rede de Virtudes é desenvolvido em todas as unidades da Rede SESI de Ensino, da educação infantil ao ensino médio. O projeto foi criado para atender uma demanda social que clama por cidadãos mais éticos e que possam ser agentes de transformação para uma cultura de paz e de bem viver.

O trabalho pretende desenvolver a consciência e a reflexão da comunidade escolar – alunos, família e escola – quanto a questões que permeiam a sociedade sob o olhar dos valores morais. Ao inserir as virtudes no processo educacional virtudes, a Rede SESI de Ensino incentiva a reflexão sobre o mundo atual, de modo a possibilitar a formação integral de seus alunos, que buscam uma convivência saudável com os demais colegas, a escola, a família e a sociedade.

Diante desse cenário, o Centro Cultural SESIMINAS une educação e cultura ao realizar, por meio de sua Cia de Dança, o espetáculo “Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes”.

Cia. de Dança SESIMINAS

Com sede no Centro Cultural SESIMINAS, localizado em Belo Horizonte, a Cia de Dança SESIMINAS, fundada em 1990, é uma das principais companhias profissionais de dança de Minas Gerais.

Pensar e agir artística e institucionalmente é o que move a Cia, que preza pela qualidade de suas criações e projetos. Levar arte e cultura a canteiros de obras, centros esportivos e de lazer, escolas, sindicatos, indústrias e palcos em todo o Estado, com o objetivo de promover a melhoria da qualidade de vida, democratizar o acesso à cultura, estimular a formação de plateia, fomentar e difundir a arte da dança.

Em sua trajetória, a Cia destacou-se nas remontagens de balés de repertório, como O Quebra-Nozes, Dom Quixote; e em espetáculos próprios, como A Quinta Estação, Lago Brasil, Construção e Tocatta.

O diálogo entre a técnica clássica, a dança contemporânea e o estímulo à criação traz forte identidade ao grupo e permite que a Cia se reinvente, para ampliar, ainda mais, os atendimentos a todos os públicos relevantes para a indústria mineira, de maneira a estabelecer diálogos com a contemporaneidade, ao mesmo tempo em que preserva e valoriza sua história.

A coreógrafa Ane Adade

Ane Adade, natural de Sorocaba (1981), é graduada em Dança pela Universidade Estadual de Dança de Campinas. Iniciou seus estudos na Academia de Dança Ismênia Rogich. Em São Paulo, estudou no Pavilhão D Centro de Artes. Na Suíça, passou pelo Chronos Movement Tanzstudio. Na Alemanha, fez aulas com as Cias. Staadttheater Hagen, Staadttheater Darmstadt, Tanztheater Braunschweig, Tanztheater München, Hochschule Von Muzik (Frankfurt) e Bern Ballet. Integrou o elenco de Cia de Dança de São José dos Campos, Grupo Divina Dança, Pip Cia de Dança e Balé Teatro Guaíra, no qual se destacou em montagens como A Sagração da Primavera, de Olga Roriz e Cinderela, de Gustavo Ramirez Sansano.

Como coreógrafa, destacam-se os trabalhos Olha, criado para a Cia de Dança de São José dos Campos, e Corpos Instáveis, para o Balé Teatro Guaíra, em parceria com a coreógrafa Patrícia Machado. Trabalhou com importantes coreógrafos, como Luiz Fernado Bongiovanni, Ricardo Scheir, Jae Duke, Carmen Jorge, Olga Roriz, Sergio Marshal, Janice Vieira, Gustavo Ramirez Sansano, Tuca Pinheiro, Alex Soares, Ana Vitória, Luiz Arrieta, Renato Vieira e Bruno Cezário, dentre outros. Como atriz, atuou sob direção de Zé Henrique de Paula, Ewerton de Castro, Maucir Zamberlan e Marcus Paulo.

Ficha técnica espetáculo

Direção Teatral – Inês Peixoto
Roteiro – Eduardo Moreira
Coreografia – Ane Adade
Elenco – Cia de Dança Sesiminas
Pesquisa de movimento – Elenco da Cia de Dança SESIMINAS
Trilha – criação e edição – Kiko Klaus

Crédito da foto: Andreia Bueno

Serviço

Cidade dos Sonhos, recanto das virtudes
Cia de Dança SESIMINAS
Dias 03 e 04 de março de 2018
Sábado e domingo, às 16h
Local: Teatro Sesiminas
R. Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia – Belo Horizonte/MG
Ingressos: R$ 11,00 (preço único)
Classificação: Livre

Deixe uma resposta