Cia. Artesãos do Corpo faz apresentações gratuitas de ‘REFÚGIO ou como fixar raízes no concreto’

A Cia. Artesãos do Corpo apresenta neste final de semana (dias 23 e 24/09) o espetáculo ‘REFÚGIO ou como fixar raízes no concreto’ no Museu da Imigração com entradas gratuitas. A criação discute a questão do refúgio na cidade de São Paulo e traz depoimentos de pessoas que não nasceram em São Paulo, mas escolheram essa cidade para viver.

A performance/intervenção ‘REFÚGIO – ou como fixar raízes no concreto’ surge da questão: Como lidar com o conceito de enraizamento num contexto onde o corpo é obrigado a deslocar frequentemente suas raízes?

Nossa intenção é dar voz, corpo e peso à histórias diversas e experiências compartidas na cidade de São Paulo, dando uma nova dimensão à ideia de lar, pois seja por necessidade, imposição ou escolha os “estrangeiros” se apresentam como protagonistas na construção de novas possibilidades de enraizamento e são eles que criam e nutrem ramificações afetivas capazes de desenhar novos territórios individuais e coletivos.

Sobre o conceito, pesquisa e outras informações

O conceito de enraizamento é um tema urgente já que o contexto global de crises econômicas, políticas, sociais e ambientais, faz crescer diariamente ao redor do mundo o número de pessoas deslocadas, refugiadas e i(e)migrantes.

Numa cidade como São Paulo, onde há uma crise eterna entre construção e desconstrução, passado-futuro, perdas e permanências fica muito difícil fixar raízes e criar sentidos e significados coletivos uma vez que os espaços históricos e simbólicos são destruídos ou descaracterizados em um piscar de olhos, impedindo que as pessoas se apropriem e estabeleçam conexões, vínculos e afetividades.

A performance/intervenção/instalação tem início com nove pares de sapatos/concreto instalados no espaço formando uma instalação. Os corpos dos intérpretes e a trilha sonora composta por depoimentos de pessoas nascidas em outros países, mas que adotaram o Brasil, mais especificamente a cidade de São Paulo, como morada e lugar para fixar suas raízes, vão preenchendo o espaço cênico por diversas camadas poéticas e simbólicas.

Para a colheita desses depoimentos, definimos quatro perguntas: Onde estão suas raízes? Como é viver longe dessas raízes? Por que você se afastou de suas raízes? Do que você sente saudades?

REFÚGIO, é uma ação performática nascida dentro do contexto do projeto “TEMPO SUSPENSO”, que tem como tema a questão dos refugiados em São Paulo e a busca de zonas intervalares e espacialidades MA nas cidades e no corpo. Esse projeto, contemplado pelo 18o edital do Programa Municipal de Fomento à dança, gerou duas outras criações: Tempo Suspenso (palco) e Estranhos seres nebulosos e ilusórios (rua e espaços públicos).

Ficha Técnica

Direção: mirtes calheiros
Intérpretes: dawn fleming, ederson lopes , elder sereni, fany froberville, gisele ross, leandro antonio, maira yuri, mirtes calheiros e rodrigo caffer
Objetos cenográficos (sapatos-tijolos): ederson lopes
Trilha sonora: diogo soares
Sonoplastia: marcelo catelan
Vozes/depoimentos: misaki niwa (japão) , giovanni pirelli (itália), hervé huet de froberville (frança), yazan albe (síria), kathleen kunath (alemanha), dawn fleming (inglaterra – irlanda – canadá), josé miguel zandamela mulima (moçambique), daniel gamarra astegui (uruguai), ynes chiang (taiwan)
Essa obra é parte do projeto Tempo Suspenso, contemplado pelo 18ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para Cidade de São Paulo

Serviço

REFÚGIO – ou como fixar raízes no concreto.
Cia Artesãos do Corpo
Dias 23 e 24 de setembro de 2017
Sábado, às 15h, e domingo, às 11h
Local: Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca – São Paulo/SP
(Metrô Bresser-Mooca)
Ingresso: Grátis
Duração∶ 30 minutos
Classificação∶ livre

Deixe uma resposta