…AVOA! Núcleo Artístico estreia nas ruas do centro de São Paulo seu Atamento 3: Vir-a-Ser

Solos de Rua – Atamento 3: Vir-a-Ser é uma ação artística e urbana do …AVOA! Núcleo Artístico, dirigida por Luciana Bortoletto. A companhia fez outras duas ações no centro de São Paulo, entre as Ruas do Tesouro e XV de Novembro em 2017 e agora chega ao espetáculo final, síntese da pesquisa elaborada a partir do Manifesto As Embalagens, de Tadeusz Kantor.

É na confluência das ruas XV de Novembro e Rua do Tesouro que começa a ação dos bailarinos/performers. O público que passa – e os muitos que param – assistem a uma intervenção cênica, urbana, artística e… Inquietadora. É característica do grupo, que completou dez anos de estrada em 2016, estar nas ruas, dançar nas ruas, se misturar às pessoas e coisas da rua. Aos que passam e aos que assistem, fica a incerteza e a dúvida do que estão presenciando.

Essa ação tem início dia 26 de fevereiro de 2018 e integra o projeto “Vir-a-ser”, contemplado pela XX Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança/ 2016. O “Solos de Rua” é uma trilogia e “Atamento 3: Vir-a- Ser” é a sua última parte, composta também por “Atamento 1: Coisa” e “Atamento 2: Anunciação”, apresentados em 2017. O projeto atual nasce da inspiração de Luciana Bortoletto, que realizou performance solo semelhante em 2012, com a qual recebeu o prêmio Denilto Gomes, em 2013.

Sob grandes lonas plásticas – de um lado preto, do outro branco – os integrantes do núcleo se inspiraram no manifesto As Embalagens, do encenador polonês Tadeusz Kantor (1915-1990) para criar o Atamento 3: Vir-a-Ser. Trata-se de um jogo coreográfico no qual os bailarinos e a lona se afetam mutuamente em contexto urbano, em espaços públicos de grande circulação, misturando-se à paisagem local (sonora, humana, arquitetônica, social). Não é possível saber, ao certo, o que emerge de dentro da multidão. O que se sabe é que, de vez em quando, não convém permanecer por muito tempo em silêncio, pois é urgente mover, dobrar (-se), friccionar, atar, ocultar, revelar, desviar, dizer e não apaziguar.

“(…) Embalagem!… Embalagem!… Porque o fenômeno mencionado possui muitas significações e provoca opiniões variadas, pior do que isso: porque é simplesmente ambíguo (…) Ademais, essa necessidade de, muito humana, e nossa paixão de conservar, de isolar, de velar, de transmitir, – tudo isso constitui um processo quase autônomo. Que oportunidade! Não percamos de vista, tampouco, as possibilidades de ordem emocional. Nomeemos algumas: a promessa, a esperança, o pressentimento, a solicitação, o gosto pelo desconhecido e misterioso. Embalagem!…(…)”

Trecho do Manifesto As Embalagens, de Tadeusz Kantor

…Avoa! Núcleo Artístico

Com direção de Luciana Bortoletto, desde 2006 o núcleo dedica-se a um trabalho ancorado nas linguagens de dança contemporânea, improvisação cênica e abordagens somáticas, pesquisando uma corporeidade que convida à proximidade, acreditando na potência do gesto e de ações artísticas coletivas. Explora a criação coreográfica em contexto urbano e fora do palco. É idealizador do GIRE – Grupos Independentes em Rede, que promove encontros prático-teóricos entre coletivos e artistas pesquisadores de poéticas urbanas e a dança nesse contexto. Participou da Bienal SESC de Dança 2013, Festival Internacional Visões Urbanas com apresentações em São Paulo, Alagoas e Portugal, Mostra de Fomento à Dança, Festival Breu de Arte Urbana, Mostra Escambos Estéticos, inauguração do SESC 24 de Maio (intervenção Caravana Citadina, com direção de Alex Ratton), Mostra Lugar Nômade de Dança, Festival Satyrianas, Virada Cultural, entre outros.

Apoios e prêmios: Prêmio Denilto Gomes, Prêmio SESI Dança, apoio do Programa Municipal de Fomento à Dança com os projetos “Urgência – A cidade do avesso” (8ª Edição); “Corpo Poético, Corpo Político” (14ª Edição); “Entre-espaços: Relações possíveis no encontro com a rua” (16ª Edição); “Vir-a-Ser” (20ª Edição).

Ficha Técnica

Direção: Luciana Bortoletto
Criadores-intérpretes: Edi Cardoso, Luciana Bortoletto, Izabel Martinelli, Mônica Caldeira e Rodrigo Rodrigues
Provocadores convidados: Érika Moura, Fabrice Ramalingom, Luis Louis, Robson Lourenço, Rogério Tarifa e Valéria Cano Bravi
Figurinos: …AVOA! Núcleo Artístico e Telumi Hellen
Design Gráfico: Laura Wrona
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto / Márcia Marques
Fotografia: Silvia Machado
Produção: Aline Grisa/ Bufa produções
Assistente de Produção: Felipe de Galisteo/Bufa Produções
Músicos convidados: Daniel Arruda Van Ham (Percussão), Fernando Ruggiero Goldenberg (Trompete), João Batista di Brito (Sax), Santhiago Nery (Percussão) e Luciana Bortoletto (Sanfona e sonoplastia).
Apoios: Academia Activa, Associação Viva o Centro, Centro de Referência da Dança de São Paulo, Centro de Pesquisa da Máscara, Cooperativa Paulista de Dança e Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo – Programa Municipal de Fomento à Dança

Crédito da foto: Fabio Minagawa

Serviço

Solos de Rua – Atamento 3: Vir-a-Ser
…AVOA! Núcleo Artístico
Dias, 26, 27 e 28 de fevereiro de 2018
Segunda a quarta, às 15h30
Percurso: Início na Rua XV de Novembro, esquina com a Rua do Tesouro, centro de São Paulo – Referências de localização: próximo à Estação de Metrô Sé e Pátio do Colégio.
Observação: Em caso de chuva, não haverá apresentação.
Duração: 60 minutos
Classificação: Livre
Avoa nas redes sociais: www.avoanucleoartístico.com.br | Instagram @avoa.nucleo.artistico | Facebook: @nucleoavoa.danca

Deixe uma resposta