13° ABCDança continua com programação intensa pela região do ABC

A Associação Projeto Brasileiro de Dança – APBD e a Companhia de Danças de Diadema, em parceria com o Sesc São Paulo, realizam o 13º ABCDança, que acontecerá no período de 28 de setembro a 6 de outubro de 2018. O ABCDança é um projeto que promove ações de difusão, reflexão e formativas em dança, que percorre cidades da região do Grande ABCD Paulista com o objetivo de incentivar a circulação da linguagem pela região, bem como fomentar a participação de artistas, grupos e companhias locais. Na edição de 2018, o projeto acontecerá nas cidades de Diadema, Santo André e São Caetano do Sul, ocupando as unidades do Sesc, espaços culturais e espaços públicos. Todas as atividades serão gratuitas, visando abranger maior número de público e artistas interessados.

No sentido de aprimorar a ação, a mostra desse ano incluirá espetáculos de dança de companhias nacionais consagradas e o Sesc intensificou sua participação na curadoria do evento.

Com mais de 72 companhias inscritas e 10 selecionadas a programação será composta por apresentações de grupos, artistas, núcleos e companhias de dança, além de trabalhos das companhias de dança profissionais convidadas, ações formativas, intervenções artísticas e trabalhos que integram a Mostra Ivonice Satie, uma homenagem à bailarina, coreografa e fundadora da Companhia de Danças de Diadema. Essa mostra é composta por trabalhos iniciantes, amadores ou em processo de artistas e grupos independentes das cidades de Diadema, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Entre as companhias convidadas estão a Quasar Cia de Dança, com o espetáculo “O que ainda guardo…”, e a Cia Cisne Negro, com os espetáculos “Ziggy” e “Sra Margareth”, que acontecerão no Sesc Santo André e Teatro Paulo Machado de Carvalho (São Caetano do Sul), respectivamente.

Segundo, Ana Bottosso, diretora geral e coreógrafa da Companhia de Dança de Diadema, e idealizadora do Festival, o ABCDança iniciou com o intuito de celebrar a dança e hoje difunde esta linguagem artística para que atinja públicos em formação e em potencial.

Programação

Ziggy / Sra Margareth
Cisne Negro

04/10. Quinta, às 20h
Local: Teatro Paulo Machado
(Alameda Conde de Porto Alegre, 840 – Santa Maria – São Caetano do Sul)

Ziggy é o novo trabalho da cia, baseado na discografia de um dos maiores ícones da música mundial, David Bowie, que dispensa maiores apresentações. Um artista extremamente eclético, inovador, inquieto, muito à frente de seu tempo, que influenciou toda uma geração.

Sra. Margareth , com excertos de “Monger”, é uma adaptação de Barak Marshall para a CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA. “Monger” é um trabalho de dança-teatro para 10 bailarinos e conta a história de um grupo de funcionários, preso no porão da casa de uma patroa abusiva. Nesta obra, o movimento de Marshall é físico, afiado, rápido, com argumentos étnicos contemporâneos, altamente emotivos, visuais e teatrais. Na trilha musical da obra Monger, Barak combina elementos da música cigana e do sudeste europeu, passando pela música clássica e rock. Monger explora as dinâmicas de poder, hierarquia, livre arbítrio e os compromissos que são necessários para sobreviver. A estrutura da peça de narrativa é traçada a partir de várias fontes, incluindo a vida e a obra de Bruno Shultz e Jean Genet “As Criadas”.

Eu Outro
Com Cia Fragmento de Dança

5/10. Sexta, 21h.
Local: Sesc Santo André
(Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André)
Não recomendado para menores de 14.

Investigando o conceito de Dança Depoimento, a Cia Fragmento de Dança invade, expõe e divide ambientes íntimos, não somente para falar de si, mas para tornar-se o outro. Foram vários procedimentos, com o intuito de perceber como arte e vida dizem uma sobre a outra e como memórias que nos constituem não são propriedades privadas. A visita à casa dos avós, o afastamento das redes sociais, a revelação de experiências traumáticas do corpo, tudo quer estar visceral para existir nesse tempo do agora.

Estranhos Seres Nebulosos e Ilusórios
Com Cia. Artesãos do Corpo

6/10. Sábado, 16h.
Local: Sesc Santo André
(Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André)

Criação livremente inspirada na série de fotografias “Escultura do inconsciente” do fotografo Tatewaki Nio. Em meio ao caos, Nio captura paisagens suspensas no tempo, aparentemente desocupadas, repletas de sombras, de sobras, de texturas atemporais e de inacabamentos.

O que ainda guardo…
Com Quasar Cia de Dança (GO)

6/10. Sábado, 20h.
Local: Sesc Santo André
(Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André)

Espetáculo que une a dança da Quasar ao ritmo da Bossa Nova. As letras das canções de Bossa Nova foram pontos chave para que um tipo de movimento se arquitetasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos, e esta maneira coloquial de fazer poesia inspirou um tipo de movimentação que permeia toda obra.

Oficina de Vídeo e Dança
Com Felipe Teixeira e Mariana Molinos

03/10. Quarta, às 18h
Local: Centro Cultural Diadema
(Rua Graciosa, 300 – Centro – Diadema)
Não recomendado para menores de 14.

Com o desejo de compartilhar o conhecimento adquirido até o momento, Felipe Teixeira e Mariana Molinos, organizam uma oficina que utiliza o corpo e recursos tecnológicos (que vão de uma câmera profissional à câmera de celular) para explorar técnicas que ampliem a leitura dramatúrgica de um corpo em movimento a partir do recorte de uma tela. A oficina abrange desde aspectos técnicos de câmera, lente, obturador, etc… até práticas corporais conduzindo às possibilidades entre a associação destes conhecimentos.

Método Zumb.Boys (aula especial)
Com Márcio Greyk

03/10. Quarta, às 19h
Local: Sesc São Caetano
(Rua Piauí, 554 – Santa Paula – São Caetano do Sul)
Vagas limitadas. Controle de acesso no local.
Não recomendado para menores de 18.

Intervenção com passos marcados, inspirada nos estilos soul, funk e breaking, fortemente influenciada pelas danças sociais das décadas de 1960, 70, 80 e 90. Além da experiência de movimentos das danças urbanas, dentro do encontro teremos uma jam, intervenções como a “Soul Train”, simulação de batalha e perfomances coletivas.

Marcio Greyk é diretor do Grupo Zumb.boys. O grupo é uma junção de dançarinos com diferentes históricos e desde 2007 leva a dança urbana aos palcos e teatros. Essa combinação veio das trocas de experiências em oficinas, aulas, palestras, encontros com profissionais da dança de variados estilos, e da participação dos integrantes do grupo nos processos criativos em companhias dança contemporânea.

Crédito da foto: Divulgação | Cena de O Que Ainda Guardo, com a Quasar Cia de Dança

Deixe uma resposta