Uma Noite com Jirí Kylián

São Paulo Companhia de Dança, uma companhia brasileira com qualidade internacional. Com sete anos de existência, eles sempre nos brindam com temporadas lindíssimas e cheias de surpresas! O tema deste ano é “Corpo no Mundo”, e conta com cinco programas. O primeiro deles foi composto apenas com obras do grande mestre tcheco Jirí Kylián.

Quem me conhece, sabe do meu amor pelo clássico. Quando vi uma peça de Kylián pela primeira vez, eu nunca imaginei que me tornaria tão fã de um coreógrafo contemporâneo! O que mais me encanta em suas obras é a musicalidade. Os passos simplesmente fluem junto com a música, é lindo de ver… E a interpretação dos bailarinos da São Paulo é impecável, não dá para desgrudar os olhos da cena um minuto sequer!

11334134_826413474093708_7406323886748063404_o
São Paulo Companhia de Dança em Indigo Rose, de Jirí Kylián

A primeira obra da noite foi a estreia de Indigo Rose, uma peça marcada pela dualidade. São duas músicas barrocas de Bach, representando o lado sensível das relações humanas, duas músicas contemporâneas, que mostram a agitada vida moderna, o trabalho, o estudo, a correria… E um tecido branco no formato da vela de um barco, indicando os caminhos que seguimos em nossa jornada, o que passou e o porvir, que é sempre uma incógnita… Tal qual a SPCD, que a cada ano que passa inova e se renova!

037
Bruno Veloso e Aline Campos em Petite Mort, de Jirí Kylián
Crédito: Wilian Aguiar

A segunda parte do espetáculo nos trouxe obras já presentes no repertório da companhia, ambas com músicas do genial Amadeus Mozart, também enfatizando a dualidade.
Primeiro Petite Mort, na qual os bailarinos exalam musicalidade por todos os poros do corpo, vivendo a intensidade de cada momento da coreografia! Quando não se tem palavras para expressar, as emoções falam para demonstrar o que senti vendo essa peça…

Depois da emoção, o riso! Seis Danças veio para fechar a noite com chave de ouro! Uma obra leve, uma divertida comédia de costumes que ganhou meu coração desde a primeira vez que vi a São Paulo interpretá-la em 2013… A música mostra o lado alegre e inconfundível do compositor, na qual Kylián satiriza os costumes da época em que Mozart viveu. Uma peça para não se cansar de assistir (e de dançar também!)…

SPCD_4 - 2010
São Paulo Companhia de Dança em Seis Danças, de Jirí Kylián

Além de tudo isso, quem assistiu a noite Jiri Kylián teve um bônus: entre Petite Mort e Seis Danças aconteceu a exibição de um trecho da coreografia Birth-Day, com o Nederlands Dans Theater, na qual os bailarinos estão na cozinha “fazendo” um bolo de aniversário. É em peças como essa que vemos como movimentos simples do dia-a-dia podem se tornar uma coreografia genial! O vídeo faz parte do DVD “Nederlands Dans Theater celebra Jiri Kylian”, e vocês podem conferi-lo a seguir:

Foi uma noite incrível, tanto quanto todos os espetáculos da São Paulo Companhia de Dança que já assisti… E essa semana tem mais! De 11/06 à 14/06 está em cartaz um programa apenas de criações, com destaque para a estreia de Litoral, do argentino Mauricio Wainrot. Como será que vai ser? Na próxima eu conto para vocês…