Trabalhos de Joana Ferraz e Alice Vasconcelos fazem a Terça Aberta no Kasulo de agosto

Dois trabalhos fazem a Terça Aberta no Kasulo de agosto – ação idealizada pela Cia Fragmento de Dança, que acontece mensalmente no Kasulo – Espaço de Cultura e Arte –, no dia 27/8, às 20h: “Dilúvio – estudo”, de Joana Ferraz, e “Sonhei penhascos”, de Alice Vasconcelos. A entrada é gratuita.

“Dilúvio – estudo” convida o público para sentar em um novo mundo, fazer parte de sua topografia, estar junto de outras pessoas e múltiplas coisas. Este ‘Dilúvio’ pode ser um grande chão peludo e macio. Sua criadora, Joana Ferraz, colaborou com o Núcleo Vera Sala e com o Núcleo de Wellington Duarte. Foi artista residente da plataforma Exercícios Compartilhados e do projeto Lugarização. Entre seus trabalhos estão ‘Besta’, ‘Primeiro era Depois’ e o site-specific ‘Plongeé’, contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna. Em 2017 esteve em residência no teatro do Centro da Terra, com o projeto Bote. Apresentado ao lado das bailarinas Larissa Ballarotti, Luiza Meira Alves, Marina Matheus e Mariza Virgolino, “Dilúvio” conta com o músico R. Vincenzo e a iluminadora Laura Salerno.

“Sonhei penhascos”, dança-solo inspirada na obra poética “Do Desejo”, de Hilda Hilst, é um experimento cênico de uma mulher em busca das formas, intensidades e rupturas criadas pelo desejo em seu corpo. Investigando o Desejo como força motriz, a intérprete-criadora se propõe a transitar entre estados corporais diversos à procura de um fluxo incessante de prazer e movimento. Formada pela Escola de Dança de São Paulo, Alice Vasconcelos, desde 2012, trabalha com dança contemporânea. Artista-residente no CRDSP, desde julho de 2017, tem se dedicado à pesquisa deste solo. É também graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo.

Terça Aberta

Com curadoria de Janaína Leite (atriz do Grupo XIX de Teatro) e Vanessa Macedo (bailarina e diretora da Cia Fragmento de Dança), o projeto Terça Aberta no Kasulo propõe intersecção, debate e difusão de trabalhos de dança, teatro e performance.

O evento acolhe trabalhos em processo, inéditos ou já estreados, em meio a um bom papo entre os artistas, com a participação do público e mediação das curadoras e acompanhado ainda por comidinhas preparadas pelos integrantes da Cia Fragmento de Dança e vendidas no bar do Kasulo Espaço de Cultura e Arte, sede da Cia.

A ação teve início em outubro de 2016, integrando a programação do projeto “Atravessamentos”, realizado pelo Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo. Em 2017, recebeu o Prêmio Denilto Gomes, na categoria “Difusão em Dança”. Em 2018, seguiu de forma independente, com recursos próprios da companhia.

Em setembro, o programa fará edição especial, no dia 25, sobre a temática LGBTQ, com a participação dos trabalhos “Situação: posição amorosa”, de Wellington Duarte, “ Manifesto Cu”, de Artur de Maia, e “Barbie Black Swan – Ser ou não cisne?”, de Andrew Tassinari.

A entrada é gratuita e os ingressos são distribuídos uma hora antes do início da apresentação.

Serviço

Terça Aberta no Kasulo
Com: “Dilúvio – estudo”, de Joana Ferraz, e “Sonhei penhascos”, de Alice Vasconcelos
Dia 28 de agosto de 2018
Terça, às 20h
Loca: Kasulo – Espaço de Cultura e Arte
Rua Souza Lima, 300, Barra Funda – São Paulo – SP
(Próximo ao Metrô Marechal Deodoro – Linha Vermelha)
Ingresso: Gratuito (retirada a partir das 19h)
Informações: (11) 3666-7238
Capacidade: 40 lugares
Classificação indicativa: 16 anos

Deixe uma resposta