Sesc 24 de Maio recebe o espetáculo Anonimato – Orikís aos Mitos Pessoais Desaparecidos

Nos dias 27, 28 e 29 de abril (sexta e sábado, às 21h; domingo, às 18h) a Cia Treme Terra apresenta o espetáculo de dança “ANONIMATO – Orikís aos Mitos Pessoais Desaparecidos”, no Sesc 24 de Maio. A apresentação acontece no Teatro e dá espaço a grupo que tem como foco dar visibilidade à memória negra.

Aspectos ligados ao soterramento e aniquilamento das memórias negras formam o mote que deu origem ao espetáculo. Inspirada no cotidiano social marcado por um histórico racista e colonialista, a coreografia retrata a violência sofrida por pessoas e tradições culturais de matrizes africanas, indígenas e periféricas.

De maneira poética, mas não dissociada de uma ação libertária, a Cia Treme Terra traça um paralelo simbólico através da emulação de rituais de axexê – cerimônia realizada após o ritual fúnebre de uma pessoa iniciada no candomblé. O trabalho passa também por tradições culturais yorubá e bantu.

O espetáculo, que foi contemplado no 20º edital de Fomento a Dança da Cidade de São Paulo, tem direção geral e musical de João Nascimento e direção coreográfica de Firmino Pitanga. As criações cênicas-musicais são resultados de processos e vivências coletivas.

Histórico da Cia Treme Terra

Surgida em 2006, a Cia Treme Terra tem o propósito de valorizar, pesquisar e difundir a Cultura Negra e contribuir para a descentralização da produção de dança contemporânea em São Paulo. O grupo é fruto das atividades socioculturais e de formação artística promovidas no Morro do Querosene, zona oeste da cidade.

Desde 2009, a Treme Terra está localizada no bairro Rio Pequeno, onde criou o Afrobase, sede da Cia e núcleo de formação nas linguagens de dança e música. Além da ação cultural, a proposta é promover discussão, troca e pesquisa com enfoque específico na Cultura Negra com a comunidade do entorno.

No mesmo ano, a Cia estreia sua primeira obra: Cultura de Resistência. O trabalho aborda o processo da diáspora negra, a formação da Cultura Afro no Brasil e, ainda, discute o conceito de “Quilombo Urbano”. O projeto também resultou na criação de um disco com as trilhas criadas para o espetáculo e um vídeo-documentário com performances de dança em espaços públicos e depoimentos de importantes artistas que contribuíram para processo de montagem.

A Cia, então, convida o coreógrafo Firmino Pitanga para dar início ao seu novo projeto de pesquisa. Sob o título Terreiro Urbano, o espetáculo estreou em 2012, no Grande Auditório do Masp e se baseou em pesquisa sobre danças dos orixás em contexto urbano. O trabalho ressignifica simbolicamente um xirê (cerimônia tradicional de saudação e exaltação a todos os orixás seguida de danças do candomblé), aproximando-o do contexto de cidades.

Ficha técnica

Direção geral e musical: João Nascimento
Direção coreográfica: Firmino Pitanga
Orientação Artística: Clyde Morgan e Lais Morgan
Grafite digital: Achiles Luciano
Cenário: Julio Dojcsar
Figurino: Isa Santos
Iluminador e técnico de luz: André Rodrigues
Técnico de som: Lindenberg Oliveira
Produção executiva: Fernanda Rodrigues e Fernanda Perea
Produção operacional: Alexandre Alves e Pedro Santos
Elenco em cena: AfroJu Rodrigues, Abraão dos Santos, Beatriz Cristina, Bianca Pregno­lato, Bira Nascimento, Daniel Pretho, Fernanda Perea, JB, João Nasci­mento, Luana Bayô, Luciano Virgílio, Pedro Henrique, Rafael Mansor, Tamiris Zaco, Terená Kanouté e Thiago Bilieri.
Preparação de elenco: Oficinas Teóricas
História das Artes Negras e as Lutas Contra os Mecanismos de invisibilização, extermínio cultural e racismo: Salloma Salomão
Imortalidade Yorùbá – Oriki Orixá: Pedro Neto
Mitologia dos Orixás: Reginaldo Prandi
Cultura Banto Angola: Makota Valdina
Lingua Yorùba: Orlando
Oficinas de Práticas Corporais:
Dança Negra: Firmino Pitanga e Terená Kanouté
Capoeira: Contra Mestre Daniel Pretho
Yoga: Alexandre Paulain
Os Orixás na Dança Contemporânea: Edileusa Santos
Dança Tradicional dos Orixás: Enoque Santos
Ritmos Afro-Brasileiro e Percussão Corporal: João Nascimento

Crédito da foto: Raul Zito

Serviço

Anonimato – Orikís aos Mitos Pessoais Desaparecidos
Cia. Treme Terra
De 27 a 29 de abril de 2018
Sexta e sábado, às 21h, domingo, às 18h.
Local: Sesc 24 de Maio – Teatro
Rua 24 de Maio, 109, Centro – São Paulo/SP
Ingressos: R$ 20 (inteira); R$ 10 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência); R$ 6 (credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).
Informações: (11) 3350-6300
Duração: 60 minutos
Classificação etária: 14 anos.
Capacidade: 216 lugares

Deixe uma resposta