São Paulo Companhia de Dança conquista prêmio na França

Após ter sido contemplada nesta semana com dois prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes) – melhor estreia de 2018 com Melhor Único Dia, de Henrique Rodovalho, e com o prêmio técnico de Vivien Buckup, professora de dramaturgia para o espetáculo O Lago dos Cisnes – a São Paulo Companhia de Dança, corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, acaba de receber o prêmio como melhor companhia de dança da temporada na França, o Grand Prix de la Critique – 2018/2019. É a primeira vez que uma companhia brasileira conquista essa renomada premiação, reforçando assim o compromisso da SPCD em inspirar cada vez mais as pessoas com a beleza da dança, seja no Brasil ou no exterior. A cerimônia aconteceu no dia 21 de junho, às 11h (horário local), na Opéra Comique, em Paris.

“Uma jovem companhia ultradinâmica e com uma técnica impecável é o argumento de venda que o Chaillot – Théâtre National de la Danse – usou para interessar o público sobre a vinda da São Paulo Companhia de Dança”, pontua Yves Bourgade, do site francês WebThéâtre.

A Companhia se apresentou em territórios franceses no renomado Chaillot – Théâtre National de la Danse e no Carré Sainte Maxime, no mês de abril, durante a primeira viagem internacional deste ano, onde também passou por outros países, como: Holanda, Alemanha e Suíça.

Inês Bogéa e Luca Baldovino | Crédito da foto: Gaelle Astier Perret

O reconhecimento internacional deu-se especialmente pela passagem da Companhia no Chaillot, com o programa: Suíte para Dois Pianos, de Uwe Scholz; Pássaro de Fogo Pas de Deux, um duo de Marco Goecke e; Odisseia – uma produção da Associação Pró-Dança e coprodução com o Chaillot – Théâtre National de la Danse – da coreógrafa francesa Joelle Bouvier.

Suíte para Dois Pianos:

Pássaro de Fogo – Pas de deux

Odisseia

“Estou muito feliz e honrada de estar com vocês em Paris hoje. Felizmente, a arte não tem fronteiras […]. É um privilégio para nós, uma companhia brasileira criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo, apresentar nossas criações, nossos projetos educativos e de memória para diversas pessoas[…]. São os coreógrafos, os bailarinos, os técnicos, os produtores, os programadores e o público que nos trouxeram até aqui. Este prêmio pertence a todos! ”, pontua Inês Bogéa durante a cerimônia de premiação.

O Grand Prix de la Critique é uma premiação anual que avalia companhias do mundo todo. Conta com um júri composto por mais de 20 críticos de dança, de jornais e revistas internacionais, como Financial Times, Le Monde, France Culture, Chroniques de danse, entre outros.

A inspiração é brasileira, mas o reconhecimento é internacional. SPCD é a primeira companhia brasileira a ganhar o Grand Prix de la Critique.

As novidades não param por aí e a São Paulo Companhia de Dança já começa a se preparar para a segunda turnê internacional, de 19 a 21 de julho, em Wolfsburg, na Alemanha, onde abrirá o festival na inauguração do novo teatro que sediará o Movimentos Autostadt. O programa contempla a estreia mundial de Trick Cell Play, do coreógrafo canadense Édouard Lock; a estreia europeia de Agora, de Cassi Abranches; além de Gnawa, de Nacho Duato.

Sobre a SPCD

Criada em janeiro de 2008, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é um corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, doutora em Artes, bailarina, documentarista e escritora. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos XIX, XX e XXI de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas, especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 660 mil pessoas em 17 diferentes países, passando por mais 136 cidades, em mais de 860 apresentações. Desde sua criação, a Companhia já acumulou 25 prêmios, nacionais e internacionais. Além da Difusão e Circulação de Espetáculos, a SPCD tem mais duas vertentes de ação: os Programas Educativos e de Formação de Plateia e Registro e Memória da Dança.

Inês Bogéa – Direção Artística

Inês Bogéa é doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora, professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP) e autora do “Por Dentro da Dança” com a São Paulo Companhia de Dança na Rádio CBN. De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora de diversos livros infantis e organizadora de vários livros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança.

Crédito da foto: Clarissa Lambert | Cena de Odisseia

Deixe uma resposta