Rosa Antuña estreia espetáculo “O Vestido” em BH

Rosa Antuña_O Vestido_1 2 na Dança-0167

Estréia no próximo dia 23 de maio, em Belo Horizonte, o solo de dança “O Vestido”, dirigido e interpretado pela artista mineira Rosa Antuña. O espetáculo do Núcleo de Criação Rosa Antuña é a 2ª parte da “Trilogia do Feminino” (iniciada em 2010 com o solo “Mulher Selvagem”) e trata dos sentimentos e conflitos de uma mulher que tem sua vida transformada ao deparar com um vestido na vitrine. A montagem cumpre únicas apresentações no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (Av. Afonso Pena, 401 – Mangabeiras – Info: 31 32294616), de 23 a 25 de maio de 2014, Sexta e Sábado, às 20H; Domingo, às 19H. Os ingressos custam R$ 15,00 (inteira) e R$7,50 (meia para estudantes com comprovante, pessoas acima de 60 anos).

“O trabalho surgiu para falar de qestões do mundo de hoje e de como a mulher está inserida neste contexto e o que me despertou para isso foi um vestido na vitrine. Percebi ali inúmeros sentimentos e contradições, além de temas como o desejo, o consumo e própria condição da mulher, ainda hoje cheia de regras e tabus sociais, que poderiam gerar uma criação”, comenta Rosa Antuña. “Durante a elaboração, busquei inspiração em obras de Lewis Carrol, além de mergulhar no universo de Pina Bausch e míticas personagens como as rainhas Vitória e Elizabeth, mulheres que transgrediram as regras e marcaram seu tempo”, conclui.

A multiplicidade de linguagens – dança, teatro, música e poesia – é a principal marca do solo, influenciado por artistas como o coreógrafo Mário Nascimento (parceira na companhia MN há 11 anos) e do diretor teatral Eugenio Barba e da atriz Roberta Carreri, ambos do Odin Teatret, da Dinamarca, com quem Antuña realiza um intercâmbio desde 2008 e, recentemente, integrou o Seminário Odin Week, junto com outros 50 artistas de 12 países. “São experiências e encontros com artistas como esses que possibilitam o aprofundamento de uma linguagem cada vez mais plural, com os limites bastante diluídos na cena entre a bailarina, a atriz e a musicista, como acontece neste solo”, explica Antuña, que projeta terceira parte da trilogia para 2015, baseado na obra da psicanalista e escritora Regina Navarro Lins.

Realizado com recursos próprios, “O Vestido” realizou bem sucedidas pré-estreias em 2013 nos eventos Satyrianas (São Paulo), no 7° Seminário de Dança de Joinville no 31° Festival Internacional de Dança de Joinville (SC) e na Mostra Internacional de Solos e Duos 1,2 na Dança (BH).

“Vale salientar que o refinamento de Rosa Antuña, que também fala, canta e toca instrumentos, habilidades que se somam para projetá-la entre as melhores bailarinas do País.” Helena Katz – crítica de dança – Jornal O Estado de São Paulo.

Confira trecho do espetáculo:


Rosa Antuña

Fundadora do Núcleo de Criação que leva seu nome, a bailarina, atriz e musicista Rosa Antuña estudou ballet clássico no Centro Mineiro de Danças Clássicas (BH), Centro Pro-Danza de Cuba (La Havana) e Palucca Schule Dresden (Alemanha). Como bailarina contemporânea, inicou sua carreira na Cia. Mário Nascimento, em 2003, com a montagem de “Escambo”. Entre 2005 e 2007, trabalhou no Balé da Cidade de São Paulo, atuando em coreografias de Germaine Acogni, Itzik Galili, Henrique Rodovalho, Mário Nascimento e Jorge Garcia. Conquistou os prêmios de Melhor bailarina no 1º Prêmio Usiminas/Sinparc MG 2004 (Escambo – Cia MN) e o 14º Prêmio SESC Sated MG 2009 (Faladores – Cia MN). Como diretora e coreógrafa, criou trabalhos para o CEFAR (Escola de Dança do Palácio das Artes/BH), Cristal Cia. de Dança (BH), Grupo Êxtase de Dança (Viçosa/MG) e Cia. de Dança Mitzi Marzzutti (Vitória/ES). Como atriz, passou pela na graduação de Teatro da UFMG e participou de diversas oficinas. Na música, integrou o “Baque de Maracatu Trovão das Minas” e o “Grupo de Côco Pé de Saia e o Menino”, ambos em BH, além de iniciar estudos em pandeiro, canto popular e violino.

Em 2010, estreia a 1ª parte da “Trilogia do Feminino”: o solo “Mulher Selvagem”, inspirado no livro “Mulheres que Correm com os Lobos”, de Clarissa Pinkola Estés, apresentado ainda hoje por todo o Brasil. Atualmente, é assistente de direção e de coreografia, professora de dança contemporânea, improvisação, teatro e voz e intérprete da Cia. Mário Nascimento. Criou a oficina de Arte-Integrada (dança, música e teatro), desenvolvida ao longo de seu trabalho com a Cia MN. Saiba mais: www.nucleoantuna.blogspot.com.br

Ficha Técnica

Criação, direção, coreografia, textos e atuação: Rosa Antuña. Cenografia e luz: Mário Nascimento. Produção do figurino e Trilha (compilação): Rosa Antuña. Edição da trilha: Eduardo Borges. Técnico de luz: Marcel Bento. Vídeos: Duda Las Casas e Alex Silva. Edição de vídeo: Duda Las Casas, Alex Silva e Gustavo Silvestre. Assessoria de comunicação: Comcultura Comunicação. Mídias sociais: Rosa Antuña. Fotos: Duda Las Casas e Marco Aurélio Prates. Produção: Cia. MN. Assistentes de produção: Luciana Lanza, Herivelto Campos e PV Carvalho. Apoio: Oi Futuro, Gráfica Stef, Studio IT, Corpo Escola de Dança, Núcleo Artístico de Dança, Studio Pilates Andrea Mourão, Salão Jacques Janine BH, Cia. Mário Nascimento.

SERVIÇO

O Vestido
Rosa Antuña
Teatro Oi Futuro Klauss Vianna
Av. Afonso Pena, 401 – Mangabeiras – Belo Horizonte – MG
De 23 a 25 de maio
Sexta e Sábado, às 20h; Domingo, às 19h.
Ingressos: R$ 15,00 (inteira) / R$7,50 (meia para estudantes com comprovante, pessoas acima de 60 anos).
Informações: (31) 3229.4616
Duração: 45 minutos.
Classificação: Recomendado para maiores de 12 anos.