Restless Creature: Wendy Whelan chega na Netflix

Chegou na Netflix o documentário Restless Creature, que conta um pouco da história da bailarina Wendy Whelan, que dançou por 30 anos na New York City Ballet. Este e outros filmes de dança você encontra na nossa página dedicada especialmente ao conteúdo disponível na Netflix (clique aqui).

Uma das bailarinas mais admiradas dos últimos tempos, Wendy Whelan foi celebrada por seu comportamento não-diva e sua longevidade notável, bem como por sua habilidade dançante. “Se eu não dançar, eu prefiro morrer”, ela afirmou enquanto fala sobre deixar o único ambiente que ela conhece e enfrentar o que vem depois. Quando ela chegou aos meados dos seus 40 anos, o New York City Ballet começou a aliviar sua participação em papéis de assinatura, e uma lesão séria do quadril exigiu cirurgia.

A filmagem de suas apresentações, passadas e presentes, é deslumbrante, mas o que define este filme excitante acima de outros documentários de dança é a personalidade envolvente de Wendy Whelan e o extraordinário acesso que ela dá aos cineastas (Linda Saffire e Adam Schlesinger) quando enfrenta uma crise que a obriga não só a enfrentar o possível final de sua carreira, mas também, como ela percebe, crescer como pessoa e artista.

Ao longo do documentário fascinante de Saffire e Schlesinger, assistimos que Whelan lida com questões sobre sua própria identidade e valor. As imagens históricas mostram sua dança como uma garota muito jovem em sua cidade natal de Louisville, Kentucky, depois como adolescente sozinha em Nova York e, finalmente, como uma bailarina em ascensão com a NYBC.

A incansável honestidade de Whelan, sua determinação incansável e sua atitude venerável, juntamente com sua dança de tirar o fôlego, fazem de Restless Creature: Wendy Whelan, não apenas um retrato fascinante de um artista que luta com mudanças, mas também uma delícia de assistir.

Teaser

“Bravíssima!… O filme é inspirador… Os co-diretores Saffire e Schlesinger tecem este diário prolongado em uma narrativa tão fluida, comprometida e elegante em seus movimentos como uma das performances de Whelan”.
David Rooney, Hollywood Reporter

“Este retrato afetuoso do filme pode se esgueirar em você… O filme é uma história de retorno e, mais profundamente, um entendimento com o envelhecimento”.
Brian Seibert, The New York Times

Fonte: Gene Siskel Filme Center | Films We Like

Deixe uma resposta