Realidade Virtual e Dança se encontram em MIRA, espetáculo da SPCD com lançamento inédito no Brasil

A dança sob uma nova perspectiva é a proposta da São Paulo Companhia de Dança, sob direção de Inês Bogéa em parceria com Luciano Cury e João Marcello Bôscoli. A coreografia “MIRA” (2018) de Milton Coatti foi especialmente criada para ser assistida em 360 graus e foi gravada na OCA, um espaço especial e diferenciado, que segundo Cury, “…se encaixou plenamente a esta ideia…”. O uso da tecnologia da Realidade Virtual, propõe ao espectador ser o centro da ação, mas também parte do coletivo, imerso, aguçando a percepção dos detalhes aos mais sutis movimentos dos corpos na dança.

O lançamento acontece em São Paulo, no espaço da UMA de Raquel Davidowicz, criadora dos figurinos da obra, dia 28 de agosto das 18h as 21h. Os convidados poderão vivenciar a plenitude da experiência imersiva através dos óculos VR, em que o espectador escolhe para onde virar e olhar, por isso, é uma proposta extremamente dinâmica que pode ser assistida várias vezes, sempre com o olhar atento a descobrir novas perspectivas.

“O desafio deste projeto foi criar algo exclusivo para o ambiente virtual. Um observador único, no centro do espaço cênico, com visão 360 graus da coreografia” | Luciano Cury

“Foi uma experiência gratificante e inédita para uma Companhia do Brasil. Estamos motivados para continuar buscando novas formas de divulgar a dança além dos palcos.” | Inês Bogéa

“Participar de um processo criativo onde uma coreografia foi especialmente desenvolvida para ser vista de maneira imersiva, em realidade virtual, foi desafiador, vibrante e gratificante.”, comenta João Marcelo Bôscoli

Mira foi concebida a partir da possibilidade de ser assistida em 360 graus, trazendo o espectador para dentro da coreografia, numa experiência imersiva sensorial. É a uma nova percepção sobre o olhar para a dança, que coloca o público como parte integrante do trabalho. O nome remete a estrela Mira, uma gigante vermelha das mais brilhantes da constelação Cetus, que muda a aparência de forma significativa em ciclos de 304 a 353 dias. Também remete ao verbo “mirar”, do latino “miro”, que significa ver, olhar com espanto ou intensamente ou longamente à distância, admirar-se.

Sobre a São Paulo Companhia de Dança

Criada em janeiro de 2008, pela Secretaria da Cultura do Estado, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) – gerida pela Associação Pró-Dança – é dirigida por Inês Bogéa. A SPCD é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos 19, 20 e 21 de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada, acumulando 17 prêmios no Brasil e no exterior. Desde sua criação já foi assistida por um público superior a 620 mil pessoas, passando por 67 cidades do Estado de São Paulo, 17 cidades do Brasil e 51 cidades do exterior em 16 países em mais de 800 apresentações.

Os Programas Educativos e de Formação de Plateia para a Dança, outra vertente de ação da SPCD, vem no movimento da Companhia a cada cidade por onde ela passa e encontra pessoas que apreciam e praticam a arte da dança. Nas Palestras de Dança temos a oportunidade de diálogo sobre os bastidores dessa arte, nas Oficinas de Dança, um encontro para vivenciar o cotidiano dos bailarinos da SPCD, nos Espetáculos Gratuitos Para Estudantes e Terceira Idade a proposta é de ver, ouvir e perceber o mundo da dança, e por meio do Dança em Rede, uma enciclopédia de dança online e colaborativa disponível no site da Companhia, mapeamos a dança de cada cidade por onde a SPCD passa. A Companhia também promove espaços onde interessados na arte da dança possam compartilhar experiências. Assim criou o Seminário Internacional de Dança, que visa abordar a prática da dança em diferentes perspectivas e o Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança, evento que proporciona um ambiente de arte, permitindo um estudo teórico-prático de técnicas de dança. Além destes, os programas educativos também compreendem: Projeto Meu Amigo Bailarino; Aulas Abertas; Intercâmbio com Projetos Sociais e Performances em museus e espaços públicos.

A dança tem muitas histórias, e para revelar um pouco delas a Companhia criou a série de documentários Figuras da Dança, que traz a história desta arte contada por quem a viveu. Os episódios podem vistos nos canais Arte 1, Canal Curta!, TV Cultura e Univesp TV, e no canal da SPCD no Youtube. Até 2017 foram produzidos 34 documentários. A SPCD também publicou seis livros de ensaios, além de documentários para professores e outros que registram os bastidores da sua ação. A área de memória também conta com a realização de exposições e produção de teasers e documentários sobre a trajetória da SPCD.

Inês Bogéa

Diretora da São Paulo Companhia de Dança. Doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora dos livros infantis: O livro da dança; Contos do balé e Outros Contos do balé. Organizadora dos livros Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo; Passado-Futuro – Textos e fotos sobre a São Paulo Companhia de dança, entre outros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança e da série Figuras da Dança da SPCD.

Crédito da foto: Coreografia 360º | Filmagem: Charles Lima

Serviço

Mira
São Paulo Companhia de Dança
Dia 28 de agosto de 2018
Terça, das 18h às 21h
Local: UMA Raquel Davidowicz
R. Girassol, 273 – Vila Madalena, São Paulo – SP
Duração do evento: 3 horas
Indicação Classificativa: Livre
Evento somente para convidados

Deixe uma resposta