Programação de dança do Sesc Campo Limpo tem espetáculos, intervenções e cursos grátis

Passinho_foto Fernanda Vallois
Passinho – Foto: Fernanda Vallois

O Sesc Campo Limpo apresenta dois espetáculos de dança no final de abril, além de intervenções, cursos e vivências na área. No dia 28 (quinta, às 20h) o palco é da Cia de Teatro Coreográfico Artista do Corpo com a montagem Cisne, concebida e dirigida por Dinah Perry. No dia 29 (sexta, às 20h) entra em cena #Passinho, dirigido e coreografado em dupla por Lavínia Bizzotto e Rodrigo Vieira, que em participação de garotos de comunidades cariocas como dançarinos.

Cisne é uma reflexão sobre questões íntimas do universo feminino, explora sensações e emoções para contar histórias de personagens que vivem a beleza e a fragilidade da alma da mulher. Concebido como dança teatralizada e teatro musicado, a montagem possui dramaturgia subjetiva com textos e poemas que dão unidade à obra. #Passinho foi criado a partir de pesquisas na comunidade de Manguinhos, no Rio de Janeiro, e também na cidade de São Paulo. O espetáculo reverencia o estilo revelado nas batalhas de passinho para escolher o melhor dançarino dos bailes funk.

Antes das apresentações, às 19h, acontecem bate-papos com o tema Dança – À Que Vale? com profissionais da área que compartilham seus olhares sobre a importância e as possibilidades da arte: Rubens Oliveira e Dinah Perry, no dia 28/4; Gal Martins e Rodrigo Vieira, no dia 29/4.

Outros destaques completam a programação: intervenção sobre culturas populares e afro-brasileiras com o grupo Umoja (21/04, às 18h); intervenção Cardápio de Dança (30/4, às 16h) com a Liga da Dança Dura; Jam Session (30/4, às 20h), jam de dança com participação do Grupo Gurias; cursos de Vivência de Waacking (30/04, às 15h) e de Dança Social (30/04, às 19h). Esses três últimos também com o grupo feminino Gurias. Toda a programação é gratuita.

PROGRAMAÇÃO

Espetáculo: Cisne
Com Cia. Artista do Corpo
Livre. Grátis.
28/04. Quinta, das 20h às 21h30

Uma reflexão sobre as questões íntimas do universo feminino. Sensações e emoções são referências usadas pela diretora Dinah Perry para contar histórias de personagens que vivem a beleza e a fragilidade da alma da mulher. Entregues às situações propostas, elas buscam expressar a essência da feminilidade por meio das várias facetas da mulher: apaixonada, triste, alegre, inocente, desajustada, ansiosa, sofisticada, provocadora, sensual e sexual. A forma de expressão corporal está na linguagem da dança teatralizada e teatro musicado, unidos por uma dramaturgia subjetiva de textos e poemas que norteiam a criação. A origem de Cisne se dá pelos gêneros poético, lírico e épico, alinhados por uma composição contemporânea, formada por cenas independentes, configuradas por sketches de coreografias autorais. As cenas resultam em um conceito corporal técnico e requintado de movimentos desconstruídos.

Expressão da dança paulista com mais de 40 anos de carreira, Dinah Perry é diretora, coreógrafa e arte-educadora em dança e teatro. Bailarina formada pelo Theatro Municipal de São Paulo, ela desenvolve sua técnica autoral em teatro coreográfico por meio de um trabalho independente e de pesquisa junto à sua Cia. Artista do Corpo, na qual assina a direção e criação dos espetáculos. Dinah atua nas linguagens de dança clássica, teatro musical, jazz, dança contemporânea, técnicas aéreas de circo e teatro físico. Trabalha também como preparadora corporal para atores e bailarinos, assina direção artística de espetáculos no Brasil e exterior.

Espetáculo: #Passinho
Livre. Grátis.
29/04. Sexta, às 20h

#Passinho conta com nove meninos de diferentes comunidades cariocas apresentando a dança ao som de funk. Para a montagem do espetáculo, os coreógrafos Lavinia Bizzotto e Rodrigo Vieira visitaram comunidades em busca de uma narrativa para a apresentação. Os diretores desenvolveram o espetáculo a partir de pesquisas na comunidade de Manguinhos, no Rio de Janeiro, e também em São Paulo. Com a ajuda dos dançarinos, criaram a coreografia, letras e trilha sonora. Originado a partir do funk carioca, o passinho (virtuoso, criativo e irreverente) ganhou espaço, com influências do samba, frevo e outras danças urbanas. A dança foi revelada nas batalhas de passinho, evento criad para escolher o melhor dançarino do baile funk. O Passinho vem ganhando maturidade e testemunhando a cultura das favelas. Já fez “tremer” o Theatro Municipal do Rio de Janeiro e o Lincoln Center de Nova York com sua precisão e a técnica.

Ficha técnica
Direção e coreografia: Lavínia Bizzotto e Rodrigo Vieira.
Dançarinos: DG Fabulloso, CL Fabulloso, GN Fabulloso, Jackson Fantástico, Iguinho Imperador, Leony Fabulloso, Michel Quebradeira Pura, Nego e Sheick.
Música: Kuki Stolarski e Leony Fabulloso.
Figurino: Lucas Leão.
Luz: André Boll

Rodrigo Vieira estudou dança no Brasil e, por vários anos, residiu na Europa onde integrou o elenco de diversas companhias, destacando o Ballet Gulbenkian. Atualmente, vive em São Paulo e desenvolve projetos na área da dança e formação. Já trabalhou com Cristiane Paoli Quito, Esio Magalhães e Bel Setti. Entre seus trabalhos recentes, destaca-se Na Batalha (2014) e #Passinho (2015). É também formado em Biopsicologia, realizador e produtor de eventos relacionados ao bem estar e desenvolvimento humano. Lavínia Bizzotto Bailarina contemporânea, diretora de movimento e atriz. Iniciou sua carreira em 1997 na Quasar Cia. de Dança, onde permaneceu como bailarina principal e ensaiadora por 10 anos. A partir de 2007, seguiu carreira solo com Na dobra do Tempo, que participou de vários festivais ao redor do Brasil. Também estudou atuação e vem trabalhando como atriz, coreógrafa, preparadora e diretora de movimento.

Intervenção: Umoja
Com grupo Umoja
Livre. Grátis.
21/04. Quinta, às 18h

Sediado na Zona Sul de São Paulo, o grupo Umoja, que na língua africana swahili significa “unidade”, é composto por atores, dançarinos, percussionistas, educadores que partilham da identificação com o universo das culturas populares e afro-brasileiras. O grupo apresenta o encontro de tambores transitando pelo maracatu, samba de roda, coco, ciranda e afoxé. A intervenção integra o projeto Encontros Transversais que, por meio de vivencias e contemplações, promove encontros que possibilitam a experimentação e reflexão sobre o compromisso com a construção da cidadania.

Bate-papo: Dança – À Que Vale?
Livre. Grátis
28/04. Quinta, às 19h – Participação: Rubens Oliveira e Dinah Perry
29/04. Sexta, às 19h – Participação: Gal Martins e Rodrigo Vieira

Os coreógrafos compartilham olhares sobre a importância e as possibilidades da dança contemporânea. Rubens Oliveira é bailarino, coreógrafo, ator e arte-Educador, formado pelo Método de Reeducação do Movimento Ivaldo Bertazzo, há oito anos. Dinah Perry é Coreografa da Cia. Artista do Corpo com 40 anos de carreira. Gal Martins é atriz, coreógrafa, bailarina e diretora da Cia. Sansacroma.

Intervenção: Cardápio de Dança
Com Liga da Dança Dura – Para adultos e crianças
Livre. Grátis.
30/04. Sábado, às 16h e às 18h

A intervenção consiste em oferecer um cardápio escrito numa lousa para que os transeuntes possam escolher (os ingredientes) o que os três bailarinos dançarão. Os pedidos desse “cardápio” são interpretados e improvisados em forma de dança, tendo como ponto de partida as sensações que as escolhas e histórias do público despertam. O público escolhe a combinação do “prato” e como quer que ele seja feito. E assim, o trio improvisa a partir das sensações que as palavras despertam e das qualidades de movimento escolhidas. O Cardápio de Dança da Liga da Dança Dura é um espetáculo de improviso cênico (inspirada nos pedidos do público), composta por células coreográficas criadas no espaço em que a dança acontece.

Intervenção: Jam Session
Com grupo Gurias
Livre. Grátis
30/04. Sábado, das 20h às 21h30

A jam de dança é um momento de descontração e animação, comandado por um mestre de cerimônias, onde todos podem colocar em prática suas experiências e memórias relacionadas com a dança, ouvir boa música e movimentar-se livremente ao som de dois DJs convidados. O Grupo Gurias faz intervenções coreográficas durante a festa.

Gurias é um grupo de danças urbanas formado apenas por mulheres, sendo referência feminina nas street dances. Com sede na cidade de São Paulo, foi formado em 2012 por integrantes de outros grupos existentes. O grupo busca, principalmente, incentivar outras mulheres à prática e ao estudo das danças urbanas, a fim de diminuir o espaço existente entre homens e mulheres, tanto na qualidade técnica, quanto no número de praticantes. O coletivo trabalha com a mescla de estilos de danças urbanas.

Curso: Vivência de Waacking
Com grupo Gurias
Livre. Grátis. Inscrições abertas na Central de Atendimento.
30/04. Sábado, das 15h às 16h30

Vivência do estilo waacking, criado nos anos 70 em plena era disco, nos clubes de Los Angeles. É uma dança glamorosa, pertencente ao universo das danças urbanas, que utiliza principalmente os membros superiores com uma técnica que envolve linhas, movimentos circulares, mudança de velocidade e poses. Esta vivência tem como público alvo pessoas que tenham alguma experiência em dança.

Curso: Dança Social
Com Grupo Gurias
Livre. Grátis.
30/04. Sábado, das 19h às 20h

Partindo das danças sociais dos anos 70, 80 e 90, os famosos passinhos de festa, o curso Dança Social tem como característica os movimentos fáceis, simples, geralmente cíclicos e bilaterais, que permitem serem executados várias vezes seguidas para ambos os lados. A ideia é que todos se divirtam e entrem no clima da dança. A aula conta com o auxílio de um MC (mestre de cerimônias) que vai animar a galera e dar as coordenadas da dança.

SERVIÇO

Sesc Campo Limpo
Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo – São Paulo/SP.
Informações: (11) 5510-2700
Ingressos: Grátis

 

Deixe uma resposta