Programa especial da série Música de Câmara leva ao palco do Theatro São Pedro, Schumann ou Os Amores do Poeta, com a SPCD

A Santa Marcelina Cultura gestora do Theatro São Pedro e a Associação Pró-Dança gestora da São Paulo Companhia de Dança, instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo apresentam um programa que reúne repertório dedicado às canções de diferentes ciclos de Robert Schumann. O espetáculo reúne música e dança, com pianista, cantores e bailarinos partilhando o palco. Serão três apresentações: na sexta (31) e no sábado (1º) às 20h, e no domingo (2) às 17h. Os ingressos custam de R$ 15 a R$ 40 (inteira).

Composto por dois atos, um Neoclássico e um Contemporâneo, o programa traça um recorte de canções do compositor alemão com adaptações do maestro convidado Ricardo Ballestero a partir da concepção cênica de William Pereira em parceria com a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), dirigida por Inês Bogéa. A coreografia é assinada por Milton Coatti e Cassi Abranches, e a iluminação é de Caetano Vilela.

Com direção e cenografia de William Pereira, direção musical de Ricardo Ballestero e co-realização da São Paulo Companhia de Dança, sob direção de Inês Bogéa, o espetáculo acontece no fim de semana de 31 de agosto a 2 de setembro

No programa intitulado Schumann ou os Amores do Poeta, participam a soprano Carla Cottini, a mezzo Luciana Bueno, o tenor Daniel Umbelino e o barítono Johnny França. Eles se dividem nas interpretações em diversas formações, solo, duo ou quarteto. Com pianista e bailarinos da SPCD, as canções serão reinventadas com uma narrativa criada especialmente para este espetáculo.

A primeira parte contempla o ciclo completo de Os Amores do Poeta Op.48 cujo cenário remete ao Romantismo. Na volta do intervalo, entra em cena uma linguagem mais atual com cenografia límpida e visual despojado.

O amor de poeta (em alemão Dichterliebe), é um ciclo de canções escritas pelo compositor alemão Robert Schumann, em 1840. Os textos das 16 canções vêm do Lyrisches Intermezzo, ou o “Intermezzo lírico”, do poeta Heinrich Heine, escritos entre 1822 e 1823 e publicados como parte da obra Das Buch der Lieder.

Para William Pereira, as duas partes dialogam com a música de Schumann, mas com algumas diferenças. “A proposta gira em torno das mais diversas formas estéticas em que a música romântica pode ser trabalhada e explora as possibilidades dramáticas e cênicas da canção alemã”, afirma o diretor.

A parceria entre a Santa Marcelina Cultura e a Associação Pró-Dança, estreou no ano passado com o programa duplo Pulcinella e Arlecchino, de Igor Stravinksy e Ferruccio Busoni.

William Pereira, concepção e direção cênica

Graduado em direção teatral pela ECA-USP, William Pereira estagiou em teatro lírico na English National Opera e na Royal Opera House, em Londres. Tem se destacado nas temporadas líricas e teatrais do país em espetáculos com grande repercussão de público e crítica. Entre seus principais trabalhos, estão as estreias mundiais das óperas A Tempestade, de Ronaldo Miranda, Olga, de Jorge Antunes, e Onheama e Natividade, de João Guilherme Ripper. Ganhador dos prêmios Carlos Gomes, APCA, Governador do Estado e Shell.

Ricardo Ballestero, direção musical

Nascido em São Paulo, Brasil, Ballestero é professor na Universidade de São Paulo (USP), onde leciona repertório vocal para cantores, dicção lírica, piano colaborativo e música de câmara. Atuou como professor na Universidade de Colorado-Boulder e ministrou master classes e palestras na Universidade de Indiana (Bloomington), University Musical Society da Universidade de Michigan, Conservatorio Joaquín Rodrigo de Valência (Espanha), bem como em várias universidades e escolas de música brasileiras.

Inês Bogéa, direção artística SPCD

Doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora dos livros infantis: O livro da dança; Contos do balé e Outros Contos do balé. Organizadora dos livros Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo; Passado-Futuro – Textos e fotos sobre a São Paulo Companhia de dança, entre outros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança e da série Figuras da Dança da SPCD.

Sobre a São Paulo Companhia de Dança

Criada em janeiro de 2008, pela Secretaria da Cultura do Estado, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) – gerida pela Associação Pró-Dança – é dirigida por Inês Bogéa. A SPCD é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos 19, 20 e 21 de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada, acumulando 17 prêmios no Brasil e no exterior. Desde sua criação já foi assistida por um público superior a 620 mil pessoas, passando por 67 cidades do Estado de São Paulo, 17 cidades do Brasil e 51 cidades do exterior em 17 países em mais de 800 apresentações.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Ficha Técnica

William Pereira | concepção, dramaturgia, direção teatral e espaço cênico
Ricardo Ballestero | direção musical e pianista
Paulo Zuben | direção artístico-pedagógica da Santa Marcelina Cultura
Inês Bogéa | direção artística da São Paulo Companhia de Dança
Cassi Abranches e Milton Coatti | coreografia
Caetano Vilela | iluminação
Figurinos
1º Ato
Bailarinos e Cantores: Acervo SPCD e Theatro São Pedro | Cantoras: Fábio Namatame
2º Ato
Bailarinos e Cantores: Plié, Fernanda Yamamoto e Highstil
Cantoras: Plié e Fábio Namatame

Cantores
Carla Cottini soprano
Luciana Bueno mezzo-soprano
Daniel Umbelino tenor
Johnny França barítono

Bailarinos da SPCD
Ana Paula Camargo
Diego De Paula
Luan Barcelos
Michelle Molina
Mozart Mizuyama
Paula Alves

Serviço

Schumann ou Os Amores do Poeta
São Paulo Companhia de Dança e Theatro São Pedro
Dias 31 de agosto, 1º e 2 de setembro de 2018
Sexta e sábado, às 20h; e domingo, às 17h
Local: Theatro São Pedro
Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP
Ingressos: R$ 15,00 a R$ 40,00
– Plateia: R$ 40 (inteira) | R$ 20 (meia)
– 1º Balcão: R$ 25 (inteira) | R$ 12,50 (meia)
– 2º Balcão: R$ 15 (inteira) | R$ 7,50 (meia)
Duração: 1h50′ (com intervalo)
Capacidade: 636 lugares
Acessibilidade: Sim

Deixe uma resposta