Profissão: Bailarino

Olá pessoal!
O post de hoje, que é o segundo da série de quatro textos que escrevi para o blog Netdança, eu começo com o seguinte diálogo:

– O você faz?
– Sou bailarino(a)/professor de ballet
– Que legal! Mas você trabalha com o quê?

Escola Municipal de Bailado de Ourinhos/SP

Isso soa familiar? Infelizmente, é a realidade…

Em nosso país é muito comum o Ballet ser visto como algo da elite, ou mesmo um hobby que não leva a lugar algum… Será?

Há um mundo tão vasto por trás das cortinas que as pessoas nem imaginam existir… As companhias vão além de espetáculos em teatros bonitos, elas são empresas, e quem se apresenta no palco ganha para isso. Os bailarinos trabalham intensamente para fazer toda a magia acontecer: corpo, mente e espírito.

Tomando como exemplo a rotina da São Paulo Companhia de Dança, lá os bailarinos trabalham oito horas por dia, sendo seis dedicadas ao corpo e duas ao estudo teórico. Pela manhã fazem aula de ballet, em seguida há uma pausa e a tarde começam os ensaios. Além disso, todos tem contrato pela CLT, ou seja, recebem salário, férias, 13°, todos os beneficios que um trabalhador tem direito. E de modo semelhante acontece em outras companhias, seja no Brasil ou qualquer outro país, cada qual com as suas leis. Agora respondam: bailarinos não trabalham?

Bailarinos da São Paulo Companhia de Dança
Ensaio de Mamihlapinatapai

Até aqui eu falei da carreira como bailarino profissional, e um dos grandes pecados que a pessoas cometem é pensar que esse é o único caminho que existe nesse meio. Certo? Errado!!!

É fato que para seguir carreira é preciso ter uma certa faixa etária, pois cada companhia tem as suas regras para participar das audições. Na Ópera de Paris, por exemplo, o limite atual é 26 anos, e lá os bailarinos trabalham até os 42. Mas e depois? Acabou tudo?

Não meus caros, a vida continua e eles podem assumir sim outras ocupações relacionadas, e continuar trabalhando: professores, ensaiadores, remontadores, coreógrafos, pesquisadores… E esses ofícios também são válidos para quem começa na idade adulta.

A grande maioria desse público procura a dança, mais especificamente o ballet, como uma atividade para desestressar, manter a forma… Por isso as pessoas pensam que começar depois de adulto não leva a nada. É um hobby e nada mais!

Engano de quem vê dessa maneira… Nos dias de hoje é possível sim a pessoa se formar e ainda trabalhar com a dança! A aderência de turmas de adultos nas escolas e academias tem crescido cada vez mais, tudo é uma questão de pesquisar e se informar…