Oroboro, de Alex Soares

Reflexões sobre a memória e seus desdobramentos entre a infância e a velhice. Esse é o mote da nova criação de Alex Soares, bailarino e coreógrafo paulista à frente do Projeto Mov_ola desde 2008.

Palavra de origem grega, cujo símbolo é representado por uma serpente que morde a própria cauda, Oroboro revela uma imagem sem começo ou fim. “É um palíndromo, uma palavra que pode ser lida em qualquer sentido, sem perder sua pronúncia e transmite a ideia de algo cíclico, o qual sempre remete ao início”, diz o coreógrafo.

A trilha sonora composta pelo contrabaixista Célio Barros cria o ambiente da obra e procura evocar lembranças escondidas. Em alguns momentos, a trilha será tocada ao vivo pela violoncelista Patrícia Ribeiro. “Alguns estudos científicos indicam que a música está associada às memórias mais vívidas de uma pessoa. Essa área do cérebro parece servir de centro que liga música conhecida, memórias e emoções.”, afirma Alex Soares.

SERVIÇO

Oroboro – Projeto Mov_ola
Teatro Sérgio Cardoso (Sala Paschoal Carlos Magno)
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo – SP
De 03 a 25 de julho de 2013
Quartas e quintas às 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
Informações:  (11) 3288-0136