O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne faz nova temporada em São Paulo

Cia Corpos Nômades_O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne_m2
Foto: Carlos Araujo

Após uma temporada na cidade do Rio de Janeiro, a Cia Corpos Nômades volta a encenar na capital paulista o espetáculo O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE, a partir do dia 22 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Espaço Cênico O Lugar. A “coreodramaturgrafia”: junção de movimentos vocais, corporais, textos, projeções, trilha sonora, elementos cênicos e coreografias, como o coreógrafo e bailarino João Andreazzi, diretor da montagem, gosta de definir, faz parte das comemorações dos 21 anos da Cia.

O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE resgata o princípio da ideia do “corpo nômade”, inquietação artística de Andreazzi, dando sequência a uma pesquisa iniciada há 16 anos, cujo lugar/foco foi a extinta Favela do Gato – hoje conjunto habitacional do Parque do Gato – e a cultura Guarani, nas aldeias Krukutu e do Jaraguá. O texto O Despovoador, de Samuel Beckett – escrito no final da década de 60 – serve como importante inspiração e provocação para a criação, além de se alinhavar a outras fontes inspiratórias fundamentais, como o retorno aos locais visitados, em 1999, pela Cia. Corpos Nômades – e revisitados em 2014 e 2015, com o intuito de se observar as modificações ocorridas.

Para João Andreazzi os textos de Samuel Beckett serviram de condutores para as escolhas dos elementos cênicos e elaboração da “coreodramaturgrafia”. “Na montagem , resgatamos o conceito de nômade, da errância do corpo, para encontrar um caminho que nos permeia neste sistema em que vivemos, uma compreensão do período de existência desses corpos e as transformações que ali ocorreram”, explica o diretor.

SUFOCAMENTO

O espetáculo envolve a sensação de sufocamento das grandes cidades, pela especulação imobiliária, pela má utilização e distribuição do solo, entre outras questões. Estes alinhavos feitos com diferentes texturas e sensações, somados aos pensamentos de Deleuze e Guattari sobre o Capitalismo e a Esquizofrenia, deram de forma estranha e inquietante os tons da dramaturgia às coreografias, brotando, desta junção, as “coreodramaturgrafias”.

“A crítica ao capitalismo se dá num processo de construção e reconstrução do cenário urbano e também dos corpos que o habitam. A ideia de um nomadismo que abarca favelas, conjuntos habitacionais, moradias provisórias, um Minha Casa Tantas Vidas, identidades compostas e fragmentadas”, conta Andreazzi.

DESCONSTRUÇÃO DO CORPO

A cenografia de O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE traz imagens em vídeo e elementos de desconstrução e reconstrução do espaço: de lonas a casinhas de madeira, de palha de coqueiro a garrafas pet que servem como uma espécie de artefato de respiração ou representação do sufoco contemporâneo com os performers enchendo-as e esvaziando-as com a boca.

“O especulador do título remete à ideia da ocupação urbana determinada pelo poder aquisitivo na construção incessante do lucro, mas o que se desconstrói é também o corpo. Trata-se do esgotamento do espaço proposto por Beckett e perpassado pelas reflexões e provocações de Deleuze e Guatarri”, acredita o diretor.

Para Andreazzi, chama a atenção uma passagem do texto que trata dessa perspectiva mostrando que a angústia existencial se inscreve também no físico, neste atrito de corpos que se esbarram, se comunicam, disputam o mesmo espaço, transpiram, se amam, se violentam. É um retrato do corpo urbano e da eterna luta de ocupação do espaço pelo homem. “Uma guerra de nervos, levada às últimas consequências e à flor da pele.”

A Petrobras é a patrocinadora da manutenção da Cia. Corpos Nômades.

WORKSHOP DE DANÇA CONTEMPORÂNEA

No sábado, dia 30 de julho, das 15h às 17h, haverá um workshop gratuito de dança contemporânea com João Andreazzi, fundador da Cia. Corpos Nômades. O workshop ocorrerá no Espaço Cênico O Lugar, e envolverá temas que serviram de inspiração para a criação do espetáculo O ESPECULADOR DE OLHOS INVISÍVEIS DE CARNE. Para participar, é preciso enviar um e-mail para ciacorposnomades@gmail.com; com uma carta de interesse. São 20 vagas, para pessoas com a idade acima de 16 anos.

Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 80. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho, que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, e que carrega princípios da ideia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens, formas e marcas, e deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.

FICHA TÉCNICA

Concepção e Direção – João Andreazzi.
Elenco – Bruna Dias, Dresler Aguilera, Gervasio Braz e João Andreazzi.
Trilha Sonora – Felipe Julian.
Iluminação – Décio Filho.
Figurino – David Schumaker.
Cenário e Vídeo – Cia. Corpos Nômades e David Schumaker.
Designer Gráfico – Juliana Basile.
Agradecimentos – Marcos Tupã (Aldeia Krukutu), Francisca Guarani (Aldeia Krukutu), Tupãzinho (Aldeia Krukutu) Sr. Sassa (Favela do Gato), Dona Maria (Favela do Gato), Leticia Mantovani, Davi Martins (Aldeia Jaraguá), Jacira Minelli Andreazzi, Marcela Costa, Talita Bertanha e Claudio Willer.

SERVIÇO

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne
Cia. Corpos Nômades
De 22 de julho a 28 de agosto de 2016
Sexta e sábado, às 21 horas e domingo, às 20 horas
Lugar: Espaço Cênico O Lugar
Rua Augusta, 325 – Consolação – São Paulo/SP
Ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada – estudantes, classe artística e terceira idade).
Reservas e informações: (11) 3237-3224
Classificação: 14 anos.
Duração: 60 minutos.

Deixe uma resposta