O encarceramento feminino é tema de ‘Rés’, hoje, no Cartografia do Possível do CRDSP

O programa Cartografia do Possível do Centro de Referência da Dança de São Paulo – CRDSP – apresenta hoje, 10 de setembro, às 19h, “Rés”, trabalho da Corpórea Companhia de Corpos, que tem como orientação norteadora “Rés Negras, Juízes Brancos”, tese de mestrado em Ciências Sociais/Antropologia da artista e pesquisadora Dina Alves (PUC-SP/2015), que analisa a interseccionalidade das categorias de gênero, raça e classe na produção da punição na justiça criminal paulista.

Rés trata da vulnerabilidade do corpo feminino, dentro do sistema prisional brasileiro, marcada por sua condição de gênero em uma sociedade estruturada a partir de desigualdades entre homens e mulheres. Dirigidas por Verônica Santos, sob preparação e provocação de corpo cênico de William Simplício, as três intérpretes-criadoras – Débora Marçal, Malu Avelar e Verônica Santos – propõem uma análise crítica e poética sobre as estatísticas que envolvem o sistema de encarceramento em massa.

Com trilha sonora de Melvin Santhana e Manassés Nóbrega, iluminação de Danielle Meireles e figurino assinado por Debora Marçal e Wellington Adélia, o espetáculo conta ainda com Noelia Nájera na criação e projeção da vídeo-performance.

A apresentação tem entrada gratuita.

Credito da foto: Gal Oppido

Serviço

Cartografia do Possível
“Rés”, com Corpórea Companhia de Corpos
Dia 10 de setembro de 2018
Segunda, às 19h
Local: Centro de Referência da Dança de São Paulo – CRDSP – Sala Ivonice Satie
Baixos do Viaduto do Chá, s/n – República, São Paulo – SP
(ao lado do Theatro Municipal, próximo às estações Anhangabaú, São Bento e República do Metrô)
Ingresso: Grátis
Informações: (11) 3214-3249 | 95301-3769
Lotação: 70 lugares
Duração: 50 Minutos
Classificação indicativa: 16 anos

Deixe uma resposta