Núcleo EntreTanto estreia Situação de Atrito 3: Uma Coisa Muda, do coreógrafo e bailarino Wellington Duarte

Crédito da foto: Keiny Andrade

De julho a setembro de 2019, o coreógrafo e bailarino Wellington Duarte apresenta seu novo espetáculo de dança, Situação de Atrito 3: Uma Coisa Muda em diversos espaços da cidade: na Oficina Cultural Oswald de Andrade (dias 20, 22, 25, 26, 27 e 29 de julho), no Centro Cultural São Paulo (dias 02, 03, 04, 08, 09, 10, 11, 17 e 18 de agosto), no Centro Cultural Olido (dias 30 e 31 de agosto e 01 de setembro) e no Complexo Cultural Funarte (dias 7, 8, 13, 14 e 15 de setembro).

Situação de Atrito 3: Uma Coisa Muda encerra o tríptico Situações de Atrito que instaura um caráter insurgente no corpo a fim de construir situações coreográficas em suas potências políticas

O espetáculo Situação de Atrito 3: Uma Coisa Muda estuda um corpo-substância que se desorganiza por atrito ou por motivo não identificado. Um corpo-espaço que não cabe em si, que faz cruzamentos que põem em contato signos de torção, de violência, de precipitação, de deslocamento e de necessidade cinética. O binômio dança-política é pensado através de uma invocação direta do corpo e suas capacidades, do corpo e suas potências cuja função é a de perturbar a formatação cega de gestos, hábitos e percepções. “Acreditamos que, se existe uma conexão entre arte e política, deve ser colocada em termos de dissenso, no sentido de que o dissenso produz ruptura de hábitos e comportamentos.”, afirma Wellington Duarte.

Sobre o situações coreográficas#variação3: uma coisa muda

A criação dessa terceira parte do tríptico faz parte do projeto situações coreográficas#variação3: uma coisa muda, do Núcleo EntreTanto, contemplado pela 24ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

O projeto agregou, além da criação desta nova peça, outros acontecimentos como oficinas, residência artística e a criação de quatro Gestos Coreográficos, assim denominados por seu caráter emergencial, interventivo e provocador. Para a criação dos Gestos Coreográficos foram convidados quatro coreógrafos e quatro grupos de dança contemporânea da cidade de São Paulo que, juntamente com o Núcleo EntreTanto, acionaram uma reflexão sobre o corpo contemporâneo.

O primeiro gesto, Konstituição em Segunda Instância, foi dirigido por Sandro Borelli, com o Grupo Ca.Ja; o segundo, Pulsar, Pulsar Zero, Pulse, RePulso dirigido Marcio Greyk e David Xavinho (Zumb.boys) com o Coletivo Autônomo Temporário; o terceiro, Paisagens de Passagem, dirigido por Helena Bastos, com o Núcleo Enxertia e o quarto, GESTUS 4.13, dirigido por Daniel Kairoz, com o Núcleo KASA.

As ações propostas para o projeto situações coreográficas#variação3: uma coisa muda, do Núcleo EntreTanto, compreenderam não somente um aprofundamento da investigação corporal, mas principalmente sua relação com a comunicação pública. A presença de um grupo diferenciado de artistas interlocutores no projeto, através dos Gestos Coreográficos, possibilitou aos estudantes, pesquisadores, artistas e público em geral ter acesso a processos de troca artística em busca de outras formas de construção dramatúrgica.

“Sentimos que o momento nos pede para somar forças, promover encontros, fomentar processos coletivos, investir na convivência comunal ao invés de traçar caminhos solitários de pesquisa. A conjuntura política e social atual traz uma urgência e uma necessidade de articular respostas estéticas e éticas a ela, como forma de resistência. Por isso mesmo, situações coreográficas#variação3: uma coisa muda tornou-se um projeto de aprendizagem que serviu, sobretudo, para refletir, ressignificar e reinventar nosso modo de estar no mundo, e consequentemente, nosso modo de criar”, concluiu Wellington.

Wellington Duarte

WELLINGTON DUARTE atua em São Paulo como diretor, bailarino e performer desde 1990 e atualmente dirige o Núcleo EntreTanto. Em sua trajetória promoveu um fazer/dizer no corpo e investiga qualidades corporais que vão além de temas pontuais. Neste contínuo fazer tem elaborado propostas experimentais da fisicalidade, conectando lógicas, pensamentos e questões insuspeitas no corpo.

Ficha Técnica

Concepção e Direção: Wellington Duarte
Intérpretes: Aline Brasil, Maria Basulto e Wellington Duarte
Intérpretes Convidados: Bia Rangel, Camila Bosso, Guma Muliterno e Richard Reis
Orientação Dramatúrgica: Donizeti Mazonas
Assistente de Direção: Rafael Costa
Desenho de Som: Daniel Fagundes
Ambientação Cenográfica e Figurinos: Eliseu Weide
Luz: Wagner Antonio
Assistente de Iluminação: Dimitri Luppi Slavov
Fotos: Keiny Andrade
Produção: Jota Rafaelli – MoviCena Produções
Assistente de Produção: Luciana Venâncio
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto
Realização: Núcleo EntreTanto, da Cooperativa Paulista de Teatro

Serviço

Situação de Atrito 3: Uma Coisa Muda
Núcleo EntreTanto
Dias 20, 22, 25, 26, 27 e 29 de julho de 2019
Segundas, quinta e sexta, às 20h e sábados, às 18h
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Galeria 1
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP
Ingresso: Grátis (Os ingressos serão distribuídos com 1h de antecedência)
Duração: 60 min
Classificação: 14 anos

Dias 02, 03, 04, 08, 09, 10, 11, 17 e 18 de agosto de 2019
Quinta a sábado às 21h e Domingos, às 20h
Local: CCSP – Centro Cultural São Paulo
R. Vergueiro, 1000 – Vergueiro, São Paulo – SP
Ingresso: Grátis

Dias 30 e 31 de agosto e 01 de setembro de 2019
Local: Centro Cultural Olido
Av. São João, 473 – Centro, São Paulo – SP
Ingresso: Grátis

Dias 7, 8, 13, 14 e 15 de setembro de 2019
Local: Complexo Cultural Funarte
Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo – SP
Ingresso: Grátis

Deixe uma resposta