Núcleo de Pesquisa em Dança realiza Mostra Final com apresentações solo

Crédito da foto: Esteban Bisio

Em atividade desde março deste ano, o Laboratório do Intérprete-Criador (Lab.IC), núcleo de pesquisa em dança coordenado pela bailarina Ivna Messina, realizará sua Mostra Final no dia 7 de setembro, das 10h às 14h (incluindo intervalos e bate-papo), na Má Companhia, Centro de Vitória (ES). Ao todo, nove artistas com projetos de solo em dança e um grupo levarão seus trabalhos ao público, apresentando o que desenvolveram durante o período de funcionamento do núcleo. O evento é gratuito e marca o encerramento do projeto Lab.IC presencialmente. No mês de outubro, ainda será publicado um dossiê online, com relatos de experiência de cada participante.

Atravessando as pesquisas individuais, estão presentes temas como o corpo feminino (e seus feminismos plurais), o corpo negro e seus levantes, o corpo LGBT+ e suas militâncias, assim como relações do corpo com o espaço público, a unicidade de um corpo coletivo e as múltiplas linguagens da dança que perpassam a trajetória de cada artista.

O Lab.IC foi desenvolvido em encontros quinzenais, nos quais dez integrantes, previamente selecionados pela curadora Mariana Pimentel, iam apresentando a evolução e os desdobramentos suas pesquisas teórico-práticas, compartilhando experiências e desenvolvendo de maneira colaborativa seus projetos autorais de solos de dança, cada qual com suas propostas de tema, linguagem e a partir de suas vivências corporais.

“A ideia é criar mais espaços para a dança e oportunizar pessoas que, às vezes, estavam com um projeto engavetado ou que nunca tiveram a chance de desenvolver o seu próprio trabalho, então o Lab.IC é um projeto de criação, mas eu o entendo também como um projeto de formação – de artista e de plateia”, explica Ivna.

O projeto foi aprovado pelo edital de Seleção de Projetos Culturais Setoriais de Dança da Secult/ES e tem como objetivo amplificar e aprimorar o circuito profissional de dança no Espírito Santo, possibilitando que mais bailarinos assumam papéis de propositores. A realização é do portal Dança no ES e a produção é da Companhia do Outro.

Solo em alta

Segundo a proponente e coordenadora do Lab.IC, Ivna Messina, é perceptível que as produções solo cresceram nos últimos anos em âmbito nacional: “Vejo isso como uma consequência, principalmente, da diminuição das verbas para criação em dança; muitos grupos se desfizeram e essa é uma maneira de a gente tentar sobreviver e fazer sobreviverem nossos trabalhos”, aponta.

Além do Lab.IC, Ivna coordena o portal Dança no ES, que existe há quatro anos e tem o objetivo de não só divulgar a dança produzida no Espírito Santo, mas também mapear os grupos locais e difundir produções acadêmicas e textuais sobre dança escritas por pesquisadores do estado. A partir desse contato, que Ivna ainda considera limitado, é possível perceber também que há um discreto crescimento no surgimento de novos grupos e coletivos, além de artistas independentes locais.

“Eu percebo que, nos últimos cinco anos, esse movimento até cresceu, mas ainda é muito pouco. Tínhamos um movimento mais forte nas décadas de 80 e 90; e em 2000 houve uma parada, poucas companhias desse período continuaram atuantes e quase não houve surgimento de companhias e artistas independentes novos. Mais recentemente, isso volta a se fortalecer, mas é um crescimento muito pequeno ainda”, explica. O Lab.IC, diante desse cenário, tem justamente o objetivo de incentivar artistas a serem propositores dos próprios projetos, ou ainda, criarem sua própria companhia ou coletivo.

O caminho independente é árduo, mas possível, principalmente se há uma rede de profissionais que se fortalecem mutuamente – e incentivar a criação dessa rede é outro objetivo do Lab.IC. No entanto, mesmo com as parcerias, entre os principais desafios de se colocar à frente do próprio trabalho, está a necessidade de aprender a se autogerir. “É um desafio bem grande, porque, como propositor, mesmo convidando um produtor, diretor, coreógrafo, você tem que conseguir manter vivo esse trabalho, buscar os editais, os festivais, os locais onde se inscrever, arrumar lugar para ensaiar, fazer a divulgação, publicar nas redes sociais, então, apesar da equipe, você que tem que ser a coluna vertebral para sustentar e levar o projeto para frente. Acho que talvez essa seja uma das maiores dificuldades”, pontua Ivna, que foi proponente dos solos Bom Sujeito (2016) e Pedra (2018).

Confira a lista dos artistas que se apresentarão na Mostra Final do Lab.IC:

LEO DARIVA
ENDI MA
LUCÍA REIZNER
VIVIAN CUNHA
RICARDO REIS
ELIANE MIRANDA
JANAINA COELHO
DANIELEN BRANDÃO
KAMILA BODEVAN
ANA BEATRIZ MEMELLI
CLARA MUÑIZ TOMAZINI
ÉRICA ORTOLAN

Serviço

Mostra Final do Lab.IC
Dia 07 de setembro de 2019
Sábado, das 10h às 14h (incluindo intervalos e bate-papo)
Local: Casa da Má Companhia
Rua Professor Baltazar, 152, Centro, Vitória – ES
(próx. à Catedral)
Ingresso: Grátis

 

Deixe uma resposta