Márcia Haydee e Thiago Soares são os entrevistados do Conversa com Bial desta segunda (24)

Foto: Patricio Melo

O programa Conversa com Bial desta segunda-feira (24/07) entrevista a bailarina Márcia Haydee, consagrada mundialmente e conhecida como a Maria Callas* da dança por causa de sua forte interpretação, e Thiago Soares, primeiro bailarino do Royal Ballet de Londres.

O programa vai ao ar na Tv Globo, após o Jornal da Globo.

Márcia Haydee

É a bailarina brasileira de consagração mundial, conhecida como a “Callas da Dança” por sua grande força interpretativa. Em sua carreira, atuou no Balé do Marques de Cuevas, mas foi no Stuttgart Ballet, sob a direção de John Cranko, que no início dos anos 1960 se tornou musa do coreógrafo e foi revelada como grande intérprete e bailarina. Na década de 1970, após a morte de Cranko, Márcia assumiu a direção do Stuttgart Ballet, onde ficou à frente durante 20 anos. Trabalhou ao lado de grandes nomes da dança como Richard Cragun, Rudolf Nureyev, Maurice Bejárt, John Neumeier e outros. Atualmente dirige o Balé de Santiago, no Chile. Sua primeira criação para uma companhia de dança no Brasil foi O Sonho de Dom Quixote, para a São Paulo Companhia de Dança.

Thiago Soares

Nascido no Rio de Janeiro, chegou aos palcos das grandes cias de balé tendo iniciado a sua arte na dança com o breakdance e hip-hop até tornar-se primeiro bailarino do Royal Ballet de Londres. Em 2001, participou do Concurso Internacional do Ballet Bolshoi, na Rússia, e conquistou a medalha de ouro, disputada entre mais de 270 candidatos. A vitória foi um marco na história da dança nacional, já que foi a primeira e única conquistada por um brasileiro até hoje. Nos últimos anos, tem se dedicado também à criação e direção de alguns projetos pessoais. Para comemorar seus 15 anos de carreira internacional, teve uma temporada no Brasil com o espetáculo “Paixão”, em que reuniu repertórios clássicos e novos coreógrafos, como “O lago dos cisnes”, “La bala”, do português Arthur Pitta, e “Caresse du temps”, que marcou a estreia de Alessio Carbone, primeiro-bailarino do Balé da Ópera de Paris, como coreógrafo. O espetáculo ainda contou com a coreografia “Paixão”, idealizada por Deborah Colker, e que deu nome ao conjunto da obra.

(*) Maria Callas foi um soprano grego, considerada a maior celebridade da ópera do século XX e a maior cantora de todos os tempos.