Kleber Lourenço reestreia Negro de Estimação no Sesc Belenzinho

Crédito da foto: Murilo de Paula

Negro de Estimação é um solo de teatro/dança do encenador, ator e bailarino Kleber Lourenço com realização do Visível Núcleo de Criação. A dramaturgia do trabalho tem como base a adaptação de oito contos do livro Contos Negreiros, do também pernambucano Marcelino Freire, ganhador do prêmio Jabuti de Literatura 2006 como melhor livro de contos. A co-direção é de Marcondes Lima.

Esta temporada integra o projeto Do 13 ao 20 – (Re)Existência do Povo Negro, promovido pelo Sesc SP, com atividades realizadas no período de 13 de maio a 20 de novembro, com ações artísticas, reflexivas, experimentais e formativas que abordam as lutas, conquistas, manifestações e realidades do povo negro.

Fundador do Visível Núcleo de Criação apresenta peça de teatro/dança que evidencia identidades negras no Brasil

Agenda de Dança – Negro de Estimação está em cartaz há 12 anos. Como surgiu a ideia do projeto?

Kleber Lourenço – Iniciei a montagem 2006. O Luciano Alabarse, que era diretor do festival Porto Alegre em Cena, tinha visto meu solo anterior Jandira. E me convidou para fazer a estreia do Negrono POA em Cena de 2007. O novo trabalho refletia o momento que eu estava vivendo. Depois de sete anos no grupo Grial, decidi me arriscar como coreógrafo e diretor. Eu me aprofundei nas pesquisas da dança, teatro e literatura – que gosto muito – e coloquei tudo no solo.

Agenda – Falar das identidades negras no Brasil não era um tema muito comum naquela época, concorda?

Kleber – Sim, havia um desejo pessoal meu de falar do negro que eu sou e minha formação artística no Recife. E outras questões também, como democracia racial e colorismo. Foi aí que o Marcondes Lima, co-diretor da peça, me apresentou o livro “Contos Negreiros”, que o Marcelino Freire tinha acabado de lançar. Quando li, identifiquei muitas coisas que eu e minha família tínhamos vivido.

Agenda – Como tem sido a repercussão neste período longo que a peça está em cartaz?

Kleber – Uma temporada que foi feita ano passado foi interessante: pessoas que tinham assistido há cinco, oito e até dez anos deram depoimentos sobre a atualidade do trabalho. Minha força performativa também faz com que os textos deem mais visibilidade à discussão sobre raça, gênero, sexualidade. Não tem como mais ignorar esta pauta.

Negro de Estimação se desenrola partindo do estudo da ação dramática existente nos contos do livro. No espetáculo, vão se revelando quadros que mostram a evolução do corpo negro, desde informações históricas aos questionamentos atuais. O corpo se desdobra em personagens que contam suas estórias e em movimentos fragmentados do universo das manifestações populares. Fala-se de identidade racial, religiosidade, exploração sexual, violência e racismo, permeados com humor, acidez e poesia, características fortes na obra de Marcelino Freire.

O espetáculo estreou nacionalmente em 2007 no Festival Internacional de Artes Cênicas Porto Alegre em Cena. De 2007 a 2019 foram realizadas mais de 100 apresentações entre temporadas e circulações pelo Brasil e outros países, como Portugal, Espanha, Moçambique e Cabo Verde.

Ficha Técnica

Criação e Interpretação: Kleber Lourenço.
Co-direção: Marcondes Lima
Adaptação do livro Contos Negreiros de Marcelino Freire
Figurinos: Luciano Pontes
Cenografia: Bruno Vilela
Trilha Sonora Original: Missionário José
Criação de Luz: Luciana Raposo
Operação de Luz: Clébio Ferreira
Operação de Som: Jandilson Vieira
Cenotécnico: Jandilson Vieira
Designer Gráfico: Gabriel Azevedo
Marketing Digital: Ventuna Digital
Produção Executiva: Kleber Lourenço
Realização: Visível Núcleo de Criação

Serviço

Negro de Estimação, com Kleber Lourenço
Visível Núcleo de Criação
De 13 a 22 de setembro de 2019
Sextas e sábados, às 20h30; domingos, às 17h30
Local: Sesc Belenzinho
R. Padre Adelino, 1000 – Belenzinho, São Paulo – SP
Ingresso: R$ 6,00 a R$ 20,00
Vendas on-line: bit.ly/NegroNoBelenzinho
Classificação: 16 anos
Duração: 55 minutos

Deixe uma resposta