Flavia Pinheiro participa do Palco Giratório 2018

Nos dias 02 e 03 de abril a coreógrafa, dançarina e professora Flavia Pinheiro participará do Palco Giratório 2018, em Recife/PE, com os espetáculos ‘Contato Sonoro’, ‘Pensamento Giratório’ (em parceria com Orun Santana) e ‘Como manter-se vivo?’, com ingressos grátis ou a preço popular.

Programação

02 de abril

08h – Contato Sonoro
Flávia Pinheiro (PE)
Mercado de Casa Amarela

Performance/intervenção urbana com um dispositivo sonoro. O som acontece quando os corpos se tocam ou quando, ao movimentar-se, a performer toca diferentes partes do seu próprio corpo. A partir de uma caixa saem dois cabos; um em contato com a performer e o outro isolado eletricamente na mão. O circuito fecha quando duas ou mais pessoas entram em contato com qualquer parte do corpo. O som que sai do alto-falante altera sua frequência de acordo com o tipo de toque e com o corpo involucrado na ação. No caminho, a performer distribui fanzines que explicam como o dispositivo pode ser feito por qualquer pessoa, fomentando a reprodutibilidade da ação e da construção do objeto em um elogio à autonomia da gambiarra.

Criação e Performance: Flavia Pinheiro
Dispositivo: Leandro Oliván

Performance
Classificação: livre
50 minutos

15h – Meia Noite
Orun Santana (PE) – Espetáculo convidado
Teatro Capiba – Sesc Casa Amarela

Partindo das histórias e da figura do Mestre Meia-noite o espetáculo explora a capoeira como elemento criador e motivador do movimento, construindo um procedimento de uso da memória corporal como elemento criador, dialogando dramaturgicamente na relação pai e filho, mestre e discípulo, sendo o intérprete filho do mestre. São utilizadas dinâmicas corporais que buscam a relação corpo e memória, como via de investigação para cena, através de perguntas e frases norteadoras: O que constitui meu corpo? Quais as memórias inscritas no corpo? Que imagens preenchem os corpos, o corpo herança, Meu eu corpo.

Intérprete-criador diretor: Orun Santana
Consultoria artística: Gabriela Santana e Janaina Gomes
Trilha Sonora: Vitor Maia
Iluminação: Natalie Revorêdo
Produção: Igor Travassos
Cenografia: Victor Lima

Performance
Classificação: livre

16h – Pensamento Giratório
Flavia Pinheiro (PE) e Orun Santana (PE)
Sala de Dança do Sesc Casa Amarela

Pensar o corpo e sua vitalidade em movimento em interface com outras linguagens e tecnologias analógicas e digitais. A potência e falência da vida como impulso para a criação de um mundo em colapso. O diálogo se estabelece com criadores que estejam nesta deriva ou pensem a catástrofe, o desastre atravessado pela ideia de uma sobrevivência distópica.

03 de Abril

20h – Como manter-se vivo?
Flavia Pinheiro (PE)
Teatro Marco Camarotti – Sesc Santo Amaro

Este espetáculo investiga a urgência de permanecer em movimento como um procedimento de sobrevivência. Um questionamento de como nos relacionamos com a imaterialidade da proposta pela interface dos dispositivos e a certeza da nossa impermanência. Como continuar em movimento? Como resistir ao desequilíbrio e à instabilidade da existência? Como persistir no tempo? Uma prática circular que, por não desistir, sucumbe a falha eterna e inerente da matéria. A certeza de que este momento nunca mais vai se repetir e que talvez fosse melhor se não estivéssemos aqui.

Criação e Performance: Flavia Pinheiro
Direção de Arte: Flavia Pinheiro
Coaching: Peter Michael Dietz
Desenho Sonoro: Leandro Oliván
Desenho de Luz: Natalie Revorêdo
Máscara: Alê Carvalho
Designer Gráfico: Guilherme Luigi
Produção: Flavia Pinheiro e Maria Santana

Dança/Performance
Classificação: livre
50 minutos

Sobre Flavia Pinheiro

Trabalha como criadora, coreógrafa, dançarina e professora. Realiza perfomances, vídeos, instalações e intervenções urbanas. Realiza experimentos que envolvem Arte e Tecnologia. Investiga formas de hackear o corpo, explorando o esgotamento, a catástrofe, o colapso, a possibilidade iminente do fim, as gambiarras e práticas distópicas de sobrevivência do movimento e da vida. Adora a vertigem, a queda e a resistência como procedimento de criação e aprendizagem.

Crédito da foto: Danilo Galvão | Cena de Como manter-se vivo?

Serviço

Mercado de Casa Amarela
Rua Padre Lemos, 1930
Casa Amarela, Recife – PE, 52070-200
Ingreso: Grátis

Teatro Capiba
Av. Norte Miguel Arraes de Alencar, 1190
Mangabeira, Recife – PE, 52051-000
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Teatro Marco Camarotti
Rua Treze de Maio, 455
Santo Amaro, Recife – PE, 50100-160
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Deixe uma resposta