Festival mistura dança, conhecimento e improvisação no centro do país

No meio da Chapada dos Veadeiros, Silêncio em Contato é o primeiro Festival de Contato Improvisação a acontecer no local que é tido como santuário espiritual.

No inicio de março, um grupo seleto de pessoas terá uma oportunidade de buscar, por meio de um contato com o silêncio e a arte, um conhecimento maior do seu corpo e um pouco de paz para um mundo tão turbulento que nos cerca. De 4 a 12 de março, o Novo Portal da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, acontece o Silêncio em Contato – Festival de Contato Improvisação. A criação e a organização do evento fica a cargo da bailarina Camila Vinhas Itavo.

A programação oferece oficinas intensivas que relacionam e instrumentalizam silêncio e contato improvisação com os bailarinos do Combinado Itinerante de Contato Improvisação (além da própria Camila Vinhas Itavo, fazem parte também Guto Macedo e Alexandre Tripiciano) e a bailarina Paula Zacharias, convidada de Buenos Aires. Além disso, acontecerão jam sessions de dança e muito contato com a natureza. Nos momentos livres, os visitantes poderão tomar um belo banho na cachoeira São Bento, que fica no próprio camping onde estarão instalados.

O pacote para o festival, além de todas as atividades (programação diária de 8 horas), incluí estadia em camping com barraca individual (existe a possibilidade de algumas estadias em chalés coletivos) e todas as refeições (café da manhã, almoço e jantar) servidas pela cozinha vegetariana do Novo Portal da Chapada.

É importante reforçar que o encontro não é só destidado a bailarinos. Qualquer pessoa que deseja conhecer uma linda região do Brasil e fazer uma jornada de autoconhecimento, escutando e treinando seu corpo também pode (e deve!) participar.

Da dança ao silêncio

Camila começou a dançar com três anos de idade. Apesar de nunca ter se afastado da dança, a vida foi lhe pegando peças e, até mergulhar de verdade nesse mundo, ela passou por outros, como o jornalismo e a fotografia. Foi só quando descobriu o Estúdio e Cia Nova Dança, em meados dos anos 1990, que viu que a dança poderia lhe oferecer infinitas possibilidades. Foi lá que tomou contato com o trabalho de Steve Paxton, pai da técnica de contato e improvisação.

A técnica é centrada nos parâmetros de peso, quedas, equilíbrio e desequilíbrio e o toque e o jogo entre os intérpretes em cena. Para Steve, os bailarinos devem ser convidados a pensar sobre o próprio corpo, seus movimentos e encorajados a desenvolver um estilo, com idéias próprias.

Desde então, Camila vem tocando sua carreira em dança e suas pesquisas seguindo muito da técnica. Em 2014, quando esteve na Índia e tomou contato com o Sri Prem Baba, Camila também viu que a dança e sua pesquisa estão muito ligadas ao silêncio e ao autoconhecimento. “Para escutar é preciso fazer silêncio. E quando o fazemos percebemos o quanto mais há para escutar tanto de nosso espaço interno quanto do externo. E quanto mais escutamos, enquanto fazemos silêncio, mais percebemos que o silêncio quase não existe. Onde está o silêncio? Além deste paradoxo, a escuta é uma percepção sem fim. Chamamos escuta este instrumento tão apurado feito de prática e disciplina que se manifesta em muitas instâncias na dança e na vida”, explica.

E ela completa: “Sri Prem Baba salienta que o silêncio é a linguagem do universo que se manifesta para os escutadores em formas de sincronicidade. Estas também poderiam ser as palavras de Steve Paxton que nos propõe e ensina muito detalhadamente sobre como fazer isso através do nosso instrumento-potência de estar neste mundo, o corpo. Sua pesquisa foi muito além dele mesmo e muitos artistas deram continuidade a ela das mais variadas formas”.

Os artistas e as pesquisas que serão partilhadas nesse encontro de escuta e troca são todas relacionadas ao silêncio.

Mais informações sobre o Festival:
silencioemcontato@gmail.com

Para o pagamento online por cartão de crédito acesse: https://www.sympla.com.br/silencio-em-contato—festival-de-contato-improvisacao-da-chapada-dos-veadeiros__105980