Espetáculo ‘Vário’ traz o público para interagir

*Por Sheila Gorski

O espetáculo Vário, apresentado na Casa Hoffman, em Curitiba, entre os dias 9 e 12 de maio, propõe uma brincadeira, uma troca. Os primeiros minutos, para quem não está no ritmo da brincadeira, podem se tornar enfadonhos. O sucesso da performance, portanto, parece depender da entrega da plateia. Talvez aí more o perigo: ao mesmo tempo em que para uns pode ser lúdico e interessante, para outros pode ser maçante. Mas é o risco da arte. Se o intuito é mover com os limites do artista, a missão foi cumprida.

Tentando explicar em pontos a interação entre artista e plateia: primeiro, quem quiser pode brincar de bola e sons, para isso, deve estar disposto a se levantar e entrar na roda do jogo. Mais adiante, é possível ainda dar ordens sonoras para a bailarina se movimentar, tal qual uma brincadeira de morto e vivo. Isso desperta aquela vontade de uma criança interior fazer bagunça, sabe? Fazer o comando rápido para ver o outro tentando ser ágil. No caso, a bailarina tem que se virar, literalmente, em poucos segundos.

Um ponto alto é o trabalho corporal exaustivo de Livea Castro. Afinal, ela deve vencer os tantos comandos dados pela plateia e seus parceiros de espetáculo, os músicos Daniel Amaral e Machison Abreu. Uma apresentação de música-dança, que propõe essa espécie de interatividade com a plateia, deve realmente se jogar nesse cenário. Não adianta tentar ser elitizado culturalmente. A dinâmica é mais importante do que as intenções estruturais. O romper a barreira e trazer o público para a cena é sempre arriscado, o que vale um grande aplauso aos idealizadores, espera-se que o público seja sempre gentil à ideia. A interação é sempre um rompimento da terceira parede que pode trazer alegrias e dúvidas. Uma performance que depende dessa interação é de grande coragem.

Ficha Técnica

Criação e performance: Daniel Amaral, Lívea Castro e Machison Abreu
Iluminação: Erica Mityko
Consultoria de figurino: Amábilis de Jesus
Produção: Simone Bönisch – Bönisch Produções Culturais
Registro fotográfico e audiovisual: Cayo Vieira
Designer e programador de sensores: Henrique Bergamo

Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

*Sheila Gorski é jornalista com Mestrado em Comunicação pela Universidade Federal do Paraná. É uma das idealizadoras do portal cultural EmCartaz

Deixe uma resposta