Espetáculo Sem Fim, voltado às crianças, traz a filosofia para o palco

Foi a partir da leitura de um dos opúsculos morais do poeta, ensaísta e filólogo italiano Giacomo Leopardi que Diane Ichimaru, da Confraria da Dança, teve a ideia de colocar em cena questões filosóficas da existência. Essa leitura do pequeno texto de Leopardi aconteceu em 2007, e de lá para cá, a artista pesquisou e conceituou o que poderia, dentro da Filosofia, interessar a si e aos pequenos, já que é na infância que eles se descobrem parte de uma imensidão, de um universo infinito e essa constatação os enche de dúvidas e incertezas. E essa realidade é sempre assustadora.

Desses questionamentos internos nasceu o espetáculo Sem Fim, que estreia dia 11 de abril de 2015, às 12h, no Sesc Belenzinho (R. Padre Adelino, 1000, Belenzinho, SP), para curta temporada (até 21 de abril).

O espetáculo, inédito na cidade, é um híbrido: é dança, mas também é teatro, tem texto, mas tem movimentos, coreografia. A frase “penso, logo existo” é o mote inicial de Sem Fim, que além de ter Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues em cena, conta com a exclusiva trilha sonora de Rafael dos Santos, que mescla os gêneros erudito e antigo, acrescentando “pitadas” de música progressista, e o faz utilizando trompa, percussão, piano, viola, violino, contrabaixo e alguns efeitos de sintetizadores.

SEM FIM

Naquele ano de 2007, Diane se encantou com a possibilidade de poder colocar em cena, para crianças, questões filosóficas que, de certa forma, também estão ainda presentes em sua vida adulta. “Se ao nascer ganhamos aconchego nos braços de familiares próximos e vivemos em ambientes reconhecidos como confortáveis (do ponto de vista emocional), é no decorrer de nosso crescimento que percebemos o mundo além de nosso próprio umbigo, assimilando, dia após dia, a nossa pequenez frente ao planeta Terra, ao Sistema Solar, à Via Láctea, até nos perdermos em pensamentos entre aglomerados e superaglomerados de galáxias, na imensidão do Universo em expansão”, assim Diane Ichimaru explica o ponto de partida de sua investigação que resulta agora no espetáculo Sem Fim.

Marcelo Rodrigues, seu parceiro na idealização do espetáculo e também um dos integrantes da Confraria da Dança resume que “Sem Fim é uma brincadeira com a curiosidade humana, as descobertas da ciência, com a nossa casa terráquea e interplanetária. Pessoas de todas as idades se assombram com questões do universo desconhecido. Encaramos as perguntas e nos pusemos a brincar com nossos corpos. E criamos o espetáculo para aguçar a criançada a questionar, imaginar e recriar o Universo ao redor”.

SINOPSE

Quando nascemos, nosso Universo é pequeno e acolhedor: colo da mãe, berço, colo do pai, berço, colo da vó, berço. À medida que crescemos, começamos a perceber o mundo além do nosso umbigo. Ao olhar pro céu percebemos que somos um pontinho minúsculo suspenso na imensidão desconhecida do Universo. E surgem muitas perguntas: De onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? Houve um princípio? Haverá um fim?

A TRILHA MUSICAL

A trilha musical foi especialmente composta para o espetáculo por Rafael dos Santos, que ousou na mescla de elementos da música erudita, à música antiga colocando “pitadas” de música progressista. A afinidade de trabalho entre a Confraria da Dança e o compositor arranjador e pianista Rafael dos Santos vem de experiências anteriores a esse projeto.

Rafael dos Santos transita livremente entre os universos da música erudita, da música popular brasileira e do improviso jazzístico. Suas características permitem a fluência no diálogo com os criadores/intérpretes no sentido da ampla integração das linguagens. Durante o processo de criação o compositor acompanhou os ensaios e realizou improvisações, moldando o universo sonoro às necessidades de cada cena/coreografia, com o objetivo de ambientar, complementar e dialogar com a dança, contribuindo para enfatizar situações climáticas, fragmentações e desvios de caminho de cenas, construindo em paralelo com a dança uma diversidade de paisagens poéticas.

A CONFRARIA DE DANÇA

Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues fundaram a Confraria da Dança em 1996 na cidade de Campinas/SP. Seus projetos direcionados à pesquisa de linguagem, criação e manutenção de espetáculos autorais acumulam premiações da FUNARTE/Ministério da Cultura, Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, Cultura Inglesa, APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte, Sesi SP, entre outros. A dupla promove parcerias com artistas das áreas da dança, teatro, música e artes plásticas, atividades diversificadas de formação e fruição artística que atingem público infantil, adulto e terceira idade, estudantes de arte em processo de formação e artistas profissionais em busca de aperfeiçoamento.

FICHA TÉCNICA

Criação e interpretação: Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues
Direção artística, texto, cenografia e figurinos: Diane Ichimaru
Trilha musical: Rafael dos Santos
Plano de iluminação: Marcelo Rodrigues
Produção: Confraria da Dança

SERVIÇO

Sem Fim
Confraria de dança
De 11 a 19 de abril de 2015
(Espetáculo extra no feriado do dia 21 de abril às 12h)
Sábado e domingo, às 12h
Local: Sesc Belenzinho
Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho – São Paulo/SP
Ingressos: R$ 6,00, R$ 10,00 e R$ 20,00
Informação: (11) 2076-9700
Capacidade: 382 lugares
Duração: 50 min
Classificação: Livre