Danças Passageiras

Por que improvisar? Como articular os desafios do presente com as escolhas do passado, de tal maneira que o discurso continue fazendo sentido?

Improviso porque preciso sobreviver. Preciso descobrir novas maneiras de configurar-me na relação com o mundo. Também pelo prazer de perceber o tempo, de brincar com ele, olhando para o campo das possibilidades do devir. Olhar para o feito e para o não feito. Pensar rápido, para que o tempo não engula as possibilidades e o meu sentir fique sem sentido.

Qual o melhor caminho a seguir? Até quando continuar traçando no espaço a escolha que fiz?

Meu olhar como coreógrafa procura o efêmero da dança. Seu fluxo vivo, vivido pelo corpo na experiência direta com o ambiente. Com interesse na descoberta de novas possibilidades de lidar com a improvisação, forma de composição que pesquiso há mais de vinte anos, procuro nestas apresentações, desviar-me dos percursos habituais no meu modo de dançar, agregando ou subvertendo meu trabalho com as proposições dos artistas Isabel Tica Lemos, Marta Soares e Cristian Duarte.

Haverá participação especial de Cristian Duarte nos dias 25 e 26 de setembro.

SOBRE ZÉLIA MONTEIRO

Zélia Monteiro tem como base principal de sua pesquisa criativa e pedagógica o pensamento e princípios de abordagem do movimento, criados por Klauss Vianna. Estudou balé e foi assistente de Maria Melô (aluna de Cecchetti no Scalla de Milão). Trabalhou por oito anos com Klauss, de quem também foi assistente. É professora no curso de Comunicação das Artes do Corpo da PUC/SP e dirige o Núcleo de Improvisação.

SERVIÇO

Danças Passageiras
Teatro Sérgio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo/SP
Até 26 de setembro de 2013
Quartas e Quintas às 20h
Ingressos: de R$ 05,00 a R$ 10,00
Informação: (11) 3288-0136
Duração: 50 Minutos

Cleber Otaviano

Teste