Damas em Trânsito e Os Bucaneiros realiza apresentações gratuitas na Oficina Oswald de Andrade

Prestes a completar 13 anos, a Damas em Trânsito e os Bucaneiros elege a pesquisa de investigação corporal como motor da sua nova criação coletiva. No espetáculo de dança Partilhas Poéticas em Contato, a companhia inova ao convidar instrumentistas para compor individualmente a trilha sonora durante a apresentação. O resultado pode ser conferido em três sessões dias 13 e 16 de novembro, 20h, e 17 de novembro, 18h, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, no Bom Retiro.

O novo trabalho do coletivo é resultado da pesquisa do/no corpo verticalizada que durou nove meses. Quem conhece a trupe de Alex Ratton Sanchez, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Laila Padovan e Larissa Salgado sabe que seu repertório tem como prioridade a descoberta de maneiras inovadoras de se relacionar com o espectador e de construir a dramaturgia coreográfica.

Cristiano Karnas (integrante da Cia Nova Dança 4) entra em cena como bailarino convidado. Ele fez a preparação corporal em contato improvisação para os três últimos projetos do grupo e é orientador de pesquisa nesta linguagem para Partilhas Poéticas em Contato.

O público estará disposto ao redor do tatame, criando um ambiente de proximidade do olhar. “A proposta aproxima o espectador do processo de criação”, fala a criadora e intérprete do espetáculo Laila Padovan.

O cantor, compositor, violonista e percussionista Luiz Gayotto participa da apresentação no dia 13; e o arranjador e violinista Ramiro Murillo nos dias 16 e 17. Cada um deles vai escolher e/ou compor na hora a música que vai tocar.

A tecladista e vocalista Sandra Ximenes e o baixista e autor de trilhas sonoras para teatro e cinema Rui Barossi também participaram do projeto, que estreou dia 1º de novembro último na Praça das Artes, no centro.

Partilhas Poéticas em Contato resulta do projeto Espaço Entre, contemplado pela 23ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança, e visa dar continuidade à pesquisa de linguagem da companhia, que retomou seu primeiro foco de estudo, a improvisação, mais especificamente a pesquisa corporal do contato improvisação.

A Damas fez treinamentos intensivos com a bailarina e aikidoísta Christiana Cavalcanti na técnica do kinomichi e intercâmbio com o Avoa! Núcleo Artístico, de Luciana Bortoleto, e o Zumb.boys, de Márcio Greyk, coletivos de improvisação em dança e música de São Paulo. “Sentimos necessidade de começar um novo ciclo de trabalho e fortalecer nossas bases de pesquisa corporal, transferindo um pouco o foco de questões relativas à dramaturgia ou encenação, dando ênfase na pesquisa do/no corpo”, diz o criador-intérprete Alex Ratton, responsável pela direção dos outros espetáculos da companhia.

O processo buscou também tirar do automático as relações e dinâmicas existentes entre os integrantes, após 12 anos juntos. O grupo convidou o professor e pesquisador Peter Pál Pelbart, filósofo húngaro radicado no Brasil, para debate sobre o seu funcionamento como coletivo, percebendo os desafios do corpo e da subjetividade de cada artista.

Ficha técnica

Núcleo artístico: Alex Ratton, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Larissa Salgado e Laila Padovan.
Bailarino convidado: Cristiano Karnas.
Músicos convidados: Luiz Gayotto, Sandra Ximenes, Ramiro Murillo e Rui Barossi.
Técnicos de som: Bruno Ogibowski e Gildasio Mcfadden.
Design gráfico: Renan Marcondes.
Produção: Mariana Pessoa.
Fotos: Clarissa Lambert.

Crédito da foto: Clarissa Lambert

Serviço

Partilhas Poéticas em Contato
Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros
Dias 13, 16 e 17 de novembro de 2018
Terça e sexta, 20h, sábado, 18h
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo – SP
(Próximo ao metrô Tiradentes)
Ingresso: Grátis
Capacidade: 70 lugares
Informações: (11) 3222-2662
Classificação: livre
Duração: 90 minutos

Deixe uma resposta