Companhia de dança Margaridas quer dançar a revitalização da W3 Sul, em Brasília

Ela virou avenida por acaso. De acordo com o projeto de Lucio Costa, as quadras 500 deveriam ser viradas para a W2 Sul e a W3 seria uma via secundária, de apoio, com plantação de flores e agricultura familiar. Um erro da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), no entanto, provocou a mudança nos planos. De auxiliar, a W3 Sul se tornou a verve social, política e artística de Brasília. Grandes nomes do varejo, supermercado, padarias, encontros e até o carnaval da cidade aconteciam ali. Hoje, aos 57 anos da capital, os anos douradas da via ficaram para trás. Ao caminhar pelo comércio, o brilho deu lugar ao esquecimento.

Mobilizada pelo amor à arte, à dança e à Brasília, a companhia de dança Margaridas decidiu movimentar esta história. Com apoio do Fundo de Apoio à Cultura e da Secretaria de Estado de Cultura do DF, o grupo criou o projeto W3 Sul Hortas Y Pomares. Um filmedança para contar a relação da avenida com a arte. “Ela (via) será cenário para dançarmos sua revitalização. A W3 terá uma injeção de vida com o nosso projeto e com nós, literalmente, dançando na avenida”, comenta Laura Virgínia, coreógrafa da companhia.

O grupo criou o projeto W3 Sul Hortas Y Pomares para realizar um filmedança na avenida. Convidou nomes que fazem parte da história da dança na cidade e conta com uma campanha de financiamento coletivo para conseguir viabilizar a ideia.

A ideia do projeto é filmar, em janeiro de 2018, cenas dos bailarinos em diferentes pontos da avenida. Mesclado à essas imagens, serão exibidas cenas histórias e fotos da W3 no seu auge. Após edição, o filmedança será lançado em abril e disponibilizado para download gratuito na internet com audiodescrição, permitindo, assim, acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva.

Cenário do cortejo do presidente Juscelino Kubitschek, do desfile do jogador Pelé em comemoração ao seu milésimo gol, palco do primeiro cinema do Plano Piloto, do auditório da rede Tupi, ponto de encontro da boemia, centro de compras de grandes nomes como Fofi, Bibabô, Pioneira da Borracha e Casa Pernambucanas. Definitivamente, a avenida guarda lembranças.

Quantas academias de dança já formaram bailarinos naquelas quadras? Quem se lembra do espaço Usina? Quantos espetáculos já não foram ensaiados em salas da W3 Sul? São muitas histórias a serem contadas. Para isso, a companhia Margaridas convidou nomes importantes da trajetória da dança na avenida para, literalmente, dançar nos lugares. Rosa Coimbra do Grupo Stillo, Monica Berardinelli, Giselle Rodrigues, Janson Damascena, Eliana Carneiro, Camillo Vacalebre, Tica Lemos, Juliana Castro e participação especial de Yara deCunto. Além disso, o grupo convida a quem tiver interesse para participar.

Para viabilizar o projeto e agregar ainda mais valor à ideia e ao trabalho, a companhia Margaridas criou uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse. O dinheiro é para pagar a acessibilidade do vídeo, os artistas, o aluguel dos equipamentos, a criação dos brindes e as recompensas. Para participar, acesse o link: https://www.catarse.me/w3_sul_hortas_y_pomares_27b7
Entre as recompensas têm caneca, camiseta e ecobag do projeto, além de um par de ingressos para a sessão especial de lançamento do filme com toda a equipe.

A narrativa do filmedança W3 Sul Hortas Y Pomares será fantástica e surreal. A história será contada no transcorrer de um dia: alvorada, manhã, meio-dia, tarde, anoitecer, noite e madrugada. Dançarinos, performances, os passantes, habitués, os pontos comerciais criarão o roteiro. O movimento habitual da W3 Sul será preenchido pela coreografia de dançarinos que guardam a memória da cidade. Seja ela material ou imaterial, a história da W3 Sul, patrimônio da cidade, será personagem, cenário e inspiração.

Participar deste projeto é ajudar na reconstrução de uma parte da história de Brasília, da W3 Sul e da dança na cidade. Também é uma forma de levar a arte da capital para outros lugares, provando que aqui sempre teve essa energia. W3 Sul Hortas Y Pomares vai reunir histórias dispersas que precisam se encontrar e resgatar a ideia de uma avenida referência da cultura brasiliense.

Decadência e revitalização da W3 Sul

Com a consolidação dos Setores de Comércio Local, com a construção dos Setores de Diversão Norte e Sul, com o fortalecimento do comércio nos bairros e com a entrada dos shoppings, os anos 80 marcaram o início do esquecimento da W3 Sul. Em 2002, o então governador Joaquim Roriz promoveu um concurso nacional para a revitalização do espaço. A proposta da equipe liderada pelo arquiteto Frederico Flósculo venceu. A ideia era resgatar a vida da avenida através de processos de desenvolvimento comunitário e comercial. Contudo, até hoje, o projeto não saiu do papel.

Crédito da foto: Divulgação | W3 Sul anos 70

Serviço

Campanha de financiamento coletivo W3 Sul Hortas Y Pomares
https://www.catarse.me/w3_sul_hortas_y_pomares_27b7
Até abril de 2018

Lançamento do filmedança
Abril de 2018
Download gratuito na internet

Sigam-me

Tarcísio Cunha

Idealizador, criador e diretor geral do site Agenda de Dança. É formado em Comunicação Digital, pela UNIP, e em Ballet Clássico, pela ReveranCCe Núcleo de Dança. Atualmente é integrante do grupo que representa a escola ReveranCCe Núcleo de Dança. Atua como professor de ballet clássico na ReveranCCe e Prefeitura Municipal de Osasco.
Sigam-me

Deixe uma resposta