Cia. Mário Nascimento estreia Zhu em Belo Horizonte

zhu cia mario nascimento 2

Com 9 bailarinos em cena e trilha sonora original ao vivo, eles se apresentam, em maio, no CCBB Belo Horizonte.

O percurso do coreógrafo e bailarino Mário Nascimento à frente da companhia que leva seu nome completará dezessete anos em 2015. E essa longa trajetória é marcada pela resistência, em todos os seus significados: “da resistência dos corpos e de desafiar seus limites”, define Mário. E completa: “resistência também no sentido de sobreviver de arte, de resistir com suavidade.”

Por isso, o nome do novo espetáculo da Cia. Mário Nascimento, Zhu (助), que em chinês significa “bambu”, é signo, não só de resistência, mas de constante movimento, suavidade e maleabilidade frente aos percalços que não são e nem foram poucos. A companhia passou um ano sem apoio. Mas para este novo espetáculo conta com o patrocínio da Boticário. “Esse é um dos desafios de quem trabalha e acredita na arte. Se reinventar e não se deixar abalar pelos altos e baixos de quem opta por esse caminho. Valorizo muito o artista.”

Mário trabalha atualmente com nove artistas, todos com idades, formações e composições físicas diferentes, mas identificados com este que é um dos grupos de dança mais respeitados do país “Acho fascinante trabalhar com novos bailarinos: essas trocas que acontecem no grupo são intensas e exijo mesmo muito deles porque a dedicação tem que ser mental e corporal. Sei que não é fácil.”

Depois das últimas alterações de elenco na companhia (que hoje conta com profissionais de 19 até 49 anos de idade). A atriz e bailarina Rosa Antuña é quem assina a assistência de direção do novo espetáculo. A artista voltou, há poucos meses, de uma imersão artística no prestigiado Odin Teatret, em Holstebro, Dinamarca, teatro-escola fundado pelo diretor italiano Eugenio Barba. “O amadurecimento de Rosa permite uma enorme liberdade de criar com o grupo. Gosto de trabalhar com uma equipe com gente experiente e com o frescor e sabedoria dos jovens.” Rosa também ficará responsável pelas vozes ao vivo que estarão presentes no novo espetáculo.

A trilha sonora é do multi-instrumentista e parceiro há 17 anos da Cia. Mário Nascimento, Fábio Cardia, que também executará a trilha, ao vivo, no palco.

A Cia. Mário Nascimento

Criada em São Paulo, em 1998, pelo coreógrafo e bailarino Mário Nascimento e pelo compositor Fábio Cardia, a Cia. Mário Nascimento estreou seu primeiro trabalho, Escapada, no Centro Cultural São Paulo (CCSP) no contexto do projeto “Brasil/Portugal – 500 Anos do Descobrimento”, a convite do curador Marcos Bragato. Pelo êxito do espetáculo, Nascimento ganhou da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) o prêmio de melhor coreógrafo daquele ano. Escapada contou com críticas favoráveis em jornais importantes, como o Morgen Post e o Bergedorfer Zeitung durante a tournée que percorreu a Alemanha, com apresentações em Hamburgo, na Bienal de Essen e em Colônia, no Zeigen Tanztheater.

Em 2002, a Cia. Mário Nascimento transferiu-se para Belo Horizonte, MG. A partir de então, sua intensa atividade permitiu-lhes não só manter um fluxo constante de novos espetáculos – com pelo menos uma estreia por ano – como também consolidar e desenvolver suas linguagens e seu estilo, à medida em que foi incorporando experiências e agregando artistas, como Rosa Antuña, há doze anos na companhia.

Ao longo dos anos, a companhia desenvolveu, senão uma filosofia, ao menos um modo de ser, que tem como pilares de sustentação o trabalho e a disciplina: indispensáveis para que seus integrantes cumpram a estafante rotina de treinamento sem perder o sentido de entrega e paixão pela arte, no duro cotidiano do estúdio, transpirando.

Mário Nascimento, como coreógrafo, trabalha com uma linguagem muito específica, que vem desenvolvendo há mais de vinte anos, que se materializa e se renova a cada apresentação de sua companhia. É uma linguagem que, basicamente, incorpora recursos das artes cênicas, poesia, música, canto e voz, e também da dança de rua; do teatro físico e das artes marciais, sustentada pelas conexões entre música e dança.

FICHA TÉCNICA ZHU

Direção e coreografias – Mário Nascimento
Assistente de direção – Rosa Antuña
Trilha sonora – Fábio Cardia
Preparação vocal – Rosa Antuña
Elenco – Alicia-Lynn Castro, Camilla Oliveira, Cleison Lana, Eliatrice Gichewiski, Fábio Costa, Mário Nascimento, Rosa Antuña e Patrick Vilar.
Figurino – Mário Nascimento e Rosa Antuña
Criação de luz – Mário Nascimento e Sidnei Honório
Produção – Herivelto Campos
Patrocínio – O Boticário (Manutenção da Cia. Mário Nascimento)
Duração – Aproximadamente sessenta minutos
Agradecimento especial ao Studio It, que oferece o espaço para ensaios.

SERVIÇO

Zhu
Cia. Mário Nascimento
De 14 a 17 de maio de 2015
Quinta a domingo, às 20 Horas
Local: Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Praça das Liberdades, 450 – Funcionários – Belo Horizonte/MG – CEP: 30140-010
Ingressos: R$ 10,00, a inteira, e R$ 5,00, a meia-entrada
Informações: (31) 3431.9400 / 8484-0227
Classificação: Livre

Fotos: Ed Félix