Cia Fragmento de Dança encerra o ano com trabalhos que mergulham no universo feminino

cia-fragmento-de-danca_corpos-frageisfoto-leo-lin-2_m
Foto: Léo Lins/Divulgação | Cena de Corpos Frágeis

Para encerrar o ano, a Cia Fragmento de Dança, dirigida por Vanessa Macedo, revisita dois trabalhos de seu repertório com abordagem de processos artísticos autobiográficos: “Beije minha alma”, criação de 2008, inspirada na obra da artista plástica britânica Tracey Emin, de 1 a 4/12; e Corpos Frágeis, de 2010, cuja pesquisa partiu do livro “Corpos Frágeis, Mulheres Poderosas”, de Maria Martoccia e Javiera Gutierrez, de 8 a 11/12. As apresentações acontecem no Kasulo – Espaço de Cultura e Arte, sede da companhia na Barra Funda, quintas, sextas e sábados, às 21h; e domingos, 19h. Para o ingresso pede-se a contribuição de alimentos não perecíveis para doação.

Em “Beije minha alma”, os bailarinos mergulham nas experiências de fracasso, humilhação, frustração e culpa, recorrentes na obra confessional de Tracy Emin, para suscitar questões ligadas às relações humanas, preconceitos e moralismos da sociedade. Ao espectador, é proposto o lugar de voyeur, observador e invasor de um ambiente íntimo e solitário.

A trilha sonora é de Allen Ferraudo e André Prado assina o projeto de luz. O figurino original de Nani Brisque tem releitura de Daíse Neves. A criação foi premiada no 12º Cultura Inglesa Festival.

O segundo espetáculo, “Corpos Frágeis”, coloca em cena a poética do feminino enquanto potência sensível. No livro as autoras reúnem vida e obra de nove mulheres – dentre elas Frida Kahlo e Virginia Woolf –, figuras expoentes de seu tempo, que desbravaram questões de gênero e enfrentaram condições específicas de seus corpos relacionadas a doenças, acidentes e vícios. Em “Corpos Frágeis” não há personagens ou traços específicos dessas mulheres, e sim o interesse em discutir o feminino, considerando fragilidade e força como paradoxos próprios da existência.

Sandro Borelli responde pela iluminação; a trilha sonora é de Gustavo Domingues e Daíse Neves assina o figurino.

A mostra de trabalhos do repertório da companhia integra o projeto “Atravessamentos”, contemplado pela 20ª edição do Programa de Fomento à Dança.

SINOPSES

Beije Minha Alma (2008)
De 01 a 4/12

Trabalho premiado no 12º Cultura Inglesa Festival (2008) que investigou a obra de Tracey Emin, uma das mais celebradas artistas britânicas da modernidade, conhecida por criar a partir de experiências pessoais de fracasso, humilhação, frustração e culpa. Na criação coreográfica, busca-se discutir situações relacionadas às relações humanas, preconceitos e moralismos da sociedade. Ao espectador, é proposto o lugar de voyeur, observador e invasor de um ambiente íntimo e solitário.

Corpos Frágeis (2010)
De 08 a 11/12

Coloca em cena a poética do feminino enquanto potência sensível. A pesquisa partiu do livro “Corpos Frágeis, Mulheres Poderosas”, de Maria Martoccia e Javiera Gutierrez, que reúne a vida e obra de nove mulheres, dentre as quais destacamos Frida Kahlo e Virginia Woolf. Em comum entre elas está o fato de terem sido figuras expoentes de seu tempo, desbravando questões de gênero e enfrentado condições de seus corpos relacionadas a doenças, acidentes, vícios. Em “Corpos Frágeis” não há personagens ou traços específicos dessas mulheres, e sim o interesse em discutir o feminino, considerando fragilidade e força como paradoxos próprios da existência.

FICHA TÉCNICA

Coreografia e Direção: Vanessa Macedo
Assistência de coreografia: Maitê Molnar
Intérpretes: Chico Rosa, Daniela Moraes, Diego Hazan, Flavia Tiemi, Maitê Molnar, Rafael Sertori e Vanessa Macedo
Colaboração artística: Angela Nolf
Iluminação: André Prado (Sandro Borelli – ‘Corpos Frágeis’)
Trilha sonora: Allen Ferraudo (‘Beije Minha Alma’); Gustavo Domingues (‘Corpos Frágeis’)
Cenografia: Nani Brisque
Figurino: Nani Brisque (pesquisa original), Daíse Neves (releitura)
Produção executiva: Margarida Sequeira Duarte
www.ciafragmentodedanca.com.br

SERVIÇO

Beije Minha Alma, de 01 a 4/12
Corpos Frágeis, de 08 a 11/12
Cia Fragmento de Dança
Quintas, sextas e sábados, 21h; domingos, 19h
Local: Kasulo – Espaço de Cultura e Arte
Rua Sousa Lima, 300, Barra Funda, São Paulo
Ingresso: alimentos não perecíveis para doação
Informações: (11) 3666.7238
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos