Cia Fragmento de Dança abre o Projeto Dança Mix do Satyrianas

Aos vencedores, as batatas - foto Ligia Jardim
Cena de “Aos vencedores, as batatas”, da Cia Fragmento de Dança – foto Ligia Jardim

De quinta a domingo (20 a 23/11), sete companhias de dança se apresentam no evento que integra o Satyrianas 2014, com espetáculos de teatro, música e dança, na sede da SP Escola de Teatro e, em frente, na Praça Roosevelt.

Aos Vencedores, as batatas”, o mais recente trabalho da Cia Fragmento de Dança, dirigida pela bailarina e coreógrafa Vanessa Macedo, abre o Projeto Dança Mix da Semana Satyrianas 2014, no dia 20 de novembro (quinta-feira), às 21h, na SP Escola de Teatro (sede Roosevelt). Com curadoria de Kátia Calsavara, atriz dos Satyros e jornalista especializada em artes cênicas, a programação se estende até domingo (23/11), com outras seis companhias – Cia Carne Agonizante (“O canto preso”); Dual Cena Contemporânea (“Terra Trêmula”); coletivo GRUA (“Corpo de Passagem”); Coletivo Ns (“Raskh” – work in progress);  Cia Vidança (“Corpo sobre Tela”); e Cia Balangandança (“Ninhos – Performance para Grandes Pequenos”) – em apresentações divididas entre a Sala da Dança da SP Escola de Teatro e em frente, na Praça Roosevelt. A entrada é grátis ou pague quanto puder.

Partindo do entendimento individual da palavra “ruptura”, os bailarinos-intérpretes da paulistana Cia Fragmento de Dança mesclam suas experiências de vida e trajetórias em solos dosados com humor e ironia. Dirigidos por Vanessa Macedo, fundadora e diretora da companhia, que existe há 12 anos, os artistas Chico Rosa, Maitê Molnar, Jéssica Moretto, Rafael Sertori e Rafael Edgar oferecem cinco visões distintas com base em desejos, afetos e angústias universais do homem contemporâneo. “Os temas ganharam amplitude quando passaram a ser observados criticamente para além da subjetividade; e é na transposição da individualidade para o mundo, que acontece a conexão para a construção dramatúrgica”, reflete Vanessa Macedo.

Um show de talentos ou apenas a vida real? “Aos vencedores, as batatas” aponta o dedo para nossos próprios fracassos quando tentamos subverter questões em que estamos por demais inseridos. Por isso, o título empresta a frase emblemática de personagem de Machado de Assis, no livro Quincas Borba, em que o autor critica os costumes de seu tempo e aponta a transformação do homem em objeto do próprio homem e a sua “coisificação”.

A peça integra projeto contemplado pelo 16° edital do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

PROGRAMAÇÃO

20/11 – quinta – Abertura

Cia Fragmento de Dança, dirigida por Vanessa Macedo, com Aos vencedores, as batatas,dia 20/11 (quinta, 21h), na Sala de Dança, da SP Escola de Teatro (Praça Roosevelt, 210 – 6º andar – Centro – São Paulo | SP – Tel: 11 3775.8600). Duração: 60 min. Classificação indicativa: 14 anos. Entrada: pague quanto puder

21/11 – sexta

Companhia Carne Agonizante, dirigida por Sandro Borelli, com “O Canto Preso”, dia 21, às 21h, na Sala da Dança da SP Escola de Teatro (Praça Roosevelt, 210 – 6º andar – Centro – São Paulo | SP – Tel: 11 3775.8600). Duração: 50 min. Classificação indicativa: 14 anos. Entrada: pague quanto puder

Coletivo GRUA – Gentleman de Rua, dos bailarinos Jorge Garcia, Willy Helm, Laudinei Delgado e Aguinaldo Bueno, com “Corpo de Passagem”, sexta, 21, às 23h, na Praça Roosevelt – Centro – Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: livre.  Entrada: Grátis

Dual Cena Contemporânea, dirigida por Ivan Bernadelli, com “Terra Trêmula”, sexta, 21, às 23h30, na Sala da Dança da SP Escola de Teatro (Praça Roosevelt, 210 – 6º andar – Centro – São Paulo | SP – Tel: 11 3775.8600). Duração: 40 min. Classificação indicativa: 14 anos. . Entrada: pague quanto puder

22/11 – sábado

Coletivo Ns, de Juliana Diaz, Sylvia Aragão e Aleirbag Pas, com “Raskh” – work in progress, sábado, dia 22, às 23h, na Praça Roosevelt – Centro. Duração: 40 minutos. Classificação indicativa: livre. Grátis.

Cia Vidança, dirigida por Marcos Abranches, com “Corpo sobre Tela”, domingo, dia 23, à 1h (na madrugada de sábado para domingo), na Sala da Dança da SP Escola de Teatro (Praça Roosevelt, 210 – 6º andar – Centro – São Paulo | SP – Tel: 11 3775.8600). Duração: 50 min. Classificação indicativa: livre. Entrada: pague quanto puder

23/11 – domingo

Cia Balangandança, dirigida por Georgia Lengos, com “Ninhos – Performance para Grandes Pequenos”,  domingo, dia 23, às 11h, na Praça Roosevelt. Duração: 40 minutos. Classificação indicativa: livre. Grátis.

SINOPSE

O Canto Preso – A coreografia “O Canto Preso” estreou em 1999 e, desde então, é lembrada como um dos marcos da trajetória de Sandro Borelli, diretor e fundador da companhia Carne Agonizante. O trabalho é uma adaptação coreográfica do texto teatral “Bent”, do dramaturgo norte-americano Martin Sherman, que tem como base o nazismo e o preconceito. Na obra, um homem é perseguido e preso por ser homossexual e se faz passar por judeu para tentar amenizar seu sofrimento na prisão. No elenco desta remontagem estão Alex Merino, Roberto Alencar, Rafael Carrion e Amanda Santos. O projeto foi contemplado pelo 15º edital do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo. Quando: sexta, 21, às 21h. Duração: 50 minutos. Onde: Sala da Dança (SP Escola de Teatro, 6o. andar).

Terra Trêmula – Interpretado pela Dual Cena Contemporânea, companhia dirigida por Ivan Bernadelli, o espetáculo de dança contemporânea faz referência a um encontro entre Ogum e São Miguel Arcanjo no Brasil do século 18. Escravidão, mineração e conflitos religiosos permeiam a obra, que também trabalha os contrastes entre luz e sombra, sagrado e profano no barroco brasileiro. No elenco Ivan Bernadelli, Mônica Augusto e Junior Gonçalves. Quando: sexta, 21, às 23h30. Duração: 40 minutos. Onde: Sala da Dança (SP Escola de Teatro, 6o. andar).

Corpo de Passagem – Há doze anos, o coletivo GRUA – Gentleman de Rua foi fundado pelos bailarinos Jorge Garcia, Willy Helm, Laudinei Delgado e Aguinaldo Bueno, todos com trajetórias reconhecidas nos palcos da dança contemporânea. Com o objetivo de sair da “caixa preta” e improvisar em espaços urbanos, eles convidam outros parceiros (chamados de grueiros) e realizam performances em meio a avenidas, ruas e praças com o intuito de oferecer gentilezas aos transeuntes (daí o “gentleman”). Vestidos sempre de terno preto, eles quase se mimetizam pelas ruas dos centros urbanos, mas na Roosevelt é capaz de serem notados rapidamente! Quando: sexta, 21, às 23h. Onde: Praça Roosevelt. Duração: 50 minutos.

Corpo sobre Tela – Criador da Cia Vidança em 2005, o dançarino, diretor e coreógrafo Marcos Abranches acumula um percurso como o de qualquer outro artista, mesmo com suas limitações físicas. Vítima de uma paralisia cerebral durante o parto, ele teve a fala e o sistema motor comprometidos, mas desde os 15 anos apaixonou-se e começou a praticar dança contemporânea. Um de seus trabalhos mais recentes, o solo “Corpo sobre Tela”, é um presente aos amantes das artes. Pulsante e intenso em cena, ele usa seu corpo como pincel para refletir sobre a obra do artista irlandês Francis Bacon. “Jogar tinta em meu corpo e pintar uma tela com ele é ter a sensação de se ver de fora para dentro”, diz. Quando: domingo, dia 23, à 1h. Onde: Sala da Dança (SP Escola de Teatro, 6o. andar). Duração: 50 minutos.

Raskh – Work in Progress – O Coletivo Ns é fruto da união de Juliana Diaz, Sylvia Aragão e Aleirbag Pas. Juntas, elas buscam unir as artes do corpo (com enfoque em teatro e dança) às artes visuais e gráficas em intervenções urbanas. Em “Raskh”, elas se movimentam em ordem determinada para representar a migração da alma feminina para uma árvore urbana. A performance sugere o reflexo do anonimato das árvores espalhadas pelas cidades. Quando: sábado, dia 22, às 23h. Onde: Praça Roosevelt. Duração: 40 minutos.

Ninhos – Performance para Grandes Pequenos – Será que existe espetáculos de dança contemporânea desenvolvidos especialmente para crianças? A resposta é um sonoro “siiiiim” ao contemplarmos o trabalho sólido e criativo da Cia Balangandança, dirigida por Georgia Lengos. Saltar, correr, voar… Um jogo de brincadeiras se estabelece entre artistas, crianças e adultos, que exploram juntos diferentes estados do corpo com o objetivo de fortalecer as relações mais sutis. Uma brincadeira viva e de contato direto com a dança. Quando: domingo, dia 23, às 11h. Onde: Praça Roosevelt. Duração: 40 minutos.

Sobre a Cia. Fragmento de Dança

Com direção de Vanessa Macedo, a Cia Fragmento de Dança, sediada na cidade de São Paulo, desenvolve pesquisa e criação em dança contemporânea desde 2002. Na busca de uma dança teatralizada, preocupa-se com a construção de uma dramaturgia do corpo e da cena coerente com os temas pesquisados.

Suas criações são marcadas pela inspiração em artistas, obras e conteúdos especialmente confessionais. Discute, a partir daí, relações vividas pelo homem, enquanto ser social e ser solitário. Envolvida nessas questões, a Cia procura construir um vocabulário de movimento próprio, buscando uma estética dramatúrgica autoral.

Em seus últimos projetos – viabilizados por meio de prêmios e editais, principalmente o de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo -, vem desenvolvendo ações que privilegiam a troca com profissionais de outros universos artísticos e de outras áreas de atuação. “Fomos percebendo que essas ações, que vão além dos limites da nossa prática artística diária, são possibilidades concretas de compartilhamento que ultrapassam o universo da dança. Criar pontes com outros espaços e pessoas não só enriquece o nosso fazer artístico, mas nos coloca em contato com campos de conhecimento diversos, capazes de nos afetar criativa e politicamente”, pondera a diretora da Companhia.

SERVIÇO

Projeto Dança Mix
De 20 a 23 de novembro de 2014
Informações: http://satyrianas.com.br

SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt
Praça Roosevelt, 210 – Consolação – São Paulo – SP
Informações: (11) 3775-8600