Ballet Stagium leva espetáculo e Projeto Joaninha para o Teatro Sérgio Cardoso

Ballet Stagium - divulg sergio cardoso 14 maio 2016

Em “O Canto da Minha Terra”, Márika Gidali e Décio Otero se lançam na tarefa de desbravar, através da dança, toda a poesia que ecoa no universo sonoro de Ary Barroso (1903-1964), com a participação das cantoras Celia e Celma, que contam e cantam Ary.

O CANTO DA MINHA TERRA transita entre o particular e o universal, trazendo a união de artistas da cidade mineira de Ubá, (músico, coreografo e cantoras) propondo um mergulho na constituição da nossa identidade.

A realização do espetáculo O Canto da Minha Terra também foi a forma encontrada pelo Ballet Stagium de adentrar nas comemorações de seus 45 anos de existência, em constante transito entre tradição e ruptura, estabelecendo uma estética própria e uma linguagem que propõe a refletir o Brasil em sua complexidade social, histórica e cultural.

FICHA TÉCNICA

Idéia e Coreografia: Décio Otero
Direção Teatral: Márika Gidali
Música: Ary Barroso
Trilha Sonora: Décio Otero
Música Incidental e Edição: Marcelo Aharon Gidali
Desenho de Luz: Edgard Duprat
Participação Especial: Célia e Celma
Narração: Oswaldo Mendes
Bailarinos: Paula Perillo, Ariadne Okuyama, Camila Lacerda, Roberta Silva, Raquel Gattermeier, Thais Morato, Eugenio Gidali, Marcos Palmeira, John Santos, Bruno Fortunato, Cristiano Nunes, Gustavo Lopes e Alexandre Bóia.
Estagiária: Luiza Vilaça
Pesquisa: Decio Otero, Márika Gidali, Ademar Dornelles e Fabio Villardi
Fotos: Arnaldo Torres
Licenciamento Editora Aquarela do Brasil
Agradecimentos: Fundação Padre Anchieta – Radio e TV Cultura
Lemos Consultoria

PROJETO JOANINHA – ENSAIO ABERTO

DANÇAS DA ILHA DE SANTA CRUZ e BATUCADA

Danças da Ilha de Santa Cruz

“Danças da Ilha de Santa Cruz” coreografado por Décio Otero e dirigido por Márika Gidali possibilitou um amplo estudo da história do Brasil. Danças étnicas, contemporânea, danças de roda sacra e profana, dança de rua, a mistura das músicas eruditas e populares. O espetáculo apresenta o poema “Navio Negreiro”, de Castro Alves e uma leitura poética do “Estatuto da Criança e do Adolescente”, de Eliakim Rufino.

Estreado em 2000 – Teatro Mazzaropi – SP
Coreografia e Figurinos: Décio Otero
Direção Teatral: Márika Gidali
Músicas: Tato Fischer – Canta Garganta, Marlui Miranda – Ocunaré, G. Bizet – Habanera, G. F. Haendel – Largo, Ru-Chu- Chu – Cantares do Império, Coletâneas de Funk e Rap Music, Maculelê, Danças de Roda Sacras e Profanas.
Maculelê: Coreografia Mestre – Pingüim
Street Dance: Coreografia – Eduardo Sô
Danças de Rodas: Coreografia – Vaneri de Oliveira

Batucada

“Batucada”- Estudo Brasileiro nº 3 – Teve estréia com a Cia profissional do Ballet Stagium em 1980. Em 2008 a obra foi remontada para o Projeto Joaninha. Através de um gestual bem humorado descobre-se, em cada quadro da coreografia, a perfeita integração do erudito com o popular.

Coreografia – Decio Otero
Direção Teatral – Marika Gidali
MÚSICAS
Luciano Perroni e os Ritmistas Brasileiros
Mestre André e sua bateria

Arte, Educação e Sociedade – A Gênese do Projeto Joaninha

Ao longo de seus 45 anos de existência e resistência, o Ballet Stagium vem diversificando a sua atuação artística, contribuindo assim de maneira objetiva naquilo que detectou desde o inicio como fundamental – A Educação. Nesta perspectiva arte/educação formam um binômio inseparável, a arte esta sempre propondo uma nova visão, abrindo horizontes para o inexplicável e propondo novas ações para a sociedade. No “Projeto Joaninha” a dança é um canal para a descoberta de potencialidades, que colabora na construção da identidade pessoal e coletiva, Cultivar a sensibilidade para o movimento é requisito necessário para nos relacionarmos uns com os outros e com o mundo. O projeto visa não só formar profissionais e multiplicadores, mas conscientizar dos bens culturais, incentivar a pesquisa e potencializar cidadãos atuantes na sociedade. Trata-se de uma aposta na dimensão artística e estética, capaz de resignificar a função constitutiva da educação, implicando, para tanto, a aprendizagem de novas formas de olhar/ler/criar a realidade atual.

SERVIÇO

O Canto da Minha Terra
Ballet Stagium
Dias 13, 14 e 15 de maio de 2016
Sexta às 21h30, sábado, às 21h e domingo, às 18h
Local: Teatro Sergio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – Sâo Paulo/SP
Ingressos: R$ 40,00 (plateia central), R$ 30,00 (plateia lateral), R$ 20,00 (balcão)
Vendas on-line: Ingresso Rápido
Informações: (11) 3288-0136
Capacidade de público: 835 lugares
Duração: 60 min.
Classificação etária: Livre.

ENSAIO ABERTO – Projeto Joaninha
Dia 14 de maio de 2016
Sábado, às 16h.
Teatro Sergio Cardoso – Sala Sergio Cardoso
ENTRADA GRATUITA

Deixe uma resposta