Ballet Stagium apresenta três espetáculos no Teatro João Caetano

Foto: Arnaldo Torres

Com três coreografias de seu repertório o Ballet Stagium ocupa o primeiro e o último final de semana de março do Teatro João Caetano, em São Paulo. No 1º final de semana, dias 3, 4 e 5 de março, a companhia apresenta “Ballet Stagium 46 anos – Memória” e “Preludiando”, e nos dias 25 e 26 de março, apresenta O Canto da minha Terra. Os ingressos têm preços populares.

SOBRE BALLET STAGIUM 46 ANOS – MEMÓRIA E PRELUDIANDO

Memória é um trabalho de resgate da produção artística do Stagium ao longo destes 46 anos. Tomando como fio condutor o sistema coringa, os bailarinos se transportam para algumas das propostas do Stagium exploradas desde a sua fundação em 1971. De obras como Jerusalém, de 1974, que recebeu na época o Grande Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), o espetáculo dá um salto para Kuarup, de 1977, que denuncia o genocídio das nações indígenas no Brasil. Na sequencia, obras como Coisas do Brasil, de 1979, e “Saudades de Elis” de 1997, além de produções que evocam as músicas de Piazzola, Ary Barroso e Chico Buarque, também compõem esta síntese da história do Stagium. É o Stagium em constante transito entre tradição e ruptura, resgatando a si próprio numa emocionante viagem no tempo.

Preludiando, de 2016, é mais do que uma coreografia, é uma tomada de posição. Nesta obra a prioridade está nos bailarinos e nos movimentos que eles desenham no espaço com a força e emprenho. Preludiando chama a atenção para a maneira de lutar pela sobrevivência sem abrir mão de seus valores. Décio Otero e Márika Gidali nos fazem olhar para um traço fundamental na linguagem que vem desenvolvendo há 46 anos, que coletaram nos encontros do Staguim com um Brasil que ainda não havia tido contato com este tipo de dança. Nesse momento, o Stagium reafirma as escolhas que pavimenta o seu percurso ao resgatar o compositor brasileiro Claudio Santoro do esquecimento no qual tem sido mantido.

FICHA TÉCNICA

Memória

Colagem coreográfica das principais obras do Ballet Stagium
Coreografias: Décio Otero
Direção Teatral: Marika Gidali

Preludiando

Coreografia, seleção musical e figurinos: Décio Otero
Direção teatral: Marika Gidali
Música: Claudio Santoro
Edição da trilha sonora e projeção: Marcelo Aharon Gidali
Desenho de luz: Décio Otero e Marcelo Aharon Gidali
Locução: André Falcão
Montagem cênica: Marcos Palmeira
Secretário: José Luis Oliveira
Bailarinos: Paula Perillo, Ariadne Okuyama, Raquel Gattermeier, Luiza Vilaça, Eugenio Gidali, Marcos Palmeira, Angelica Bueno, John Santos, Gustavo Lopes, Pedro Camargo e Vinicius Anselmo
Divulgação: Fabio Villardi
Professores: Yoko Okada e Decio Otero
Fotografia: Arnaldo Torres e Emidio Luisi
Produção Executiva: Edgard Duprat
Coordenação Geral: Marika Gidali
Agradecimentos: Fundação Padre Anchieta – Rádio e TV Cultura; APAA

O Canto da Minha Terra
O Canto da Minha Terra | Foto: Arnaldo Torres
SOBRE O CANTO DA MINHA TERRA

Em “O Canto da Minha Terra”, Márika Gidali e Décio Otero se lançam na tarefa de desbravar, através da dança, toda a poesia que ecoa no universo sonoro de Ary Barroso (1903-1964), com a participação das cantoras Celia e Celma, que contam e cantam Ary. “O CANTO DA MINHA TERRA” transita entre o particular e o universal, trazendo a união de artistas da cidade mineira de Ubá, (músico, coreografo e cantoras) propondo um mergulho na constituição da nossa identidade.

A realização do espetáculo “O Canto da Minha Terra” também foi a forma encontrada pelo Ballet Stagium de adentrar nas comemorações de seus 45 anos de existência, em constante transito entre tradição e ruptura, estabelecendo uma estética própria e uma linguagem que propõe a refletir o Brasil em sua complexidade social, histórica e cultural.

FICHA TÉCNICA

Idéia e Coreografia: Décio Otero
Direção Teatral: Márika Gidali
Música: Ary Barroso
Trilha Sonora: Décio Otero
Música Incidental e Edição: Marcelo Aharon Gidali
Desenho de Luz: Edgard Duprat
Participação Especial: Célia e Celma
Narração: Oswaldo Mendes
Bailarinos: Paula Perillo, Ariadne Okuyama, Raquel Gattermeier, Luiza Vilaça, Eugenio Gidali, Marcos Palmeira, Angelica Bueno, John Santos, Gustavo Lopes, Pedro Camargo e Vinicius Anselmo
Pesquisa: Decio Otero, Márika Gidali, Ademar Dornelles e Fabio Villardi
Fotos: Arnaldo Torres
Licenciamento: Editora Aquarela do Brasil
Agradecimentos: Fundação Padre Anchieta – Radio e TV Cultura; Lemos Consultoria

SERVIÇO

Ballet Stagium 46 anos – Memória | Preludiando | O Canto da Minha Terra
Ballet Stagium
Dias 03, 04, 05, 25 e 26 de março de 2017
Sexta e sábados, às 21h, domingos, às 19h
Local: Teatro João Caetano
Rua Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino – São Paulo/SP – CEP 04038-001
Ingresso: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia)
Informações e bilheteria: (11) 5573-3774 / 5549-1744
Classificação: Livre