Ballet Stagium apresenta o espetáculo Figuras e Vozes na CAIXA Cultural Recife

A CAIXA Cultural Recife recebe, de 26 a 29 de setembro de 2018 (quarta a sábado), o Ballet Stagium, de São Paulo, com o espetáculo Figuras e Vozes. Após um hiato de cinco anos – a última apresentação no Recife foi durante a Mostra Brasileira de Dança, em 2013 – a companhia comandada por Marika Gidali e Décio Otero, volta aos palcos pernambucanos com espetáculo inédito no Nordeste.

Figuras e Vozes é uma obra de 2015, na qual o Ballet Stagium se desafia a investigar o estado de espírito dadaísta, que foi um movimento artístico pertencente às vanguardas europeias do século XX, que tinha como lema: “a destruição também é criação”. Como ideologia, o dadaísmo agregava forte conteúdo anárquico opondo-se a qualquer tipo de equilíbrio e racionalidade. A criação artística adentrava em um novo olhar, o que obrigava o espectador a mudar o ângulo de visão.

Segundo os diretores Marika Gidali e Décio Otero, o espetáculo, formado por 15 bailarinos, aborda o aleatório e o acaso como provocação em um mundo totalmente institucionalizado e movido pela rapidez das informações. Em uma hora de espetáculo, com classificação livre, “Figuras e Vozes” utiliza a dança e elementos teatrais em cena para provocar uma nova perspectiva no olhar do público, recriando valores, revendo o universo simbólico e, instigando assim, a busca das muitas respostas para as eternas perguntas do ser humano. O espetáculo tem figurino e direção artística de Márcio Tadeu e coreografia assinada por Décio Otero.

Ballet Stagium

Fundado em outubro de 1971, em São Paulo, por Marika Gidali e Décio Otero, o Stagium completa 47 anos em 2018. É a companhia de dança contemporânea mais antiga em atuação no Brasil. Foi a primeira companhia de dança nacional a utilizar música popular brasileira nas trilhas sonoras dos espetáculos. Fez apresentações em lugares inusitados como em 11 tribos indígenas do Alto e Baixo Xingu, no palco flutuante dentro do lago do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e no hangar do aeroporto de Congonhas, também em São Paulo. Conhecida pelo forte e atuante engajamento político, a companhia mantém diversos projetos que utilizam a dança como forma de integração social. Seus diretores acreditam que o repertório do ballet é artístico, social e pedagógico, pois desenvolvem não apenas o ensino da dança, como também um vasto programa de pesquisas que agregam várias linguagens inovadoras da dança. Mais de um milhão e oitocentas mil pessoas assistiram aos espetáculos dos Ballet Stagium, apenas de 1971 a 2009.

Incentivo à cultura

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da Caixa Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências. A CAIXA Cultural Recife oferece, desde 2012, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania. O espaço, situado em um prédio histórico na Praça do Marco Zero, conta com duas galerias, teatro, sala multimídia, salas de oficinas e tem 40 projetos previstos na programação de 2018.

Crédito da foto: Arnaldo J. G. Torres

Serviço

Figuras e Vozes
Ballet Stagium
De 26 a 29 de setembro de 2018
Quarta a sábado, às 20h
Local: CAIXA Cultural Recife
Av. Alfredo Lisboa, 505, praça do Marco Zero – Bairro do Recife, Recife – PE
Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada para estudantes, professores, pessoas acima de 60 anos e funcionários e clientes CAIXA)
Informações: (81) 3425-1915
Duração: 60 minutos
Classificação: livre
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA

Deixe uma resposta