Ballet Paraisópolis apresenta o inédito Paraisopolizar no Auditório Ibirapuera

O Ballet Paraisópolis, formado por crianças e adolescentes moradores de Paraisópolis, segunda maior comunidade de São Paulo, sobe ao palco do Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, pelo quinto ano consecutivo, na noite de 23 de novembro, sábado, às 19h. O grupo apresentará o conceito “paraisopolizar” de como lidar e transformar situações diversas da vida.

O espetáculo retrata o sonho da criança bailarina, moradora da comunidade, e como este sonho modela a realidade de seu dia-a-dia. O cisne, representando o imaginário idealizado do Ballet, se transforma ao longo do tempo, partindo de sua estrutura clássica e sofisticada para o contemporâneo, até se tornar real. Com aspectos identitários de Paraisópolis, a trama vai do “conto de fadas” ao “pancadão”, humanizando a idealização, contaminando a realidade e promovendo assim uma nova forma de ser, agir e sonhar. “Paraisópolis deixa de ser lugar e se torna verbo: paraisopolizar!”

Segundo Jum Nakao, roteirista do espetáculo e diretor artístico do Ballet Paraisópolis, “a partir do imaginário e desejo dos alunos, criamos o enredo do espetáculo. Buscamos trazer ao palco do Auditório Ibirapuera um pouco das vivências do dia-a-dia de Paraisópolis: simplicidade, alegria e coletividade. Para isso, contamos com a colaboração dos alunos; eles foram fundamentais para o processo de criação do roteiro, cenário e figurinos, tornando, assim, o resultado o mais próximo possível das situações reais de suas vidas, ocorridas dentro da comunidade”. O espetáculo também traz um marco importante: será a primeira vez que o Ballet Paraisópolis subirá ao palco com figurinos, adereços e cenografia confeccionados no Ateliê de Costura e Criação Ballet Paraisópolis.

A montagem será composta por coreografias nos estilos clássico, neoclássico, contemporâneo e de repertório, e contará com a participação especial do artista de Paraisópolis, Antônio Ednaldo da Silva, o Berbela. Segundo Monica Tarragó, diretora geral do Ballet Paraisópolis, “procuramos, cada vez mais, fortalecer nossa missão de formação artística-cidadã e tornar nosso trabalho mais inclusivo e identitário. Este ano levaremos ao palco nossa primeira coreografia com PcD e iremos realçar elementos característicos de Paraisópolis: arte, coletivo, alegria e simplicidade”.

Sobre o Ballet Paraisópolis

O Ballet Paraisópolis foi fundado em 2012, pela bailarina, professora e coreógrafa Monica Tarragó. A ideia de criar um projeto que atendesse crianças e jovens na comunidade de Paraisópolis surgiu da vontade de tomar uma iniciativa perante o que Monica via de sua própria janela: desigualdade e vulnerabilidade.

A partir da experiência adquirida como bailarina e professora de ballet, iniciou um projeto de formação que, por meio do ensino da dança clássica e contemporânea, incentiva crianças e adolescentes na busca por melhores oportunidades de vida.

Hoje o Ballet Paraisópolis conta com um total de 200 alunos sendo diretamente beneficiados, e outros 2 mil na fila de espera. Com o apoio de Gilson Rodrigues da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis, Monica e sua equipe lutam para transformar sonhos em realidade.

 

Serviço

Paraisopolizar
Ballet Paraisópolis
Dia 23 de novembro de 2019
Sábado, às 19h
Local: Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer
Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque Ibirapuera
(Entrada para carros pelo Portão 3)
Ingresso: Gratuito (Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação. Limite de dois ingressos por pessoa. Sujeito à lotação da casa)
Duração: 70 minutos (aproximadamente)
Classificação: Livre para todos os públicos
A apresentação conta com audiodescrição

Deixe uma resposta