Balé da Cidade de São Paulo lança livro e documentário para celebrar os 50 anos

Crédito da foto: Carol Quintanilha e Loiro

No próximo dia 2 de outubro, às 19h, na Sala do Conservatório, na Praça das Artes (Av. São João, 281 – Centro Histórico de São Paulo, São Paulo – SP), acontecerá o lançamento do livro 50 anos do Balé da Cidade de São Paulo, que tem projeto e coordenação de pesquisa assinados por Cássia Navas, e a premiere do documentário 50 Anos do Balé da Cidade de São Paulo. A produção audiovisual é da Prodigo Films, com direção de Diego de Godoy. Na TV será exibido pelo canal ARTE 1 no dia 9 de outubro às 22h30. 

Livro

O livro encerra as comemorações dos 50 anos do Balé da Cidade de São Paulo completados em 2018. A publicação, idealizada pelo atual diretor artístico da companhia Ismael Ivo, tem 332 páginas e foi construída a partir de registros das próprias coreografias, espetáculos e programas do grupo. “Este livro nos traz uma história do que construímos até agora, base para o que virá. Ele convoca os artistas desta companhia, a partir da memória que se faz atual, como presente de e para todos. Ser diretor do Balé da Cidade de São Paulo, quando cumpre seus 50 anos, é um desafio diário, mas também uma honra que estendo a todos os artistas e profissionais que ora compõem este grupo”, afirma Ivo.

Cássia Navas explica que o público terá acesso a um livro duplo, sendo um deles dedicado apenas as imagens históricas e atuais da companhia. Mais de 6 mil fotos foram analisadas por meio da investigação em acervos públicos e particulares. O segundo livro é de textos bilíngues referentes à trajetória, com informações sobre os bailarinos, diretores, coreógrafos, produtores e músicos que ajudaram a construir este cinquentenário.

“Os dois livros desta publicação se organizam a partir das curadorias dos diretores do Balé da Cidade, destacando-se aspectos de suas propostas e escolhas curatoriais. Nucleados em três capítulos, aos quais se junta um capítulo-conclusão: (1) Fundação / Refundação (1968-1982), (2) Experimentalismo / Consolidação (1982-1992), (3) Consolidação / Internacionalização (1993-2016) e, por fim, (4) Atualidade / Futuro (2017-2018)”, diz Navas. As vendas do livro ocorrerão na loja do Theatro Municipal de São Paulo.

Documentário

O documentário 50 Anos do Balé da Cidade de São Paulo também narra a trajetória desde a sua fundação há 50 anos, quando ainda se chamava Corpo de Baile Municipal, até hoje, traçando um paralelo entre o passado e o presente.

O diretor Diego de Godoy gravou depoimentos de diretores artísticos, bailarinos e profissionais que fizeram e fazem parte desses 50 anos. Imagens de arquivo e remontagens de trechos de peças clássicas com o elenco do grupo completam o documentário.

O filme foi produzido por Beto Gauss e Francesco Civita e a produção executiva é de Beto Gauss, Renata Grynszpan e Juliana Farias. Caito Ortiz e Giuliano Cedroni assinam a direção de conteúdo.

“Revisitar a história dos cinquenta anos do Balé da Cidade de São Paulo, foi uma experiência muito prazerosa além de um aprendizado de persistência e resiliência. Viva o Balé, viva a Dança!” Beto Gauss, Produtor.

Os dois lançamentos integram a programação do Eté-Festival Corpo, evento celebra as expressões corporais por meio de atrações de dança, circo, teatro, mímica e ocorre até 5 de outubro no Theatro Municipal de São Paulo e na Praça das Artes.

Sobre o Balé da Cidade de São Paulo

Balé da Cidade de São Paulo – 50 anos – 1968-2018

216 Obras coreográficas no repertório

176 Criações originais para o BCSP40 Remontagens de obras criadas para outras companhias

27 Remontagens de obras do repertório do BCSP.

33 Criações originais e 03 remontagens da Cia 2.

27 Participações em óperas.

121 Obras criadas em mostras de coreografia.

07 Obras criadas em mostras e incorporadas ao repertório

58 Premiações

17 Países visitados em 22 anos de turnês internacionais

78 Cidades na Europa, Ásia, Oriente Médio, América do Sul e América do Norte

20 Bailarinos convidados

346 Bailarinos

Balé da Cidade de São Paulo

O Balé da Cidade de São Paulo foi criado em 7 de Fevereiro de 1968. Inicialmente com a proposta de acompanhar as óperas do Theatro Municipal e se apresentar com obras do repertório clássico, teve Johnny Franklin como seu primeiro diretor artístico. Em 1974, sob a direção Antonio Carlos Cardoso, a companhia assumiu o perfil de dança contemporânea, que mantém até hoje. Em todos esses anos, o repertório se definiu com um celeiro de novos vocábulos de dança, inovação de movimento e criação de novas expressões artísticas. Abrigou um corpo de solistas qualificados que com coreógrafos de alta qualidade marcaram uma época. Suas criações se destacam como inéditas e foram apresentadas com grande sucesso na plataforma nacional e internacional. A bem-sucedida carreira internacional da companhia teve início com a participação na Bienal de Dança de Lyon, França, em 1996. Desde então suas turnês europeias têm sido aclamadas tanto pela crítica especializada quanto pelo público de todos os grandes teatros onde se apresenta.

A longevidade do Balé da Cidade de São Paulo, o rigor e padrão técnico do elenco e equipe artística, atraem os mais importantes coreógrafos brasileiros e internacionais, interessados em criar obras para seus bailarinos e artistas. Atualmente, a companhia tem como diretor artístico o bailarino e coreógrafo Ismael Ivo que também é fundador, diretor e conselheiro do Festival  ImPulsTanz, de Viena.

Expediente editorial do livro 50 anos do Balé da Cidade de São Paulo

Ideia original: Ismael Ivo
Organização Editorial: Departamento de Comunicação do Theatro Municipal de São Paulo
Projeto e Coordenação de Pesquisa: Cássia Navas
Assistente de pesquisa: Henrique Rochelle
Pesquisa e compilação de dados no texto “50 Anos, BCSP em Listas”: Raymundo Costa
Pesquisa de imagens e liberação de direitos autorais: Julia Baker
Revisão português: Ciça Corrêa
Tradução português-inglês: Tatiana Muller e Márcia Macedo
Revisão Língua Inglesa: Márcia Macedo
Projeto Gráfico: Estúdio Margem [Alexandre Lindenberg, João Pedro Nogueira, Mateus Acioli, Nathalia Cury]
Produção gráfica: Sergio Almeida
Impressão: Ipsis
Tiragem: 1000 exemplares

Ficha técnica do documentário 50 Anos do Balé da Cidade de São Paulo

Produtora: Prodigo Films
Direção: Diego de Godoy
Produtores: Beto Gauss e Francesco Civita
Produção executiva: Beto Gauss, Renata Grynszpan e Juliana Farias
Direção de Conteúdo: Giuliano Cedroni e Caito Ortiz
Coordenação de produção: Juliana Tuacek
Coordenação de pós-produção: Maria Luiza Tutu Mesquita
Pesquisa e Roteiro: Diego de Godoy e Fabiana Werneck
Direção de Produção: Luiza Campanelli
Direção de fotografia: Carol Quintanilha e Loiro Cunha
Montagem: Tatiana Toffoli
Música original: Ricardo Severo
Som direto: Rafael Veríssimo
Edição de som e mixagem: Ricardo Severo

Sobre a PRODIGO FILMS

PRODIGO Films é uma conceituada produtora brasileira, conhecida por “COISA MAIS LINDA”, série ficcional desenvolvida para a Netflix (produzindo a 2ª temporada); (FDP) série de ficção premiada para a HBO e atualmente produz “CIDADE INVISÍVEL” série de realismo fantástico do diretor brasileiro Carlos Saldanha, também para Netflix.

A Prodigo produziu os longas-metragens “O ROUBO DA TAÇA”, vencedor do prêmio de Audiência no SXSW 2016 e “A HORA E A VEZ DE AUGUSTO MATRAGA”, que levou 5 prêmios no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro. Em 2018, Prodigo produziu e lançou “SUEÑO FLORIANÓPOLIS”, vencedor de 4 prêmios no Festival Internacional de Cinema de KarlovyVaryNos EUA, a Prodigo é representada pela agência CAA.

Outras obras incluem:

“Motoboys_Vida Loca” – do diretor Caito Ortiz (Longa Documentário -ganhador do Prêmio Júri Popular na 27º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo )
“Outros Tempos” – HBO (Série Documental – vencedora do prêmio Melhor Série Documental para TV no Prêmio Fiesp/Sesi-SP de Cinema e TV 2018)
“Work In Progress” – Arte 1 (Série Documental)
“Rompendo o Silêncio” – HBO (Série Documental)

Sobre o ARTE1

O Arte1 é um canal brasileiro de espaço qualificado que valoriza a produção independente e contribui na formação do público que gosta de arte. Dança, música, artes visuais, literatura, teatro, cinema, design, moda, arquitetura e fotografia são destaques na programação. Lançado oficialmente em março de 2013, o canal recebeu no mesmo ano a Menção Honrosa do Prêmio APCA, da Associação Paulista de Críticos de Arte, pela iniciativa de criação de um canal de cultura. No ano seguinte, foi agraciado com o Prêmio ABCA 2014, na categoria de difusão das artes visuais na mídia.

Com 24 horas no ar, o canal apresenta as produções próprias semanais Arte1 ComTexto, Arte1 Em Movimento, Estilo Arte1, Magazine Arte1 com The New York Times, Encontra, em parceria com o Itaú Cultural, e Arte na Fotografia – o primeiro reality sobre foto do Brasil.

Além da transmissão televisiva, o Arte1 tem o seu conteúdo ondemand no aplicativo Arte1 Play, disponível para IOS e Android.

O canal integra a grade de programação das principais TVs a cabo. Sky – 81; Net HD – 553; Claro TV HD – 553; Oi TV – 85; GVT – 84; Vivo TV – cabo 102; satélite 555; fibra 627.

Deixe uma resposta