Balé da Cidade de São Paulo completa 50 anos com programação grandiosa

O Balé da Cidade de São Paulo completa 50 anos em 2018. Para celebrar o cinqüentenário de uma das companhias de dança mais renomadas e influentes do país, uma programação especial foi elaborada sob o tema Mover de Amor.

“O repertório selecionado preserva a qualidade artística e abre horizontes para novos caminhos de criatividade e inovação”, explica Ismael Ivo, diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo.

Um Jeito de Corpo, Deranged, Trovador e Frágil são os destaques da temporada; As criações serão assinadas por renomados coreógrafos, como Morena Nascimento, Itzik Galili e Cris Haring.

A estreia da temporada acontece no dia 15 de março, às 20h, com o lançamento mundial de Um Jeito de Corpo – Balé da Cidade Dança Caetano, inspirado nas músicas e na literatura poética de Caetano Veloso. A criação é de Morena Nascimento, que foi integrante da renomada companhia Tanz Theater Wuppertal, de Pina Bausch. A passagem por um dos maiores grupos de dança do mundo provoca ainda mais o interesse do público por suas criações. Brasileira, radicada na Alemanha, a bailarina é um dos destaques da nova geração da dança contemporânea. As apresentações acontecem ainda nos dias 16, 17, 22, 23, 24, 25 às 20h e 18 às 18h. O mesmo espetáculo que abre, encerra a temporada 2018 da companhia. Em dezembro, de 18 a 21, também às 20h, Um Jeito de Corpo – Balé da Cidade Dança Caetano retorna ao palco do Theatro Municipal de São Paulo.

A segunda temporada, com estreia marcada para julho (6, 7, 8, 11, 12, 13, 14 e 15), terá três obras: Trovador, do coreógrafo brasileiro Alessandro Pereira, que integra a companhia Europeia Danish Dance Theatrer, Frágil do israelense Itzik Galili e Deranged do coreógrafo austríaco Cris Haring.

Frágil estreou em janeiro de 1997 em Heerlen, na Holanda. A obra, interpretada pelo Galili Dance, se centra na vulnerabilidade e medos inerentes à profissão de bailarino.

A coreografia entrou para o repertório do Balé da Cidade de São Paulo em 2005. O duo expõe o vigor de uma mulher na expectativa de convencer o homem a transpor seus limites.

Em Deranged , Haring se inspira na música I’m deranged composta por David Bowie e o músico e produtor musical Brian Eno em 1995. O trabalho é baseado no método de trabalho do Liquid Loft, de Viena, criado por Cris Haring que transforma gravação de voz em sequências de movimento. Devido a isso, as vozes dos bailarinos serão gravadas e reproduzidas para eles por meio de alto-falantes no palco. Acompanhados pelo coreógrafo e o músico Andreas Berger, a companhia apresentará movimentos a partir do material pré-gravado. Durante os espetáculos, os bailarinos executarão a coreografia sincronizando os lábios ao som que está sendo projetado, transformando Deranged em uma linguagem corporal completa.

A Sagração da Primavera

Em seu cinqüentenário, o Balé da Cidade de São Paulo também irá celebrar Igor Stravinsky com uma releitura de uma das mais importantes obras do século XX, A Sagração da Primavera, que foi coreografada por um dos iniciadores da dança moderna Vaslav Nijinsky.

Dirigido por Ismael Ivo, o grupo apresenta o espetáculo como dentro de um campo de batalha. “Ele questiona nossa existência e os parâmetros entre as fronteiras da ‘vida e morte’. Uma luta pela sobrevivência”, explica Ivo. As apresentações serão acompanhadas pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo sob a regência do maestro Roberto Minczuck.

A Sagração da Primavera estreia em 15 de setembro às 20h. O público ainda pode conferir o espetáculo nos dias 16, 18, 19, 21 e 22, às 20h, com exceção do domingo, às 18h.

Balé da Cidade de São Paulo

O Balé da Cidade de São Paulo foi criado em 7 de Fevereiro de 1968, com o nome de Corpo de Baile Municipal. Inicialmente com a proposta de acompanhar as óperas do Theatro Municipal e se apresentar com obras do repertório clássico, teve Johnny Franklin como seu primeiro diretor artístico.

Em 1974, sob a direção Antonio Carlos Cardoso, a companhia assumiu o perfil de dança contemporânea, que mantém até hoje. Em todos esses anos, o repertório se definiu com um celeiro de novos vocábulos de dança, inovação de movimento e criação de novas expressões artísticas.

Abrigou um corpo de solistas qualificados que com coreógrafos de alta qualidade marcaram uma época. Suas criações se destacam como inéditas e foram apresentadas com grande sucesso na plataforma nacional e internacional.

A bem-sucedida carreira internacional da companhia teve início com a participação na Bienal de Dança de Lyon, França, em 1996. Desde então suas turnês europeias têm sido aclamadas tanto pela crítica especializada quanto pelo público de todos os grandes teatros onde se apresenta.

A longevidade do Balé da Cidade de São Paulo, o rigor e padrão técnico do elenco e equipe artística, atraem os mais importantes coreógrafos brasileiros e internacionais, interessados em criar obras para seus bailarinos e artistas.
Atualmente, a companhia tem como diretor artístico o bailarino e coreógrafo Ismael Ivo que também é fundador, diretor e conselheiro do Festival ImPulsTanz, de Viena.

Ismael Ivo

É bailarino e coreógrafo. Dirigiu por oito anos o setor Dança na Bienal de Veneza e foi diretor e chefe de coreografia no Theatro Nacional Alemão. Fundador, diretor e conselheiro artístico do Festival ImPulsTanz, de Viena. Diretor e criador do projeto Biblioteca do Corpo.

Atuou também como professor convidado da Max Reinhardt Seminar, na Universidade de Música e Artes Performáticas de Viena, e como Diretor Artístico do Prêmio Roma de Coreografia Contemporânea. No Brasil, é diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo e também exerce a função de Curador Artístico do Projeto Qualificação em Dança, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

Crédito da foto: Clarissa Lambert

Serviço

Balé da Cidade de São Paulo – 50 anos

Março

Um Jeito de Corpo – Balé da Cidade Dança Caetano
Morena Nascimento (criação)
Quinta-feira 15, às 20h
Sexta-feira 16, às 20h
Sábado 17, às 20h
Domingo 18, às 18h
Quinta-feira 22, às 20h
Sexta-feira 23, às 20h
Sábado 24, às 20h
Domingo 25, às 20h

Julho

Trovador
Alessandro Pereira (criação)
Frágil
Itzik Galili (coreografia)
Deranged
Cris Haring (criação)
Sexta-feira 06, às 20h
Sábado 07, às 20h
Domingo 08, às 16h30
Quarta-feira 11, às 20h
Quinta-feira 12, às 20h
Sexta-feira 13, às 20h
Sábado 14, às 20h
Domingo 15, às 18h

Setembro

A Sagração da Primavera
Ismael Ivo (criação)
*Com a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, com regência do maestro Roberto Minczuk
Sábado 15, às 20h
Domingo 16, às 18h
Terça-feira 18, às 20h
Quarta-feira 19, às 20h
Sexta-feira 21, às 20h
Sábado 22, às 20h

Dezembro

Um Jeito de Corpo – Balé da Cidade Dança Caetano
Morena Nascimento (criação)
Terça-feira 18, às 20h
Quarta-feira 19, às 20h
Quinta-feira 20, às 20h
Sexta-feira 21, às 20h

Deixe uma resposta