Atividades na Oficina Cultural Alfredo Volpi discutem o lugar do corpo negro nas artes e nos rituais

Você conhece o Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras da Oficina Cultural Alfredo Volpi? O grupo foi criado em 2018, com o intuito de analisar a presença do corpo negro na dança, nos rituais e nas artes. Esse ano, o objetivo do Núcleo é investigar as masculinidades e feminilidades no cangaço e no sertão nordestino, além de discutir a estrutura das relações de poder entre antigos senhores e escravizados. Encontro de dança e debate fazem parte da programação gratuita, que acontece no mês de maio. Todos os eventos são abertos e destinados à maiores de 16 anos. A Oficina é uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

No mês de maio, a programação do Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras trata de cangaço, poesia e política, por meio da dança e do debate

O Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras convida o público para a Dança da Indignação, conceito criado por Gal Martins, que é atriz, gestora cultural e dançarina. A proposta do exercício, que é uma linguagem estética em dança, é reverberar indignações coletivas e seus territórios, em uma abordagem política-poética que aponta para as intersecções entre arte e vida. O processo dá lugar a indignação de modo criativo, potente e produtor de transformações de realidades individuais e coletivas; na medida em que canaliza os sentimentos do artista em ações revolucionárias e resistentes. A atividade será no dia 4, sábado, das 10h às 16h.

Moacir Assunção, historiador, jornalista e pesquisador do cangaço, comandará o debate Lampião, um Brasileiro Incomum, no dia 16, quinta-feira, das 19h às 21h30. A ideia é, por meio de bate-papo, investigar a figura contraditória de Lampião, que para alguns foi um herói, e para outros um assassino cruel, mas que, independentemente da opinião, é alguém entrou na história como o Rei do cangaço. Além de analisar uma das personalidades mais misteriosas da história do Brasil, o Núcleo vai discorrer sobre a produção de masculinidades no sertão nordestino.

Sobre a Oficina Cultural Alfredo Volpi

Criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, desde 1986 a Oficina Cultural trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas como: artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

Sobre a Poiesis

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Crédito da foto: Acervo das Oficinas Culturais

Serviço

Dança da Indignação
Dia 04 de maio de 2019
Sábado, das 10h às 16h

Lampião, um Brasileiro Incomum
Dia 16 de maio de 2019
Quinta-feira, das 19h às 21h30

Local: Oficina Cultural Alfredo Volpi
Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera, São Paulo – SP
Informações: (11) 2205-5180 | 2056-5028

Deixe uma resposta