8ª Mostra do Fomento à Dança

Mostra fomento a dança Cia Perversos Polimorfos - Imagem-nua e outros contos - imagem FabioFurtado 0001
Cia Perversos Polimorfos – Cena de Imagem-nua e outros contos – Foto: Fabio Furtado

De 17 a 28 de setembro, São Paulo será palco da 8ª Mostra do Fomento à Dança, reunindo trabalhos contemplados nas três últimas edições do Programa de Fomento à Dança, uma conquista única da classe artística brasileira, através da criação, em 2005, de uma lei municipal, que garante a continuidade de investimento para projetos de companhias sediadas na capital, colaborando com a difusão da produção artística de dança contemporânea que se faz na cidade.

O diferencial desta Mostra está na organização do evento, que se deu por meio de uma construção coletiva pioneira entre a Secretaria Municipal de Cultura e todos os núcleos artísticos participantes. Como resultado, as ações e locais das apresentações foram expandidos para nove espaços da cidade – Galeria Olido, Centros Cultural São Paulo, Cultural da Penha, Cultural da Juventude, de Formação Cultural Cidade Tiradentes, de Referência da Dança, Escola de Meninas da Vila Maria Zélia, Rua São Bento e Praça da Biblioteca Monteiro Lobato -, com uma programação diversificada em sua variedade de abordagens, formatos e possibilidades. Nesse sentido, a parceria funcionou como aposta num novo modo de fazer, potencializando as diversas contribuições dos artistas e produtores e buscando uma sinergia entre sociedade e poder público, para que a mostra se consolide definitivamente no calendário anual da cidade.

A abertura oficial acontece no dia 17, terça-feira, às 19h, na Sala Paissandu do Centro de Dança Umberto da Silva (2º andar da Galeria Olido), com a presença do secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira. O clima é de confraternização, mas o momento também é oportuno para trazer a fala de especialistas, compartilhar experiências e levantar questões que tragam crescimento e abrangência ao Programa. José Maria Carvalho dará uma panorâmica do histórico de luta para a criação da Lei do Fomento; Marcus Moreno, coordenador do Fomento à Dança, e os artistas Marcos Morais, Uxa Xavier e Tica Lemos compartilharão a experiência da organização colaborativa desta edição. Como a Mostra é de dança, ao final, os artistas conduzem uma performance de improvisação com os presentes.

No dia 18, quarta-feira, às 20h, a Mostra abre para o público, com a apresentação de “Propulsão: o que faz viver, parte 2 – seguinte”, da key zetta e cia, trabalho que recebeu o Prêmio APCA de 2013 e tem como ignição para a criação  estudos sobre intensidade, imagem como acesso ao campo sensível, ilusão e acontecimento. A programação segue com trabalhos cênicos, performances, workshops, exibição de videodança, encontros, instalações e uma exposição de acervo.

Outras 11 companhias se apresentam na Galeria Olido: na primeira semana, o Núcleo Artérias, de Adriana Grecchi, com “Escuro Invisível” (19/9, 20h); a Taanteatro Cia, com o solo “Trans, experimentos do monstro chamado desejo”, de Maura Baiocchi (20/9, 20h); e o Núcleo Fu Bu Myo In, com o solo de Toshi Tanaka, “Iki – Respiração” (21/09, 18h).  Na semana seguinte, ocupam a cena no dia 24/9, a Cia Oito Nova Dança, dirigida por Lu Favoreto, com “Xapiri Xapiripë” (18h) e a In Saio Cia. de Arte, de Claudia Palma, com “Dark Room” (21h); a E² Cia de Teatro e Dança, de Eliana de Santana, apresenta “Lost in Spaceshit”, no dia 25 (21h); “TransVersos”, da  Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança, e “Aos Vencedores, as Batatas”, da Cia Fragmento de Dança, dirigida por Vanessa Macedo, são os espetáculos do dia 26/9 (18h e 20h, respectivamente). No sábado, 27/9, a Caleidos Cia de Dança apresenta a aula aberta “Sharing”, com Isabel Marques (18h) e Maurício de Oliveira & Siameses, “Albedo” (20h). Por último, “Girassóis”, espetáculo infantojuvenil da Cia Druw, dirigido por Miriam Druwe e inspirado na obra do pintor holandês Van Gogh, fecha a programação da Olido no domingo, 28/9, às 15h.

Sempre às 18h30, o Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes recebe três espetáculos: “Imagem-nua e outros contos”, com a Cia Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali (19/9); “Pessoal e Intransferível”, com a Silenciosas + GT’aime, de Diogo Granato (23/9), e “DesObra_Dejavü …laços”, do  Viver Núcleo de Dança, com direção de José Maria Carvalho (26/9).

O Centro Cultural da Juventude reserva o horário das 15h para Cristian Duarte e The Collective Jazz & Guests levarem a “JAM 1mm Of All That” (20/9); o OMSTRAB, de Fernando Lee, dançar “Cidade” (21/9) e Sheila Ribeiro/dona orpheline apresentar o show instalação “Chamando Ela” (27/9). No dia 24/9, às 20h, o Centro Cultural da Penha recebe “Hostel Project: Fase I”, da Cia Corpos Nômades, dirigida por João Andreazzi.

Com “Eu em Ti”, a Cia Carne Agonizante, de Sandro Borelli, inaugura, no dia 21/9, às 20h, o recém conquistado Centro de Referência da Dança – onde até o ano passado funcionava a Escola de Dança São Paulo (baixos do Viaduto do Chá, antiga Escola Municipal de Bailado) -, como espaço de apresentações. A Cia Sansacroma mostra “Outras portas, outras pontes” (25/9, 18h), no mesmo lugar que, durante todo o período da Mostra, estará habitado por fotos, desenhos e vídeos da exposição “Décadas de Dança: preservação e compartilhamento do acervo Celia Gouvêa-Maurice Vaneau” (1926-2007), referente a quase quatro décadas de criações do casal de artistas. O espaço abriga também a instalação que mostra de forma vivencial os desenhos produzidos por Libero Malavoglia e Jerusa Messina, e as fotos e videos documentais dos ensaios abertos do grupo de dança-literatura Juanita, dirigido por Tica Lemos, para o trabalho homônimo, inspirado na obra Carlos Castaneda e as diferentes realidades.

Outra instalação permanente durante a Mostra acontece no 2º andar da Galeria Olido. “Resistência: “[TEMPERATURA DA EXPLOSÃO #03]”, do Núcleo Cinematográfico de Dança, convida o público a traduzir corporalmente um enunciado baseado em três propriedades físicas e químicas de alguns explosivos: aceleração, repetição e resistência.

Em espaços públicos abertos, o …AVOA! Núcleo Artístico de Lu Bortoletto, faz, na Rua São Bento, Centro, sua “Pequena dança para crescer nos vãos”, nas duas sextas-feiras (19 e 26/09, 12h30); e no sábado que antecede o final da Mostra (27/9, 15h), a Balangandança Cia, dirigida por Georgia Lengos, leva “ninhos, performance para grandes pequenos” para a Praça da Biblioteca Monteiro Lobato, na Vila Buarque.

Ambiente escolhido para a pesquisa e encenação do Núcleo de Improvisação, a Escola de Meninas, local que faz parte das ruínas da Vila Operária Maria Zélia, no Belenzinho, abraça, no dia 24/09, às 17h, o solo “Sob o meu, o nosso peso – memória na Vila Maria Zélia”, de Zélia Monteiro, que tem o tempo – presente e passado – como suporte para deflagrar memórias individuais e coletivas.

O Centro Cultural São Paulo abriga cinco espetáculos na segunda semana da Mostra: o Núcleo de Dança e Performance Marcos Sobrinho se apresenta com “Um poema para Carmen… and besides a show”, no dia 26/9, às 21h; “Juanita“, do Núcleo Juanita, de Tica Lemos, e  “Anatomia do Cavalo”, de Marcos Moraes/Cozinha Performática, são as peças do dia 27/9, respectivamente, às 17h e às 20h. No domingo, 28, encerram a programação a performance infantojuvenil “Varal de Nuvens”, do Lagartixa na Janela, de Uxa Xavier, às 17h, e “50 desenhos para assassinar a magia”, do Nutaan, núcleo de pesquisa e criação da Taanteatro Cia, às 20h.

CONVERSAS E VÍDEOS

Paralelamente aos trabalhos das companhias, foi pensado o ciclo de conversas “História e Performance: o que é o Fomento à Dança?”, que vem sendo realizado junto às instituições de ensino antes mesmo do início da programação, no intuito de construir um diálogo mais próximo com o público sobre o Programa, contextualizando sua história, ações políticas e processos artísticos e sua importância no cenário cultural de São Paulo e do país. Desta ação, surge outra oportuna proposta: os “Encontros: E aí, o que você tem feito?”, um espaço aberto, no Centro de Referência da Dança, de 23 a 27/9, sempre às 14h, a todos os artistas e estudantes das artes do corpo, para que possam conversar sobre seus trabalhos e processos criativos, indo além das pautas políticas e abrindo novos caminhos de comunicação e troca. Mas a abertura, no dia 23, é um pouco diferente: o Encontro traz uma roda de conversa com questões sobre o Fomento, os rumos da Dança Contemporânea e pontos levantados no próprio Ciclo “História e Performance…”, que os artistas trouxeram das universidades e cursos de arte visitados.

O Cine Olido também entra no circuito da Mostra: no dia 19/9, às 19h, a sala de cinema está reservada para uma sessão de videodança que começa com “Sabroso”, filmado por Osmar Zampieri, com uma câmara digital Phantom, de alta velocidade, e que revela, em câmara lentíssima, inesperadas imagens do projeto “Cozinha Performática”, de Marcos Morais (6 minutos), seguida de “Sobre ruas e rios”, com direção Alex Ratton Sanchez, que traz olhares e relações de cada intérprete-criador da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros com o espaço, em investigações para o mais recente trabalho de criação, de mesmo título, procurando evidenciar, nos 40 minutos de duração, o que está submerso e invisível na imaginação da cidade.

Costurando todas as ações, o Projeto “7 x 7, concebido por Sheila Ribeiro/dona Orpheline, abre espaço para que os artistas contribuam, por meio de textos ou imagens, com análises críticas e poéticas sobre os trabalhos vistos, para estimular reverberações, fomentar discussões e valorizar a voz compartilhada e conectiva. Os textos a serem postados no site www.seteporsete.net devem ser encaminhados pelo e-mail contato@seteporsete.net.

ESPETÁCULOS

DIA 18/09, QUINTA-FEIRA

20h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
key zetta e Cia – “Projeto Propulsão / o que faz viver Parte 2: Seguinte”.
Com: Beatriz Sano, Júlia Rocha, Key Sawao e Ricardo Iazzetta. 45min. Livre.

“Quatro pessoas dançam vigorosamente e desaparecem a olhos nus” – essa é a sinopse de “Projeto Propulsão / o que faz viver…”. Estudos sobre intensidade, imagem como acesso ao campo sensível, ilusão e acontecimento são pontos de partida para reflexões e pontes desta criação. Parceiros artísticos desde 1996, Key Sawao e Ricardo Iazzetta dirigem o núcleo key zetta e cia., que agrega artistas criadores e colaboradores.

DIA19/09, SEXTA-FEIRA

12h30 – Rua São Bento. Centro.
…AVOA! Núcleo Artístico – “Pequena dança para crescer nos vãos”.
Com: André Simões, Edi Cardoso, Juliana Rosa e outros. 50min. Livre.

“Pequena dança…” tem intrínseca relação com uma série de ensaios fotográficos, nos quais registros de raízes e vegetação que rompem o concreto foram protagonistas de uma reflexão sobre pequenos atos de resistência, para uma dança que “brota” em território urbano de forma anônima e transforma-se de maneira transitória e potente.

18h30 – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Cidade Tiradentes
– Cia Perversos Polimorfos – “Imagem-nua e outros contos”.
Direção: Ricardo Gali. Com: Patrícia Bergantin, Jerônimo Bittencourt, Natália Mendonça e outros. 50min. 16 anos.

“Imagem-nua e outros contos” aproxima o universo dos dramas fundamentais, presentes nas narrativas sintéticas dos contos-de-fadas, das abordagens metafenomenológicas do filósofo português José Gil – um dos pensadores da atualidade a se debruçar sobre a especificidade do corpo em movimento como constituição de linguagem.

20h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Núcleo Artérias – “Escuro Visível”.
Direção: Adriana Grechi. Com: Carolina Minozzi, Lívia Seixas e Nina Giovelli. 40min. 12 anos.

“Escuro Visível” investiga os movimentos do desejo, percebendo sua ação em cada acontecimento presente. Interessado em como forças e intensidades vitais podem ser partilhadas em um ambiente comum, o grupo propõe um espaço de afetos, onde as conexões são tão importantes quanto os indivíduos.

DIA 20/09, SÁBADO

15h – Centro Cultural da Juventude. Vila Nova Cachoeirinha.
Cristian Duarte  / The Collective Jazz & Guests – “JAM 1mm Of All That”.
Concepção e direção: Cristian Duarte. Com: Alexandre Magno, Aline Bonamin, Clarice Lima, Felipe Stocco, Leandro Berton, Patrícia Árabe e Tom Monteiro. 60min. Livre.

Alimentada principalmente por hits musicais dos anos 80 e 90, “JAM 1mm Of All That” propõe uma improvisação em diagonal com o envolvimento do público. Inspirada no Jazz Dance, convida todos a compartilharem de uma experiência estética e performativa vintage.

20h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Taanteatro Companhia – “Trans, experimentos do monstro chamado desejo”.
Coreografia e dança: Maura Baiocchi. 60min. 12 anos.

O espetáculo solo investiga o fenômeno da origem, da liberdade e do poder de criação, trazendo o tema da monstruosidade contextualizado na nossa sociedade de consumo imediato, com suas diferenças sociais e econômicas, mas concordantes quando se trata da coisificação do ser humano. Em “Trans” o desejo é potência e matéria prima de ruptura e transgressões.

DIA 21/09, DOMINGO

15h – Centro Cultural da Juventude. Vila Nova Cachoeirinha.
Núcleo OMSTRAB –  “Cidade”.
Direção: Fernando Lee. Com: Alex Martins, Fernando Lee, Márcio Greyk, Vagner Cruz e Willy Helm. 45min. Livre.

Construído no caminho entre os espaços da cidade, espaço de ensaio e espaço cênico, “Cidade” faz um mapeamento de São Paulo – enquanto entidade viva e pulsante –, tendo como norteadores aspectos culturais relevantes de cada região. O trabalho evidencia elementos sonoros e de movimentos que se perdem na urgência do dia-a-dia.

18h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Núcleo Fu Bu Myo In – “Iki – Respiração”.
Criação e performance: Toshi Tanaka. 40min. Livre.

Trabalho solo de Toshi Tanaka, “Iki” é uma performance fugaku, que significa criação com o corpo de vento. Entre o movimento do corpo e os elementos cênicos, há uma relação de velocidade, densidade e direção e, o mergulho em cada elemento pode resultar num lugar de conexão entre eles, como uma onda de respiração.

20h – Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo. Centro.
Cia Carne Agonizante – “Eu em Ti”.
Coreografia: Sandro Borelli. Com: Alex Merino e Amanda Santos. 55min. 16 anos.

A obra do pintor e poeta Ismael Nery, um dos ícones da vanguarda brasileira, foi o impulso para a criação do trabalho. “Eu em Ti” mostra uma combinação de linguagens da dança e do teatro tendo como inspiração a abstração do corpo erótico e santificado, despojado de vida no tempo e no espaço.

DIA 24/09, QUARTA-FEIRA

17h – Vila Maria Zélia – Escola de Meninas. Belenzinho.
Núcleo de Improvisação – “Sob o meu, o nosso peso – memória na Vila Maria Zélia”.
Direção e dança: Zélia Monteiro. 50min. Livre.

O ambiente da encenação é a Escola de Meninas, que faz parte das ruínas da Vila operária Maria Zélia. O local, habitado por um passado ligado à história pessoal da artista, deflagra memórias individuais e coletivas. “Sob o meu…” reinaugura sentidos e mantém vivo o fluxo do vivido.

18h – Galeria Olido – Sala Azul. Centro.
Cia Oito Nova Dança – “Xapiri Xapiripë”.
Direção: Lu Favoreto e Cibele Forjaz. Com: Camila Venturelli, Denise Barreto, Fabricio Licursi, Gregory Slivar, Lu Favoreto, Lucia Romano, Raoni Garcia e Thiago Antunes. 85min. Livre.

“Xapiri Xapiripë …” é livremente inspirado na imaginação ameríndia. A partir da perspectiva do movimento, é fundamentado na pesquisa de um corpo ancestral realizada por cada intérprete-criador. Xapiri é luz que dança e canta.

20h – Centro Cultural Penha.  Penha.
Cia Corpos Nômades – “Hostel Project: Fase I”.
Direção: João Andreazzi. Com: Léo Oliveira, Manu Fadul, João Andreazzi e outros. 60min. 14 anos.

“Hostel Project…” experimenta o corpo de modo a perceber os movimentos despovoarem o espaço e o tempo. Da tentativa de assimilar a cultura das Aldeias Guaranis Krukutu e Tenondé-Porã, que ao mesmo tempo se mostra tão próxima e tão distante, brota a vocalidade e a corporeidade do intérprete.

21h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
iN SAiO Cia. de Arte –  “Dark Room”.
Direção: Claudia Palma. Com: Cristina Ávila, Felipe Teixeira, Mariana Molinos, Natalia Franciscone, Renato Vasconcellos e Thiago Sancho. 50min. 16 anos.

“Dark Room” propõe um espaço onde corpos são lançados a afetos, olhares, recolhimentos, riscos. A proposta é experimentar uma outra relação com o público, por meio da proximidade e da fragmentação daquilo que a plateia consegue enxergar. A presença se dilui e se reconstrói, quando olhar é quase tocar.

DIA 25/9 – QUINTA-FEIRA

18h – Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo. Centro.
Cia Sansacroma – “Outras portas, outras pontes”.
Direção geral: Gal Martins. Direção coreográfica: Yáskara Manzini. Com: Djalma Moura, Verônica Santos, Tatiane Martins, Urubatan Miranda, Junior Gadelha e Ciça Coutinho. 60min. 12 anos.

O espetáculo propõe uma “caminhada cênica” pelas ruas até o espaço da apresentação seguindo uma trajetória simbólica por temas como herança cultural, identidade e exclusão social. Tendo como inspiração as ações de Nelson Mandela, a Cia Sansacroma combina a tradição da cultura sul-africana com a identidade do bairro do Capão Redondo.

18h30 – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Cidade Tiradentes.
Silenciosas + GT’aime – “Pessoal e Intransferível”.
Direção: Diogo Granato. Com: Diogo Granato, Flávio Falcone, Michelle Farias, Ilana Elkis e Victor Abreu. 60 min. 16 anos.

O espetáculo traz histórias fictícias geradas com base em vivências reais dos bailarinos, num equilíbrio dinâmico entre depoimento pessoal e ficção. As criações baseiam-se no conceito do neologismo “Biografema”, criado pelo filósofo francês Roland Barthes.

21h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
E² Cia de Teatro e Dança – “Lost in Spaceshit”
Direção: Eliana de Santana e Wellington Duarte. Com: Eliana de Santana, Leandro de Souza, Lilian Wiziack e Wellington Duarte. 45min. 16 anos.

O trabalho faz referência a uma pintura do artista britânico Chris Ofili, intitulada “Spaceshit” (espaçomerda), um trocadilho em inglês com a palavra spaceship (espaçonave), mas que se refere, principalmente, ao fato de o artista utilizar esterco de elefante como recurso técnico e simbólico em suas pinturas.

DIA 26/09 – SEXTA-FEIRA

12h30 – Rua São Bento. Centro.
…AVOA! Núcleo Artístico – “Pequena dança para crescer nos vãos”.
Com: André Simões, Edi Cardoso, Juliana Rosa e outros. 50min. Livre.

“Pequena dança…” tem intrínseca relação com uma série de ensaios fotográficos, nos quais registros de raízes e vegetação que rompem o concreto foram protagonistas de uma reflexão sobre pequenos atos de resistência, para uma dança que “brota” em território urbano de forma anônima e transforma-se de maneira transitória e potente.

18h – Galeria Olido – Sala Azul. Centro.
Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança – “TransVersos”.
Coreografia: Mariana Muniz. Com: Bárbara Faustino, Danielli Mendes, Tatiana Saltini, Maurício Brugnolo e Mariana Muniz. 45min. Livre.

Ao explorar as dimensões narrativas e dramáticas dos espaços pessoais, teatrais e urbanos, o trabalho investiga modos de se relacionar com esses espaços e viver a cena com o público, habitantes passageiros, por meio do movimento dançado.

18h30 – Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Cidade Tiradentes.
Viver Núcleo de Dança – “DesObra_Dejavü …laços e redes para pássaros incautos”.
Direção: José Maria Carvalho. Com: Cecilia Gobeth, Cícero Mendes, Cida Sena,  Grace Arthuso , Juliano Vendemiatti, Luciana Belloli e Vinícius Santi. 70min. Livre.

“DesObra-Dejá-vü” não se constitui em um espetáculo reensaiado para ser reapresentado, mas numa plataforma, uma experiência que compartilha com o público sua recriação a cada vez, e que trabalha com a ideia de se criar pensamentos com a dança. “DesObra…” pensa o tempo como coexistência e simultaneidade.

20h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Cia Fragmento de Dança – “Aos Vencedores, as Batatas”.
Coreografia: Vanessa Macedo. Com: Chico Rosa, Maitê Molnar, Jéssica Moretto, Rafael Sertori e Rafael Edgar. 60min. 14 anos.

Em tempos em que é comum falar de si mesmo em processos artísticos, como as subjetividades podem olhar de uma forma crítica para o mundo? Cinco solos desenvolvidos a partir de temáticas pessoais se colocam em questão. E que vença o melhor.

21h – Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho. Vergueiro.
Núcleo de Dança e Performance Marcos Sobrinho – “Um poema para Carmen… and besides a show”.
Concepção e performance: Marcos Sobrinho. 45min. 14 anos.

Composta por elementos de dança, artes visuais e música, a performance de Marcos Sobrinho tem como ponto de partida o universo de Carmen Miranda, abordando questões que envolvem o imaginário dessa artista multimídia, ícone pop da cultura brasileira.

DIA 27/09, SÁBADO

15h – Centro Cultural da Juventude. Vila Nova Cachoeirinha.
Sheila Ribeiro / dona orpheline – “Chamando Ela”.
Direção e performance: Sheila Ribeiro. 60min. Livre

Do encontro entre a artista Sheila Ribeiro e os fotógrafos João Meirelles e Tiago Lima, surgiu Chamando Ela, um show instalação que desloca, muda, brinca, inverte, recria e reverte padrões, abrindo perspectivas para modas possíveis e mitologias contemporâneas do corpo.

15h – Praça da Biblioteca Monteiro Lobato – Vila Buarque.
Balangandança Cia – “ninhos – performance para grandes pequenos”.
Direção Georgia Lengos. Com: Dafne Michellepis, Alexandre Medeiros, Maristela Estrela, Alan Scherk e Clara Gouvêa. 40min. Livre.

Vai… e vem. Voa, salta, corre. Volta: para o aconchego, o alimento, a segurança. A performance, ainda em processo de criação, tem a intenção de aproximar a criança de uma dança contemporânea, focada principalmente no corpo e no movimento, colocando a presença da natureza desse corpo/ninho em evidência.

17h – Centro Cultural São Paulo – Vergueiro.
Núcleo Juanita – “Juanita“.
Direção: Isabel Tica Lemos. Com: Isabel Tica Lemos, Iramaia Gongora e Cristiano Karnas. 45min. Livre

Livremente inspirado na obra de Carlos Castaneda e as diferentes realidades, “Juanita” é um trabalho sobre dança e literatura que recontextualiza princípios da vida, da morte, do conhecimento, do poder e do caminho do homem, e leva a uma associação direta com a trajetória mítica do herói.

18h – Galeria Olido – Sala Azul. Centro.
Caleidos Cia de Dança – “Sharing”, aula aberta.
Ministrante: Isabel Marques. 60min.

Voltado à investigação das estruturas da linguagem da dança – a Coreologia proposta por Rudolf Laban –, em seus aspectos de improvisação e composição em dança, o workshop trabalha, de forma teórica e prática, a organicidade das ações corporais em processos de criação em dança.

20h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Maurício de Oliveira & Siameses – “Albedo”.
Direção: Mauricio de Oliveira. Com: Andressa Cabral, Daniela Moraes, Danielle Rodrigues, Ivan Bernadelli, Marina Salgado e Rodrigo Rivera. 55min. 16 anos.

Na alquimia, após o caos ou a massa confusa da fase Nigredo, composta de impura matéria primeva a ser transformada, surge a etapa Albedo, aonde as impurezas foram lavadas e a matéria se torna branca, lunar, prata. Don Quixote é um invisível fio condutor. As máscaras de Albedo aparecem para revelar o que escondemos e obscurecer aparências que acreditamos como realidades absolutas.

21h – Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho. Vergueiro.
Marcos Moraes / A Cozinha Performática – “Anatomia do Cavalo”.
Direção: Luis Ferron. Organização corporal: Ana Teixeira. Com: Marcos Moraes. 45min. Livre.

O espetáculo estabelece uma comunicação direta com o público, que é recebido com informalidade e a proximidade de um convidado especial para estar em torno de uma mesa e saborear o melhor dos banquetes.

DIA 28/09, DOMINGO

17h – Centro Cultural São Paulo. Vergueiro.
Lagartixa na Janela – “Varal de Nuvens”.
Direção: Uxa Xavier. Com: Aline Bonamin, Suzana Bayona, Tatiana Cotrim e Thais Ushirobira. 40min. Livre.

“Varal de Nuvens” convida a todos para criar jogos em cantos imaginários, dançar com tecidos em varais ao vento e contemplar o movimento como se estivesse vendo as nuvens se transformando em figuras, bichos e diversas outras formas. Leveza, suavidade e delicadeza se alternam nesta performance e abrem espaço para o imaginário do público fluir.

18h – Galeria Olido – Sala Paissandu. Centro.
Cia Druw – “Girassóis”.
Direção: Miriam Druwe. Com: Adriana Guidotte, Anderson Gouvêa, Bruna Petito, Elizandro Carneiro, Alessandra Fioravante, Tatiana Guimarães e Felipe Sacon. 60min. Livre.

“Girassóis” é um espetáculo infantil para todas as idades, inspirado nas obras de Vicent Van Gogh. Os quadros “Camponeses”, “Comedores de batatas”, “ “Semeador”, “Noite Estrelada”, “O Quarto”, “Casa Amarela”, “Girassóis” e os personagens que habitam seus retratos serviram de inspiração para a criação, resultando num roteiro leve, lúdico e poético.

20h – Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho. Vergueiro.
Taanteatro Companhia – “50 desenhos para assassinar a magia”.
Ideia e direção: Wolfgang Pannek. Co-direção: Alda Maria Abreu. Com: Ana Beatriz Almeida, Camila Duarte, Dora Smék, Elisa Canola, Fabio Pimenta, Henrique Lukas, Janaina Carrer, Juliana Morimoto, Marcelino Bessa, Marcelo D’Avilla, Michele Carolina, Mônica Cristina, Kalassa Lemos, Lika Rosa, Patrícia Pina Cruz, Paula Alves, Samanta Lewin. 50 min. 12 anos.

“50 desenhos para assassinar a magia” é o espetáculo do NuTAAn, núcleo de pesquisa e criação da Taanteatro, livremente inspirado na obra homônima póstuma do poeta francês Antonin Artaud (1896 a 1948). Composto por solos, coreografias coletivas e coros de glossolalias, tem como ponto de partida os desenhos-escritos ou totens, caraterísticos da última fase da obra do criador do Teatro da Crueldade.

OUTRAS ATIVIDADES

18 a 28/09 – QUARTA A SEXTA, 10h às 21h; SÁBADO, 14h às 17h, DOMINGO, 17h às 21h.

Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo. Centro.
Célia Gouvêa Grupo de Dança / Museu da Dança – Exposição “Décadas de Dança: preservação e compartilhamento do acervo gouvêa-vaneau”. Curadoria: Célia Gouvêa. Produção: Museu da Dança.

Durante a 8ª Mostra de Fomento à Dança, o Centro de Referência da Dança estará habitado por fotos, desenhos e vídeos da trajetória artística do casal Célia Gouvêa e Maurice Vaneau (1926-2007), contemplando o acervo referente aos seus mais representativos, prolíficos e inventivos repertórios de criações, desenvolvido por quase quatro décadas.

Núcleo Juanita – Instalação do processo de trabalho “Juanita”.

A instalação Juanita consiste em mostrar de forma vivencial os desenhos produzidos por Libero Malavoglia e Jerusa Messina, e as fotos e video documental dos ensaios abertos do grupo de dança-literatura Juanita, em que os dançarinos perpassam a literatura e o processo de criação atua como protagonista.

18 a 28/09 – TERÇA A DOMINGO, DAS 10h às 21h

Galeria Olido – 2º Andar. Centro.  
Núcleo Cinematográfico de Dança – Instalação “Resistência: [TEMPERATURA DA EXPLOSÃO #03]”.
Com: Ilana Elkis, Juliana Gennari, Mariana Sucupira e Maristela Estrela. Livre.

A partir das propriedades físicas e químicas de alguns explosivos, a companhia criou um enunciado que contém três fatores: aceleração, repetição e resistência – e convida o público para traduzi-lo corporalmente, ativando assim a instalação.

23 a 27/09 – TERÇA a SÁBADO

14h – Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo. Centro.
Encontros “E aí, o que você tem feito?”

A proposta destes encontros é dar o devido espaço para que os artistas possam conversar sobre seus trabalhos e processos criativos, indo além das pautas políticas e abrindo novos caminhos de comunicação. Nesta 8º Mostra do Fomento à Dança, os artistas convidados serão os participantes das três últimas edições do Programa.

SESSÃO DE VÍDEODANÇA

19/09, SEXTA-FEIRA

19h – Galeria Olido – Cine Olido. Centro.
Núcleo Marcos Moraes – Filme: “SABROSO”.
Direção e roteiro: Osmar Zampieri. Duração: 6 min. Livre.

O filme foi realizado com uma câmera com tecnologia HIGH SPEED, que grava em ritmo lentíssimo, revelando uma narrativa que surge entre os acontecimentos de uma festa. A cada participante/ingrediente foi solicitado um gesto, um movimento, uma palavra que compusesse a receita, relacionada à experiência vivida no projeto “Cozinha Performática”, de Marcos Moraes.

Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros – Videodança: “Sobre ruas e rios”.
Direção: Alex Ratton Sanchez. Duração: 40min. Livre.

“Sobre ruas e rios” traz os diversos olhares e relações de cada intérprete-criador com o espaço, procurando evidenciar não apenas aquilo que está visível, mas, sobretudo, o que está submerso e invisível na imaginação da cidade.

ENDEREÇOS

| Biblioteca Infantojuvenil Monteiro Lobato
R. General Jardim, 485, Vila Buarque, Centro. | tel. 3256-4122, 3256-4438 e 3256-4038

| Centro Cultural da Juventude (CCJ)
Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha. Próximo do Terminal de Ônibus Cachoeirinha. Zona Norte. | tel. 3984-2466

| Centro Cultural da Penha
Largo do Rosário, 20, Penha. Próximo do Shopping Penha. Zona Leste. | tel. 2295-0401

| Centro Cultural São Paulo (CCSP)
R. Vergueiro, 1.000, Paraíso. Próximo da estação Vergueiro do metrô. Centro. | tel. 3397-0001 e 3397-0002

| Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes
R. Inácio Monteiro, altura do nº 6.900, esq. com Rua Alexandre Davidenko, Cidade Tiradentes. Zona Leste.| tel.: 2555-2840.

| Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo.
Embaixo do Viaduto do Chá, Centro.

| Galeria Olido
Av. São João, 473. Próximo das estações República, Anhangabaú e São Bento do metrô. Centro. | tel. 3331-8399 e 3397-0171

| Rua São Bento, Centro.

| Vila Maria Zélia – Vila Maria Zélia, Belenzinho – São Paulo – SP.

Para maiores informações, acesse a página do evento no Facebook (www.facebook.com/fomento.adanca).